Por Fr. Diego Antônio da Silva, CSsR Em Notícias Atualizada em 03 OUT 2018 - 10H58

CSsR: o que esta sigla significa?

Muitas pessoas nos perguntam o que significa “C.Ss.R.” que colocamos após o nosso nome. É a sigla de “Congregação do Santíssimo Redentor” (Congregatio Sanctissimi Redemptoris), a nossa família Redentorista. Este elemento quer significar nossa pertença jurídica e, sobretudo, espiritual ao instituto religioso. Mas nem sempre foi assim...


Santo Afonso e seus companheiros missionários fundaram a Congregação no dia 9 de novembro de 1732, memória da dedicação da Basílica Papal do Santíssimo Salvador. Desta forma, o primeiro grupo, reunido sob o título de “Congregação dos missionários do Santíssimo Salvador”, esforçava-se para amparar às necessidades espirituais e pastorais que sofriam os pobres das regiões rurais daquele tempo.

:: Qual o sentido do Hábito Redentorista?

No dia 25 de fevereiro de 1749, o papa Bento XIV aprovou o novo instituto e as suas constituições. Por questões jurídicas, o nome oficial foi alterado para “Congregação do Santíssimo Redentor”, pois, naquele tempo, já havia um grupo religioso reunido sob o título de “Santíssimo Salvador”. De “Santíssimo Salvador” para “Santíssimo Redentor”, a Congregação foi compreendendo seu carisma, espiritualidade e missão.

Thiago Leon
Thiago Leon
Missionários Redentoristas durante na Novena da Padroeira que celebrou a presença da Congregação no mundo.

Nossa família, por vocação, é uma expressão da identidade missionária da Igreja. O redentorista não vive para si e para os seus, mas doa-se a serviço do Reino, sobretudo aos mais abandonados cuja evangelização é sinal da obra missionária e com os quais o Cristo mesmo quer, de certa maneira, identificar-se (cf. const. 4). Nossa missão deriva e se nutre da prática missionária de Jesus (cf. Lc 4, 16-19).

:: Guardiões da Imagem da Padroeira do Brasil

Portanto, nosso nome, ou seja, nossa identidade deve estar intimamente associada à identidade e à missão do Redentor. Devemos cultivar em nossas vidas os mesmos sentimentos e ações que moviam Jesus (cf. Fl 2,5), ser memórias vivas, continuadores da Redenção.

Fr. Diego Antônio da Silva, CSsR

6 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Fr. Diego Antônio da Silva, CSsR, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.