Por Marília Ribeiro Em Notícias Atualizada em 09 DEZ 2018 - 11H46

Arquidiocese de Aparecida encerra comemorações do Ano Jubilar no Santuário Nacional

O Santuário Nacional celebrou o encerramento do Ano Jubilar da Arquidiocese de Aparecida, pelos seus 60 anos de criação. A celebração aconteceu neste sábado (08), dia da Imaculada Conceição, com a santa missa de ação de graças, no Altar Central, presidida pelo arcebispo Dom Orlando Brandes.

Thiago Leon
Thiago Leon

Durante todo o ano de 2018 a Arquidiocese refletiu o tema ‘Com Maria, a primeira leiga, celebraremos nosso Jubileu’ com diversas ações pastorais junto às 18 paróquias e uma capelinha militar, das cidades de Aparecida, Guaratinguetá, Lagoinha, Roseira e Potim (SP).

Dom Orlando, na celebração de abertura no dia 8 de dezembro de 2017, falou das Bodas de Diamante, afirmando que assim como a pedra que quanto mais lapidada, mais brilha, assim é a fé.

Thiago Leon
Thiago Leon

Hoje, um ano depois da abertura, fazendo um balanço do Ano Jubilar o Arcebispo reforça que essa pedra preciosa foi melhor lapidada e que os resultados da caminhada jubilar foram muitos.

“Primeiro lugar com uma nova visão Pastoral, nós temos uma prioridade agora que se chama Igreja em Saída nas casas, preparando o chão para que nas nossas ruas se reúnam grupos bíblicos de reflexão uma vez por semana e que esses grupos tenham como tripé a oração, a ação e principalmente a reflexão, e assim a nossa diocese vai se tornando cada vez mais participativa, crescendo na dimensão bíblica.”

Leia MaisArquidiocese de Aparecida celebra 60 anos. Veja curiosidadesArquidiocese de Aparecida completa 60 anos de fundaçãoCelebração marca a abertura do Ano Jubilar da Arquidiocese de AparecidaAlém disso, Dom Orlando salienta que durante esse período foram definidos alguns destaques que terão maior atenção na Arquidiocese de Aparecida: como os jovens, a família, a comunicação e a pastoral afro.

Outro ponto de atenção é a formação do clero e o seu aprofundamento nas coisas de Deus, nas Pastorais e na missão junto ao povo.

“Esperamos ter uma igreja cada vez mais unida, sinodal, onde a palavra sinodal quer ser um sinônimo de comunhão, de participação, para melhorarmos cada vez mais a nossa unidade presbiteral”, ressaltou.

Dom Orlando também falou dos três Santuários presentes na Arquidiocese sublinhando que Deus olhou com carinho para essa região. “No rio Paraíba do Sul nos encontramos com a imagem de Nossa Senhora de Aparecida, que é o próprio Deus se revelando a nós, o nascimento aqui nesse chão de frei Galvão e a presença do Santuário da Fazenda da Esperança que não só tem um Santuário de pedra, a Fazenda Esperança é como um útero que durante nove meses vai gestando novas pessoas, novas personalidades.”

Complementando, Dom Orlando falou o sobre a força e o significado de um Santuário, lembrando que o coração humano é o Santuário que mais agrada a Deus. “Santuário lembra santidade e com essa riqueza espiritual nós queremos então pela força dos Santuários não acentuar somente o lado devocional da fé, mas objetivo principal deve ser elevar o irmão, atender os pobres e os mais pequeninos, porque o santuário que mais agrada a Deus é o coração humano”.

“Que os santuários de pedra caminhem cada vez mais, transformando toda pessoa humana em um santuário.”



Fonte: Andrea Moroni

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Marília Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.