Por Redação A12 Em Notícias

Maria, auxiliadora dos cristãos e das famílias em suas adversidades

presidente_com_nsaNo sexto dia da Novena e Festa da Padroeira, a Missa de Aparecida realizada nesta terça-feira (8)  às 9h, no Santuário Nacional, refletiu sobre a intercessão de Nossa Senhora como auxílio dos cristãos.

O tema do dia ‘Bem-Aventurada Virgem Maria, auxílio dos cristãos’ foi indicado no início da celebração, pelo animador, o Missionário Redentorista padre José Luiz Queimado, que recordou a perseguição que enfrentaram as primeiras comunidades cristãs por causa de sua fé e que, desde aquela época, consolidou-se invocar Maria como auxílio do povo cristão.

Presidiu a celebração o bispo de Blumenau (SC), Dom José Negri, missionário do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), e concelebrou o padre Pedro Facci, diretor da Revista Mundo e Missão, que também é missionário do PIME.

De forma especial, o bispo veio ao Santuário Nacional buscar a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida que irá permanecer de 8 a 14 de outubro em sua diocese.

“É uma grande alegria poder representar o nosso povo de Blumenau, nesse dia que estamos celebrando Nossa Senhora, auxílio dos cristãos. Maria é auxilio porque, de alguma forma, nós precisamos de ajuda, nós precisamos de auxílio, nós precisamos de socorro, os cristãos sofrem no mundo agitado”, frisou o bispo no início de sua homilia.

Dom José Negri reforçou o papel de Maria como intercessora e orientadora do povo cristão.

“O livro do Apocalipse apresenta um cenário bastante violento com uma batalha e um grande sinal no céu, uma mulher revestida de sol. O grande sinal que aparece no céu, o grande sinal que deve orientar todos os cristãos é uma mulher revestida de sol, revestida de Deus”, refletiu.

Maria foi doada por Deus para a humanidade para cumprir uma missão: “Ela foi encarregada por Deus para amparar e auxiliar todos os seus filhos e filhas”.

O presidente referiu-se também a batalha que a família enfrenta na atualidade diante das adversidades.

“Diante de todas as batalhas enfrentadas nesse mundo, há uma guerra que está acontecendo mais que em outros tempos nas famílias. Se a família se fragmenta, o ser humano se despedaça e também o amor fica despedaçado. Na família nós temos que ter a presença de Deus e a presença da Mãe de Jesus, como uma presença intercessora”, disse.

O bispo ainda lembrou: “Nas nossas famílias, havia um belo costume, o de rezar à noite o terço. Algumas continuam, mas a maioria substituiu o terço por tantas outras coisas. Mas por que perdemos esse costume? Antigamente nossos pais e antepassados tinham a compreensão de que havia necessidade de consagrar a família a Nossa Senhora”.

Dom José finalizou sua reflexão lembrando que é preciso que as famílias nunca deixem de pedir a intercessão de Nossa Senhora, para que a batalha da “união e integridade da família” não seja perdida.

Por fim, rezou a oração conhecida com o nome “Sub tuum praesidium” (À vossa proteção) que é a mais antiga oração a Nossa Senhora que se conhece.

 

“À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas Em nossas necessidades, Mas livrai-nos sempre de todos os perigos, Ó Virgem gloriosa e bendita!”. 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.