Por Polyana Gonzaga Em Notícias

Missa de abertura da 53ª Assembleia Geral reúne bispos do Brasil no Santuário de Aparecida

A missa das 7h30, no Altar Central, do Santuário Nacional de Aparecida marcou a abertura da 53ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, nesta quarta-feira (15).

Foto de: Thiago Leon

missa_de_abertura_da_assembleia_geral_dos_bispos_foto_thiago_leon

 

A celebração foi presidida pelo Cardeal Arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno Assis. A missa foi concelebrada pelo vice-presidente da CNBB e Arcebispo de São Luís (MA), dom José Belisário as Silva, pelo secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner.

No início da celebração, Dom Raymundo Damasceno saudou e agradeceu ao Núncio Apostólico, Dom Giovanni D’ Aniello, ao Monsenhor Thomas, Conselheiro da Nunciatura apostólica, aos colaboradores da 53ª  Assembleia Geral; aos profissionais de imprensa que divulgam a assembleia; aos Presidentes de  organismos e Representantes de Pastorais, ao Santuário Nacional e fiéis da Arquidiocese de Aparecida e os romeiros presentes.

A Assembleia Geral da CNBB reúne em Aparecida até o dia 25 de abril todo o episcopado brasileiro. As celebrações serão realizadas na Basílica e as sessões da assembleia no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida.

Sobre a liturgia, Dom Raymundo destacou as palavras que levam a entender o significado da missão de Cristo. “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna”.

Dom Damasceno falou ainda que não há situação que não possa ser iluminada pela ressurreição e, aos fiéis, pediu orações pela realização da Assembleia Geral.

“Irmãos e irmãs, nós bispos do Brasil estamos reunidos aqui em Aparecida e pedimos orações para todos que nos acompanham, pelos bons frutos da Assembleia Geral”, completou.

Reveja a homilia na íntegra:

O Cardeal afirmou que a atenção dos prelados será dirigida a dois temas: a atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) para o quadriênio de 2015 a 2019 e a eleição da nova presidência da CNBB, bem como, dos 12 presidentes das Comissões Episcopais Pastorais, os quatro delegados para o próximo Sínodo da Família e seus dois suplentes, além de um delegado da conferência junto ao Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) e seu suplente.

“As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora são subsídios para os Planos de pastoral das nossas dioceses e também do secretariado da CNBB”.

O Arcebispo de Aparecida ainda elencou alguns tópicos prioritários para as discussões como a vocação e a missão dos leigos e o processo de estudo sobre o dízimo.

“Peço que todos se unam a nós em oração, colocando-se diante da imagem de Nossa Senhora Aparecida para que continuemos a evangelizar pela força de Jesus Cristo”, ressaltou Dom Damaceno.

 Ao final de sua reflexão, Cardeal Dom Damasceno afirmou que acredita que a 53ª Assembleia Geral da CNBB contribui para que a Igreja no Brasil continue manifestando a confiança sem limites nos frutos que o mistério da Páscoa produz.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.