Por Elisangela Cavalheiro Em Notícias

Santuário Nacional celebra ressurreição de Cristo com milhares de devotos

Cristo Venceu Aleluia! Ressuscitou Aleluia! 

Este foi o refrão que todas as Igrejas entoaram na manhã deste Domingo de Páscoa, Domingo da Ressurreição de Jesus Cristo, 20 de abril. Neste dia especial, o Santuário Nacional recebeu milhares de romeiros de todos os lugares do país, que escolheram celebrar esta solenidade tão grandiosa aos pés da Mãe Aparecida. A Missa Solene de Páscoa celebrada às 8h pelo cardeal arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno Assis, no Altar Central, estava lotada de fiéis. Concelebrou junto com dom Raymundo, o reitor do Santuário Nacional, padre Domingos Sávio. No Altar, diversas autoridades se fizeram presentes com suas famílias.

Missa da Páscoa da Ressurreição - Santuário Nacional - 20 abril (Elisangela Cavalheiro)

No início da missa, dom Raymundo acolheu todos os fiéis e manifestou a alegria desta celebração para a Igreja Católica em todo o mundo. Com a ressurreição de Jesus, a vida triunfa sobre a morte, e essa realidade de fé deve ser para todos os cristãos ocasião para compreender que a morte  não é o fim. "Depois da ressurreição de Cristo, a morte já não tem mais a última palavra", falou dom Damasceno aos milhares de fiéis presentes na celebração. 

Na homilia lembrou que este dia é o "mais solene e mais festivo do ano". "Celebramos a Ressurreição do Senhor, o triunfo da vida sobre a morte e o pecado. Este Domingo festivo vai se prolongar, como um 'grande domingo', por cinquenta dias até a solenidade de Pentecostes", disse dom Raymundo. 

Referindo-se à Pascoa que celebramos neste tempo, o cardeal frisou que a celebração deve encontrar forças no testemunho dos primeiros discípulos que se encontraram realmente com Jesus e não deve ser motivo de enfraquecimento da fé, pelo contrário, deve estimular ainda mais cada cristão em sua missão. "Nossa fé no Cristo ressuscitado se fundamenta no testemunho dos discípulos que se encontraram realmente com Ele, e esse testemunho está contido nos evangelhos. A fé na ressurreição, a expectativa da nova terra não deve enfraquecer, mas antes estimular nosso empenho em desenvolver essa terra, que deve ser uma prefiguração do mundo futuro que aguardamos, promovendo uma cultura da vida, da liberdade, da justiça e da paz", pontuou. 

A ressurreição, disse dom Raymundo Damasceno, "não está reservada a Jesus", mas é o caminho de todos os cristãos. "Todos nós estamos destinados a fazer esta passagem, da morte para a vida, porque depois da ressurreição de Cristo, a morte já não tem mais a última palavra".

Diante dessa realidade, o cardeal reforçou que os cristãos não negam o sofrimento ou a dor causada pela morte, mas acreditam que "Deus é o Deus da vida que nos criou para amá-lo e um dia viver junto dele, para além da morte. O que Deus Pai realizou em seu Filho, Ele realizará em cada um de nós, seus filhos". 

Dom Raymundo finalizou sua mensagem desejando a todos uma Feliz e Santa Páscoa, com as bênçãos da Mãe Aparecida. "Levando o Cristo em nosso coração, comprometamo-nos a ser mensageiros alegres de um nova vida trazida pelo Cristo ressuscitado", finalizou. 

Missa da Páscoa da Ressurreição - Santuário Nacional - 20 abril (FlaviaGabriela)

Ao final da celebração, foi recebida a Imagem de Nossa Senhora Aparecida, momento de grande emoção para todos fiéis, que estenderam suas mãos para rogar a bênção, da Mãe de Jesus. 

O Santuário Nacional celebra ainda neste domingo, outras missas festivas: às 12h, 14h, 16h e 18h, esta última com transmissão ao vivo pela TV e Rádio Aparecida.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.