Por Redação A12 Em Notícias

Santuário Nacional acolhe 113ª Romaria da Arquidiocese de São Paulo

Com o tema “Com a Mãe Aparecida, mestra de vida cristã”, a Romaria da Arquidiocese de São Paulo reuniu nesse domingo, 04 de maio, milhares fiéis na missa das 10h Santuário Nacional. A romaria já está na 113ª edição, foi presidida por dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, concelebrada por todos os bispos auxiliares e pelo vigário episcopal da região Ipiranga, e contou com participação de romeiros das seis regiões episcopais da Arquidiocese.

Romaria da Arquidiocese de São Paulo no Santuário Nacional. (Foto: Ana Paula de Almeida)

 

Em nota oficial divulgada pela Arquidiocese, dom Odilo relembrou que como todos os anos, a romaria é feita no primeiro domingo de maio, e incentivou os bispos auxiliares e padres a organizarem os fieis de suas paróquias a participarem da romaria anual, pois “A Arquidiocese de São Paulo tem uma relação estreita com a devoção a Nossa Senhora Aparecida, cujo Santuário pertenceu à Arquidiocese até 1958; só então foi criada a Arquidiocese de Aparecida e a Basílica passou para ela.”

Dom Odilo relacionou o Evangelho de hoje com o atual desafio das dioceses de resgatar os fiéis que desanimaram no meio do caminho. Os discípulos de Emaús estavam prestes a abandonar a comunidade, porque Jesus havia morrido e eles não se sentiam mais chamados à anunciar a Palavra. E quem os trouxe de volta foi o próprio Jesus, que os encontrou desanimados no caminho, e caminhando junto a eles, conseguiu resgatá-los por meio da Palavra: “A história dos discípulos de Emaús lembra a história de tantas pessoas hoje, desanimadas, tristes, frustadas (...). Mas Jesus foi ao encontro deles, caminhou com eles, e lhes explicou as Escrituras. E lá caminhando com eles, passo a passo, reanimou o coração de cada um. ” O cardeal ressaltou que esse é o papel das comunidades, resgatar os desanimados por meio da Escritura, e esse é o tema da 52ª Assembleia Geral da CNBB. De acordo com dom Odilo, o grande desafio da 113ª Romaria da Arquidiocese de São Paulo é continuar essa caminhada na volta pra casa, com o coração reanimado e pronto a reanimar aqueles que abandonaram ou estão prestes a abandonar a missão.

Foto de: Ana Paula de Almeida

Romaria da Arquidiocese de São Paulo no Santuário Nacional (Foto: Ana Paula de Almeida)

Elina Maria de Jesus (à esquerda) e Maria de Jesus da Silva (à direita) participam todos os anos da Romaria da Arquidiocese contam que é muito importante para elas vir à Casa da Mãe Aparecida, agradecer pelas graças e bençãos recebidas ao longo do ano que passou.

 

Para Elina de Jesus da Silva, que participa da romaria há 15 anos, é uma emoção muito grande estar na Casa da Mãe Aparecida: “não tem palavras que possam dizer meu sentimento, é um sentimento de muito agradecimento a Deus e à Mãe que sempre nos protegeu e nos ajudou em tudo, e sempre nos levantou quando nós caímos”. Maria de Jesus Silva, que participa pela quarta vez, conta que “é muita emoção, felicidade e alegria, agradecendo todas as bençãos que ela nos dá, que nós recebemos de suas mãos generosas e carinhosas, por isso nós fazemos questão de participar da romaria todos os anos, é um momento único”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.