Por Marília Ribeiro Em Notícias

Tradicional romaria do Rio de Janeiro reúne cerca de 90 mil pessoas no Santuário

O Santuário Nacional de Aparecida recebe neste sábado (29) a tradicional romaria anual da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Os fiéis vindos de diversas cidades do estado se reúnem na casa da Mãe Aparecida desde 1902, e este ano estão em cerca de 90 mil devotos.



A programação do grupo começou bem cedo, às 6h da manhã, com a recitação do Rosário na Tribuna Papa Bento XVI.

Na celebração eucarística das 9h no Altar Central da Basílica, bispos, padres, religiosos, seminaristas, lideranças pastorais e fiéis da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro celebraram ação de graças a Deus e a Nossa Senhora pela visita missionária da imagem Jubilar de Aparecida e agradeceram pelo bom êxito da Jornada Mundial da Juventude e a visita do Santo Padre, o Papa Francisco, no ano passado.

Após por o rito de retorno da imagem de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno, cardeal arcebispo de Aparecida, acolheu a grande romaria da Arquidiocese do Rio de Janeiro, destacando a visita realizada pela imagem Jubilar e desejando que os frutos dessa visita permaneçam no dia a dia da arquidiocese para que ela continue sendo uma presença missionária na igreja do Brasil.

A santa missa foi presidida por Dom Orani João Tempesta, cardeal arcebispo da arquidiocese do Rio. Em sua homília, o cardeal falou da sua alegria por mais uma vez estar na casa da Mãe Aparecida com a tradicional Romaria, para celebrar junto de tantos romeiros do Brasil.

Dom Orani destacou a importância da celebração de hoje citando a vivência do Ano da Vida Consagrada, Ano da Esperança no Rio de Janeiro, Ano da Paz no Brasil e ainda o martírio de São João Batista, sublinhando que ele deu a sua vida por defender o anúncio da verdade.

Salientou a necessidade de sermos anunciadores da verdade, da vida e da esperança a exemplo de São João Batista. “Nos não podemos nos calar, somos chamados a falar da vida e da verdade”.

 

"Nós temos uma palavra que salva e que liberta, e somos chamados a não desanimarmos e silenciarmos..."

Ressaltou a importância de levarmos a palavra de Deus e estarmos sempre firmes e coerentes com a nossa fé. “Nós temos uma palavra que salva e que liberta, e somos chamados a não desanimarmos e silenciarmos, pois a palavra de Deus é importante para a vida das pessoas e do mundo”, pontua.

Após a comunhão todos foram convidados a rezar a oração do ano arquidiocesano da esperança. A celebração foi encerrada com a consagração à Padroeira do Brasil.

Ao término da celebração os devotos do Rio de Janeiro participam da recitação do terço pelas ruas da cidade de Aparecida e uma via sacra no Morro do Cruzeiro.

 

 

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Marília Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.