ANO LITÚRGICO A

Hoje, 12 de Julho de 2020   Abrir calendário

Cor Verde

15º Domingo do Tempo Comum l cor: verde

Primeira Leitura
Salmo
Segunda Leitura
Evangelho
Homilia
Meditação

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Isto diz o Senhor: 10“Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a

alimentação, 11assim a palavra que sair de minha boca: não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

— A semente caiu em terra boa e deu fruto.

— A semente caiu em terra boa e deu fruto.

— Visitais a nossa terra com as chuvas,/ e transborda de fartura./ Rios de Deus que vêm do céu derramam águas,/ e preparais o nosso trigo.

— É assim que preparais a nossa terra:/ vós a regais e aplainais,/ os seus sulcos com a chuva amoleceis/ e abençoais as sementeiras.

— O ano todo coroais com vossos dons,/ os vossos passos são fecundos;/ transborda a fartura onde passais,/ brotam pastos no deserto.

— As colinas se enfeitam de alegria,/ e os campos, de rebanhos;/ nossos vales se revestem de trigais:/ tudo canta de alegria!

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 18Eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. 19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; 21também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus.

22Com efeito, sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso, Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz.

7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas.

8Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos, ouça!”

10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’.

16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram.

18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho.

20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento; quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo. 22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto.

23A semente que caiu em boa terra é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

“Palavra...Palavra”

Semeando a semente

A liturgia do 15º domingo é encantadora tanto em sua poesia humana, como em sua dimensão Divina. É a Palavra de Deus. A palavra é sempre uma poesia tocada pela harpa do coração. Quando quem toca a música é a Palavra viva, Deus visita seu mundo através da Palavra. Jesus conta uma parábola nascida de seus olhos que contemplavam os campos enquanto falava ao povo. Dizia: Olhem lá o homem que está semeando. Joga a semente, como que a esmo. Assim ela se espalha por lugares diferentes. O costume do tempo era jogar a semente sobre a terra e depois vir com o arado de madeira e revolver a terra para que a semente pudesse germinar. Assim ela cai em lugares férteis e também em outros, como entre os espinhos, pelo caminho onde o povo passa, sobre lugares pedregosos e em terra boa. De acordo com a terra é a produção. Nem todas as sementes têm resultado bom. Aqui temos uma questão dura: “Quem tem ouvidos, ouça!”. Ouvir indica a compreensão da pessoa como um todo. Assim leva à realização em ações frutuosas. Ouvir é colocar em prática com docilidade. Os discípulos perguntam: “Por que fala em parábola ao povo?”. Somente quando a gente é discípulo, isto é, ouve o Semeador, é que a Palavra vai ao coração. Esse campo recebe também a Palavra da Vida que tem o vigor da chuva que cumpre sua missão, como diz Isaias. Esse campo é o campo de Deus. Deus visita com suas chuvas. A natureza responde na alegria do Semeador: “As colinas se enfeitam de alegria, e os campos de rebanhos, os vales se revestem de trigais: tudo canta de alegria!” (Sl 64).

Semeando a Palavra

Assim Jesus explica essa parábola do Reino: Quem não está interessado é como a estrada na qual o Maligno pisa e leva o que foi semeado. O que recebe a semente sobre as pedras é o que recebe com alegria, mas é superficial. Quando chega o sofrimento, fica sem fruta. O que recebe entre os espinhos, isto é, preocupações e riquezas, ouve sem atenção e não leva a produzir fruto. Ficam palavras vazias, mesmo se bonitas. Finalmente a terra boa que produz fruto. Assume e toma as atitudes coerentes com a Palavra. Temos aí o resultado de plenitude. Se eu der tudo o que posso, sempre sou cem por cento. Deus semeia sempre sua Palavra. A palavra anunciada tem a força do Deus que a pronunciou. O homem que a recebe é convidado a estar sempre preparando sua terra, pois é garantida a chuva no tempo certo. Podemos fazer aqui uma ligação da leitura com o salmo. É belo ver o salmista que, unido à natureza, dá-lhe vida de louvor. A natureza de Deus revela o esplendor de sua ação que semeia vida por onde passa: “Tudo canta de alegria”. A natureza é uma festa.

Libertando o Universo

Respeitando a natureza, nós a transformamos em um anúncio permanente da grandeza de Deus. Aqui temos o conhecimento da união da natureza com a obra da redenção. Deus redime o Universo. Não é só poesia. O pecado do homem atinge a natureza porque lhe tira a capacidade criadora de ser vida. Ela espera ansiosamente pela sua libertação. A redenção de Jesus, vivida no mundo, liberta a natureza conduzindo-a a sua missão de dar vida. Quanto mais venço o pecado, mais a natureza vive. O pecado tem uma influência universal. Faz mal a tudo. A natureza vai enxugar suas lágrimas e se unirá ao mundo da graça no altar do sacrifício. O pão e vinho são o Corpo e Sangue do Senhor. Esta é a ressurreição dos filhos de Deus que ressuscitará o mundo. É o Paraíso. Temos aí o sentido espiritual da ecologia que pode transformar-nos diante desse dom.

Aparelho de ouvido

É tão difícil começar a não ouvir. Perde-se o contato com o mundo, pois dificulta ir ao coração. Pela vista colhemos o mundo. Pelo ouvido semeamos no coração. Jesus, no evangelho de hoje, mostra que entendia muito bem da vida do povo, pois ele participava del. Tantas vezes teria feito isso. Jesus fala e alguns não ouvem. Estão com ouvidos ruins. 

O aparelho de ouvido é a boa vontade de estar aberto e aproveitar o máximo do que é semeado. Não se trata de um concurso de quem consegue ouvir mais, mas quem se abre por inteiro. O resultado compete a Deus. Se eu fizer o que posso, sempre chego a cem por cento.

Espiritualidade Bíblico-Missionária

EU SOU O CAMINHO

Começa hoje e prolonga nos dois próximos domingos o discurso de Jesus no Evangelho de Mateus (13) sobre as parábolas. Parábola significa “pôr lado a lado”, no sentido de comparação. Para nós hoje, pode parecer um pouco estranho, mas na época de Jesus, em que 90% do povo era analfabeto e muito simples, através de uma historinha, um fato ou um acontecimento, era um jeito maravilhoso de entender e descobrir os ensinamentos sobre os mistérios do Reino de Deus. Mas para que a Palavra de Deus produza frutos em nós, temos que ver bem com os olhos, ouvir bem com os ouvidos e, principalmente, compreender com o coração. Só assim poderemos nos converter e permitir que Jesus nos cure (Cf. Mt 13,15). Estamos dispostos a abrir nossos olhos, ouvidos e coração?

A VERDADE

A chuva sempre foi, é e será uma bênção de Deus para toda humanidade, pois ela irriga, fecunda e faz a terra produzir alimentos. A Palavra de Deus também deve produzir frutos em nós (Is 55,10-11).

São Paulo (Rm 8,18-23) nos diz que toda criação anseia pela libertação da escravidão e espera participar da glória dos filhos de Deus e para isso temos que abrir os nossos corações, lutar pela nossa conversão e permitir que Deus reine em nossas vidas.

Jesus explica, de modo claro, a parábola do semeador (Mt 13,1-23). Ele é o semeador, a semente é a Palavra de Deus e o tipo de solo onde ela cai (na beira do caminho, em terreno pedregoso, no meio dos espinhos e em terra boa) é o nosso coração. Somente quem compreender com o coração poderá produzir frutos de amor, justiça, paz, bondade, partilha, misericórdia e outros que Deus espera de todos nós.

E A VIDA

Hoje Jesus nos convida a abrir o nosso coração, a converter-se e produzir frutos. “Um é o que planta, outro é que rega, mas só Deus é quem dá o crescimento” (Cf. 1Cor 3,6). Lance, em sua Comunidade, a semente da Palavra, mostre com suas boas obras os frutos produzidos. Somos semeadores e é tempo de plantar...

Pe. Francisco Albertin

Campestre-MG

Oração

Ó DEUS, que mostrais a luz da verdade aos que erram para retomarem o bom caminho, dai a todos os que professam a fé rejeitar o que não convém ao cristão, e abraçar tudo o que é digno desse nome. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

— Amém.

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Fazer a assinatura de qualquer produto Deus Conosco é muito simples


Clique no link abaixo e veja todas as informações para assinar os produtos:
 FOLHETOS DEUS CONOSCO;
• DEUS CONOSCO TRADICIONAL;
• DEUS CONOSCO LETRAS GRANDES E
• CELEBRAÇÃO DA PALAVRA.


Assine