Por Victor Hugo Barros Em Imprensa Atualizada em 03 SET 2018 - 11H02

Mega blitz educativa chama atenção para cuidado no trânsito

Ao invés de multas, motoristas receberão panfletos com números do trânsito e dicas para uma boa condução



Flávia Gabriela
Flávia Gabriela
Mega blitz educativa chama atenção para cuidado no trânsito

Nos dias 4 e 25 deste mês, uma blitz educativa acontecerá em diversos pontos da Capital Mariana da Fé. A atividade integra a programação do Mês do Trânsito Seguro de 2018 e pretende chamar a atenção de motoristas que passarem pela cidade de Aparecida (SP) em setembro. A ação é fruto da união de forças entre o Santuário Nacional, a Guarda Municipal de Aparecida, a Secretaria Municipal de Educação, a MRS Logística e as polícias Militar e Rodoviária Federal.

A blitz não terá caráter punitivo, mas sim de educação. Por isso, ao invés de multas, serão distribuídos mais de 40 mil panfletos educativos. O folder traz dados sobre o trânsito nos últimos anos e exemplos de atividades concretas para contribuir com a segurança nas vias públicas.

“Nosso desejo não é recolher multas, mas sim conscientizar as pessoas sobre a importância das normas de trânsito. Daí a relevância de nosso esforço conjunto fazendo uma força tarefa pela vida”, destaca o inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Edson Luiz Molinari.

Para isso, a atividade foi dividida em dois dias. O primeiro deles marca a abertura do Mês do Trânsito Seguro, no dia 4. Neste dia, as equipes estarão posicionadas em dois lugares estratégicos: na Avenida Itaguaçú e na Praça de São Benedito, localizada no Centro de Aparecida.

A segunda blitz acontece no dia 25, às 10h, novamente na praça de São Benedito. A ação marcará também o encerramento da programação do Mês. “Escolhemos o dia 25 para encerrar nossas atividades por ser o dia nacional do trânsito”, conta o gerente de Trânsito do Santuário Nacional, Júlio Oliveira.

A ação vai chamar a atenção para o aumento de acidentes de trânsito com óbito em Aparecida no último ano. Em 2016, apenas uma morte foi registrada no município por esta causa. Em 2017, o número subiu para três.

O desafio neste ano é mudar a cabeça do cidadão, fazendo com que ele compreenda que os prejuízos causados pela infração das leis de trânsito vão muito além do bolso. “Se educar para o trânsito é se educar para a sua segurança. Precisamos mudar o comportamento do cidadão, pensando não só no medo de multas, mas sim no cuidado da sua vida e do outro”, finaliza Molinari.

Fonte: Santuário Nacional

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Victor Hugo Barros, em Imprensa

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.