Por Campanha dos Devotos Em Multimídia

História de Fé: "Aprendi com a minha mãe sobre o Amor a Deus e a Nossa Senhora"

lucia_helena_pazini_hautequestt_itapemirim_sp

Meu nome é Lucia Helena Pazini Hautequestt, moro na cidade de Itapemirim-ES, tenho 48 anos, minha profissão é Enfermeira, sou casada com o Édson e temos dois filhos, a Anna e o Lucas.

Essa história de fé que vou contar é uma entre tantas que Nossa Senhora Aparecida permitiu que eu vivesse pra poder dar testemunho, vamos a ela então:

Em janeiro de 2014 comecei a sentir dores muito fortes na coluna que irradiava para a perna esquerda, no primeiro momento achei que fosse da hérnia de disco que tenho na região lombar da coluna, procurei o médico e fui tratada como se a dor fosse gerada realmente por essa hérnia de disco. O tempo foi passando e as dores aumentando tornando o tratamento sem sucesso.

Em maio, procurei um médico em Vitória que ao me ver entrar no consultório, já com limitações para andar, logo pensou que não fosse só da coluna. No exame clínico viu que o problema poderia ser do quadril. Pediu então um RX simples que veio a confirmar sua suspeita: bursite trocanteriana no quadril esquerdo. Iniciamos o tratamento com anti-inflamatórios e fisioterapia, sem sucesso, voltei 15 dias depois e o médico optou por infiltração com corticóides para um alivio mais rápido da dor. Realmente a dor aliviou, porém 30 dias depois a dor voltou com força total, voltando ao consultório o médico indicou mais uma infiltração de corticoides, realizada a infiltração voltei pra casa com mais fisioterapia prescrita.

Passado mais 30 dias a dor novamente voltou com força total. Tive que procurar o meu cardiologista por que durante as infiltrações a minha pressão arterial descontrolou e o diabetes também, meu médico então me proibiu de voltar a fazer infiltrações ou usar anti-inflamatórios, pois os mesmos são contra indicados para pacientes hipertensos e diabéticos como era o meu caso.

Entrei em desespero, pois sentia muita dor. Foi aí que procurei um médico ortopedista especialista em quadril, ele me pediu uma ressonância magnética que realizei no dia 03/10/2014. Foi um choque pra mim, além da bursite estava ainda com músculos e tendões inflamados e degenerados. Esse médico me falou que a única opção que eu tinha era fazer um tratamento novo chamado PRP (Plasma Rico em Plaquetas) que consiste na infiltração do plasma coletado e separado junto às plaquetas no centro cirúrgico e infiltrado na região afetada com sedação. Fui encaminhada para outro médico que realizaria tal tratamento. Iniciei então o tratamento, fiz essa infiltração de plasma por 5 vezes, a primeira em 30 de outubro de 2014 e a ultima em 10 de abril de 2015, durante esses 7 meses de tratamento foi muito difícil, com muitas dores, fisioterapias incontáveis, repouso após as infiltrações (após a realização de cada infiltração eu tinha que passar 10 dias de repouso) o que me deixou por muito tempo impossibilitada de trabalhar também.

Por mais incrível que possa parecer depois de tudo isso eu ainda continuava com muita dor.

No mês de junho de 2015 voltei ao médico por conta da dor, fiz outra ressonância magnética no dia 16/06/2015, tendo o resultado muito parecido com a anterior, foi quando ele falou dos riscos de continuar infiltrando e sendo sedada com medicamentos fortes. Ele me falou pra eu tentar suportar, pois não podia fazer cirurgia e não via outra forma de tratamento para o meu caso, durante todo o tratamento fiz uso do medicamento com o princípio ativo “Codeína”, que pode causar dependência, por conhecer um pouco de farmacologia, evitava ficar tomando, tentando suportar ao máximo a dor.

Ainda no consultório e quando saí dele, chorei muito por não ter tratamento pra essa dor que me consumia. Foi então que meu marido chegou pra me buscar e disse que iríamos procurar outro médico que não aceitaria essa única opinião. Então eu falei com ele que pro médico podia até não ter mais o que fazer, mas que pra Deus nada é impossível. Sou devota de Nossa Senhora Aparecida e entrego a minha vida e da minha família todos os dias a Ela, então pedi a ele que me levasse a Aparecida, que se fosse da vontade de Deus, por intercessão de Nossa Senhora Ele ia aliviar minhas dores.

Conversamos no nosso serviço e planejamos então a viagem de carro pra que eu pudesse viajar melhor, pois tinha dificuldades de ficar na mesma posição por muito tempo e a da nossa cidade até Aparecida são 12 horas de viagem.

Chegamos então em Aparecida no dia 16/07/2015 por volta das 16 horas, ficamos hospedados no Hotel Rainha do Brasil que era outro sonho o de conhecer o hotel do Santuário. Fomos à missa das 18 horas e já entramos em clima de oração. Ao chegar ao Santuário pra missa que foi celebrada por Padre Domingos Sávio tive a oportunidade de ser abençoada por ele minutos antes de iniciar a celebração.

No dia seguinte 17/07/2015 fui ao Santuário novamente, comprei uma perna esquerda de cera, pois não encontrei o quadril, e uma vela e num momento de extrema oração, emoção e muita fé, entreguei o meu quadril pra que Nossa Senhora Aparecida intercedesse a Deus por mim, pela minha dor, pelo meu sofrimento... Entreguei a peça na Sala das Promessas e fui a Capela das Velas pra acender a vela. Quando saí tinha no meu coração a certeza de que Deus e Nossa Senhora Aparecida atenderiam o meu pedido, pois somos filhos amados por Eles.

E hoje eu posso proclamar: DESDE O DIA 17/07/2015 EU NUNCA MAIS SENTI DOR, saímos de Aparecida no dia 20/07/2015, viajamos o dia todo sem nenhuma dor! Tudo isso para a honra e glória do Senhor!

Continuei fazendo fisioterapia conforme a indicação do médico e hoje faço aula de pilates por indicação também do médico, os dois fisioterapeutas que trabalharam comigo durante todo esse tempo ficaram e ainda ficam impressionados com a minha melhora, exercícios que eu não fazia por limitação muscular e dos tendões acabaram, hoje eu já trabalho até o fortalecimento muscular, que era impossível por conta da dor.

Faço parte da Campanha dos Devotos há 10 anos, aprendi com a minha Mãe Luzia o Amor a Deus e a devoção a Nossa Senhora Aparecida, foi ela quem me falou da Campanha dos Devotos e hoje ela está no Memorial, pois faleceu no dia 13/03/2014.

Faço hoje com meus filhos o que minha mãe sempre fez comigo, vamos pelo menos uma vez ao ano no Santuário Nacional agradecer todas as bênçãos recebidas, e olha que são muitas!!!

Somos uma família devota de Nossa Senhora Aparecida!

 

 

 

 

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Campanha dos Devotos, em Multimídia

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.