Por Campanha dos Devotos Em Notícias

Somos chamados a ser santos!

palavra_do_reitor_prayer2

Cada pessoa é única, exclusiva, nunca existiu e nunca existirá alguém igual. Os estudos científicos comprovam que o ser humano é fruto de uma combinação entre o feminino e o masculino. Pode haver semelhança, alguma “parecência” física ou até comportamental, mas ninguém é totalmente (cem por cento) igual a outro alguém. Entretanto, nenhum indivíduo basta-se a si mesmo; dependemos de outros para nascer, crescer, viver e morrer. Portanto, somos comunhão ou não somos. Feitos à imagem do Criador, recebemos o chamado a sermos como Ele é, SANTO: "Sede santos, assim como vosso Pai celeste é santo" (Mt 5, 48). A santidade é um atributo divino, só Deus é Santo, mas Ele quis que o ser humano participasse do seu jeito de ser.

Iniciamos o mês das vocações festejando um santo que, indiretamente, está na rotina diária da Campanha dos Devotos. Primeiro de agosto é o dia em que os Missionários Redentoristas celebram Santo Afonso Maria de Ligório, fundador da Congregação do Santíssimo Redentor. Afonso nasceu a 27 de setembro de 1696, em Marianella, no reino de Nápoles, Itália; deixou sua marca no mundo e principalmente no coração dos abandonados e pobres. Foi um ardoroso missionário. São dele as seguintes palavras: “Um verdadeiro devoto de Maria não se perde”! É aí que Santo Afonso entra na Campanha dos Devotos, mesmo sem nunca ter pensado nela enquanto família que congrega pessoas admiradoras da Mãe do Salvador, como modelo a ser imitado no caminho para o céu.

O fundador dos Missionários Redentoristas seguiu o exemplo da Virgem de Nazaré e apegou-se a ela como auxílio para a sua missão junto ao povo e também para o exercício de sua espiritualidade. Escritor de muitos livros, Afonso é lembrado como autor de “Glórias de Maria”, até hoje muito apreciado pelos que querem saber sobre a participação da Mãe de Jesus no mistério da Salvação. Seus “filhos”, os Missionários Redentoristas, são os responsáveis por um dos ícones da devoção mariana no mundo, o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; e, aqui no Brasil, cuidam do Santuário Nacional de Aparecida.

Imitando Maria, Afonso foi um profundo cumpridor da vontade de Deus. Desde menino, influenciado pela mãe, cultivou o costume de rezar todos os dias, ler livros de espiritualidade cristã, assistir os pobres, visitar os doentes etc. Imitando Maria, deixou os planos terrenos que seu pai havia pensado para ele e abraçou a causa do Evangelho. Não lhe faltaram aborrecimentos e dissabores. Vivendo assim, ele chegou à glória dos altares, sendo reconhecido pela Igreja Católica como santo, um intercessor do povo junto a Deus e um modelo a ser imitado aqui na terra.

Olhando para Maria e Afonso, pode-se concluir que Deus propõe um plano de vida para cada um de nós:Somos chamados a ser.SERé um atributo divino. Quando Moisés perguntou a Deus qual era o seu nome, recebeu como resposta: “Sou aquele que Sou”. Também nós somos n’Ele quando realizamos o plano que nos é proposto: alimentar o faminto, saciar o sedento, vestir o nu, visitar os presos, assistir os enfermos etc. Esse é o caminho para a santidade.

Maria abdicou dos seus planos pessoais para abrir seu ventre, e dele nasceu o Salvador; Afonso deixou a riqueza da família e a possibilidade de ser homem famoso do Poder Judiciário para iniciar a formação de um grupo de missionários que se empenhasse em trabalhar pela Copiosa Redenção. O que veio depois, as consequências que Maria e Afonso vivenciaram a partir da resposta dada ao chamado é o que os notabilizou na galeria de santos e santas de Deus.

Pe. João Bstista de Almeida, C.Ss.R.
Reitor do Santuário Nacional de Aparecida

7 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Campanha dos Devotos, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.