Por *Eduardo Gois Em Jornal Santuário Atualizada em 24 MAI 2018 - 11H03

Saiba como identificar a depressão e fazer tratamento gratuito em cinco capitais

Sensação de vazio, tristeza, desânimo: você pode estar com depressão. Mas você sabia que comportamentos depressivos são originados quando ainda somos bebês? Se você é mamãe, tome cuidado, pois o modo como você trata seu bebê nos primeiros meses de vida podem traçar um destino muito bom ou muito difícil para o seu filho e as pessoas que vão cercá-lo.

Shutterstock
Shutterstock

De acordo com o psicanalista Roberto Girola, nos depressivos as queixas em relação à vida são constantes e há uma tendência a responsabilizar os outros por sua infelicidade. Nos casos mais graves a paralisação do depressivo pode ser quase total, levando-o a dormir em excesso e a ter dificuldades para empreender qualquer tipo de atividade.

O estado depressivo geralmente remonta a mães que foram hiperpresentes, de forma invasiva, pois os cuidados dispensados ao bebê foram marcados não pelas necessidades dele e sim por uma exagerada ansiedade materna, muitas vezes gerada pela culpa, por algum sentimento inconsciente de rejeição do bebê.

"Não é fácil conviver com o depressivo, quanto menor for a pressão exercida e quanto maior a capacidade de compreensão, melhor", explica Roberto Girola. Ele ainda conta que pode ser útil um encorajamento, quase emprestando a capacidade de sonhar, ausente tanto na depressão como em casos melancólicos.

Segundo o psicanalista, dependendo da gravidade dos sintomas pode ser necessário recorrer à medicação psiquiátrica, mas também é fundamental o recurso à terapia para que o processo possa levar a uma melhora mais estável. "A escolha do profissional certo é muito importante nesses casos, pois trata-se de síndromes de difícil abordagem, tanto do ponto de vista médico como psicológico. Geralmente profissionais responsáveis, tanto psiquiatras como psicanalistas ou psicólogos, estão atentos para não assumir uma atitude onipotente em relação a esse tipo de paciente, sobretudo nos casos mais graves, indicando a ajuda multidisciplinar, ou seja, medicação e terapia, justamente por saber o quanto um quadro desse tipo é difícil de ser tratado", conta.

Na avaliação de Girola um dos problemas desse tipo de doença é que ela inibe a tomada de decisões. Geralmente o recurso ao tratamento é feito somente quando são percebidos transtornos bastante sérios para a vida pessoal e profissional. O ideal seria que com o aparecimento dos sintomas a pessoa procurasse ajuda profissional.

Você pode encontrar ajuda gratuita

Leia MaisDepressão entre jovens: preconceito e tratamentoO papel da religião e da fé no tratamento da depressãoEntenda a diferença entre a tristeza e a depressãoFalando em auxílio profissional, atualmente já podem ser encontradas instituições que oferecem atendimento gratuito. Então se você tem depressão, a falta de dinheiro não é mais desculpa. Veja os endereços e contatos telefônicos em seis capitais. 

São Paulo (SP): Instituto de Psicologia da USP

Endereço: Av. Prof. Mello Moraes, 1721, Cidade Universitária

Quem mantém? (Universidade de São Paulo)

O que oferece? Assistência psicológica gratuita a comunidade

Contato: (11) 3091 4281

 

Rio de Janeiro (RJ): Clínica Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Endereço: Av. Pasteur, 250, Pavilhão Nilton Campos

Quem mantém? Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

O que oferece? Atendimento psicológico

Contato: (21) 2295-8113

 

Goiânia (GO): Instituto Olhos Da Alma Sã

Endereço: Al. Paraná, 1203, Setor Jaó

Quem mantém? Grupo de Apoio em Saúde Mental (GASM)

O que oferece? Atendimento especializado em prevenção e tratamento em saúde mental e pessoas com necessidades especiais.

Contato: (62) 9 9187-5157 |


Fortaleza (CE): Plantão Universidade de Fortaleza (Unifor)

Endereço: Rua Desembargador Floriano Benevides, 221, Bairro Edson Queiroz

Quem mantém? Núcleo de Atenção Médica integrada (Unifor)

O que oferece? Atendimento individual, pais e filhos, grupos lúdicos, infantis e familiares

Contato: (85) 3477 3611

 

Belém (PA): Clínica de Psicologia da Universidade Federal do Pará

Endereço: Rua Augusto Corrêa, 01, Guamá

Quem mantém? Universidade Federal do Pará

O que oferece? Atendimento psicológico

Contato: (91) 3201-7669

 

26 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Elizangela da silva vieira comentou:

Minha vontade é de me matar já tentei várias vezes. Não aguento mais essa doença e ser julgada o tempo todo

Rudinei comentou:

Oi Jorge.
Acalme seu coração.
Terça feira, 14\03 acabei de enterrar meu filho de 20 anos por causa desta depressão.
Vc não fala sua idade, presumo seja mais velho.
Não te conheço, e sei o quanto é difícil lutar contra depressão. Mas vc já pediu ajuda, e existem diversas pessoas que podem ajudar.
Consulte na net, pessoas caridosas que estão 24 has por dia disponível para lhe escutar e aconselhar.
Conversar e botar pra fora e o primeiro e grande passo.

Rudinei comentou:

Marcela, não desista.
Meu filho se suicidou a 3 dias.
Existem grupos de apoio 24 horas disponíveis para conversas por telefone.
E ore. Ore muito.
Saiba que muitos estarão torcendo por vc, assim como eu que nem a conheço.
Abraço e fique em Paz.

Jorge comentou:

Oi, preciso muito de ajuda, ando muito triste e depressivo por um relacionamento que acabou recentemente, não como tem 7 dias, no meu trabalho as coisas não estão fluindo. Já tentei me matar algumas vezes. Tomei vários remédios misturado com bebida alcoólica, passei faca nos pulsos, e estou fumando três maços de cigarro por dia. Parece que essa tristeza não vai passar nunca. Moro com amigas e sinto que estou sendo um incomodo para elas, embora elas não saibam do que eu faço comigo. Moro no RJ

jaqueline comentou:

Tenho vontade de ficar deitada e morrer

Marcela Vasconcelos comentou:

Faz um tempo que estou a procura de tratamento, mais infelizmente em Recife - Pernambuco não há tratamento gratuito e eu realmente não tenho condições de pagar agora. Estou desempregada. Existem faculdades com núcleos de atendimento mas q cobram taxas simbólicas. Os CAPs daqui só aceitam usuário de drogas e ou pessoas em situação de rua.
Tenho 30 anos estou com a vida toda atrasada, cheia de problemas familiares, que terminam se misturando com os meus. Dependentes químicos na família.

Mary comentou:

Tenho problemas sérios ligados a família, me sinto como se não fosse importante. Meu casamento é desgastante, porém acredito que amo muito meu marido. Atualmente estou desempregada e desistindo do meu sonho de estudar, me sinto uma fracassada e inútil.
Estou diferente do que fui um dia, quase não tenho vontade de nada, me alimento compulsivamente, cada vez mais sedentária e sinto muito sono e cansaço. Nunca me senti tão impotente e tão desmotivada, meu marido diz que estou muito negativa!

respondeu:

Bom dia, Mary! A melhor solução é conversar com um psicólogo, profissional indicado para lhe ajudar com essa dificuldade. Nós do JS estamos junto a você em oração. A Mãe também lhe abraça e cuida de você com carinho. Abraços!

Meire comentou:

Eu sofro de tristeza profunda, melancolia, desânimo, insônia constantes, pensamentos negativos o tempo , dores de cabeça diárias, dores crônicas nas costas, dores de estômago, refluxo o tempo todo,ausências contantes do trabalho o que esta me prejudicando , nao consigo ter diálogos com a familia, amigos reduzidos. Acho que é depressão, ja consultei diversos médicos, psiquiatras, mas a impressão é que ninguém acredita nos meus sintomas. Ja tomeis diversos antidepressivos e nunca obtive sucesso.

respondeu:

Meira, bom dia! Procure um religioso ou um sacerdote para partilhar. Recomendamos ainda que procure um direcionamento médico. Estamos em oração por você. Abraços!

Júlia Alves Garcia comentou:

Oi , boa noite , não sei se estou realmente com depressão , mas pesquisei sobre e me encontrei em alguns sintomas como fome toda hora passo quase o dia comendo e mesmo comendo o suficiente ainda sim dá fome e se eu não comer muito fica triste ou nervosa , insônia levanto muitas vezes durante a noite e tenho sonhos com estupros, mostes violentas e perseguições , tenho 16 anos e me sinto muito cansada na maioria das partes meu corpo fica dolorido , fico nervosa muito fácil e sou impaciente. Me aj

adriana comentou:

sou uma pessoa com algumas "sindromes" desde pequena arranco os cabelos, rouo unha, estalos os dedos. e agora com 38 anos fiquei gravida sem planejamento numa recaída com meu ex. nao aceitei a gravidez porem mantive e estou muito triste acreditei que iria perder espontaneamente, mas ja estou no quarto mês. dias antes de descobrir que estava gravida estava passando por um estresse profissional e fiz a infeliz ideia de pedir demissao. ja estava muito sensivel devido a separação e agora tudo piorou

angela maria comentou:

estou com minha filha com depressao sintrome do panico ou estresse so sei que esta muito malnao sei o que fazer mais,pesso ajuda.

respondeu:

Boa tarde, Ângela Maria! A melhor solução é conversar com um psicólogo, profissional indicado para lhe ajudar com essa dificuldade. Nós do JS estamos juntos em oração. Deus abençoe.

Dayana comentou:

Oi estou entrando em uma depressão profunda, não consigo dormir mais uma noite inteira sem acordar pelo menos umas 5 vezes durante a madrugada, sinto uma fadiga muito grande , muita tristeza, irritabilidade , desejo de morrer . To suplicando por ajuda,não aguento mais.Queria muito conseguir me tratar em um hospital aqui de onde moro no Rio de Janeiro.

respondeu:

Olá, Dayna! Procure um religioso ou um sacerdote para aconselhar-se e partilhar sua vida. A oração é também uma grande aliada nessa situação. Recomendamos ainda que procure um direcionamento médico. Abraços!

Anônimo comentou:

Estou em depressão profunda e ninguém consegue me compreender. Não tenho ânimo e nem vontade de nada, sou advogado e isso tem atrapalhado minha profissional e pessoal.
Minha cidade é São José do Rio Preto-SP, existe algum lugar que eu possa buscar ajuda.

Grato.

respondeu:

Boa tarde! Esperamos que a matéria tenha ajudado. Procure um religioso ou um sacerdote para partilhar. Recomendamos ainda que procure um direcionamento médico. Abraços

alex comentou:

Gostaria de tentar mais uma vez ser um pouco feliz, mais não sei como . Já procurei saber sobre suicídio indolor e estou informado e já escolhi como será. Mais antes acho que devo á minha filha e filho a oportunidade de uma última tentativa. Não aguento mais . Muito cansado de verdade.

respondeu:

Alex, boa tarde! Apegue-se nesse amor que tem pelos seus filhos. Eles são uma grande missão que Deus designou a você aqui na terra. A oração também é uma ferramenta muito importante nos momentos de sofrimento e angústia. Procure um religioso ou um sacerdote para partilhar suas experiências. Recomendamos ainda que procure um direcionamento médico. Abraços!

Anônimo comentou:

Estou precisando de ajuda, sei que sozinha não consigo. Não tenho vontade de nada, a tristeza que sinto é inmensuravel. Tenho uma filha mora do eu e ela. Hoje me dou conta de que realmente não estou bem. Estou em São Paulo capital .

respondeu:

Bom dia! Aconselhamos que procure uma ajuda profissional. Aqui segue o site no Roberto Girola (robertogirola.com.br), psicanalista entrevistado na reportagem. Obrigado, abraços!

UBYRAJARA DE ALMEIDA SANTOS comentou:

Moro em Florianópolis-SC e não encontro tratamento de boa qualidade para Depressão, o SUS, só atende PSIQUIATRIA para casos muito graves. Como trato de Hepatite C através do Hospital, existe o atendimento cujo profissional é um mero dispensador de receitas, preciso de tratamento tanto PSIQUIÁTRICO COMO TERAPIA, sou aposentado por doença e o valor minimo pedido para tratamento PSIQUIÁTRICO no ano de 2014 era de R$400,00, valolr que não tenho a minima condição de pagar todo mês.

respondeu:

Bom dia, Ubyrajara! Agradecemos pelo contato e por dividir sua experiência conosco, mas sentimos muito que seja por esse motivo. Fica aqui o registro da sua situação, como modo de lhe dar alguma visibilidade, bem como para as pessoas que vivenciam o mesmo fato. Abraços!

raquel lopes do nascimento comentou:

PRECISO DE AJUDA, MAS MORO NO RIO DE JANEIRO, TENHO MEDO DE MULTIDÕES, BASTA TER UMA AGLOMERAÇÃO DE PESSOAS E EU ME SINTO SUFOCADA, O MEU QUARTO É O MELHOR LUGAR DO MUNDO PRA MIM HOJE.

respondeu:

Bom dia, Raquel! A melhor solução é conversar com um psicólogo, profissional indicado para lhe ajudar com essa dificuldade. Nós do JS estamos junto a você em oração. A Mãe também lhe abraça e cuida de você com carinho. Abraços!

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por *Eduardo Gois, em Jornal Santuário

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.