Cleverson Gouveia

Sob o manto da Mãe - Família Cleverson

"Agora chegou a minha vez, eu tenho que cumprir esse chamado."

Cleverson Gouveia

“É inesquecível para a gente estar aqui, porque o primeiro contato a gente nunca esquece, É muito emocionante. A gente vê pela TV, em fotografias, e tudo aquilo é lindo, é bonito, mas você estar presente é outro significado. É realmente inesquecível, toca demais o coração.

Eu confesso que fiquei arrepiado, emocionado, fiquei sem palavras, porque no primeiro momento a gente nem sabe o que dizer. Eu agradeci porque se eu tive essa oportunidade de estar aqui hoje é porque acredito que recebi um chamado e estou muito, muito emocionado. Muito feliz mesmo, é um momento que jamais vou esquecer. A gente sempre teve o desejo de vir para cá e tudo o que a gente faz por amor, e acredita, eu penso que vai dar certo, é o tempo de Deus. Eu fui sorteado, estou aqui hoje por isso, eu acreditei, e até falo para as pessoas: ‘Pague o dízimo’. Eu confesso que teve um período em que fiquei afastado e quando voltei, no primeiro mês fui agraciado e ganhei uma Bíblia.

A partir de então, eu nunca mais deixei de pagar (o dízimo) e quando o Santuário falou que tinha uma viagem, parece que me motivou mais ainda. Todo dia primeiro eu estava lá para pagar. Aí em dezembro quando paguei até brinquei com a menina da secretaria: ‘Olha, vim pagar minha passagem’ e ela sorriu. Em janeiro, dia 06, eu não havia ido à missa e me ligaram: ‘Você foi sorteado, você vai para Aparecida’. Nossa foi uma bênção inesquecível! Eu falei: ‘Agora chegou a minha vez, eu tenho que cumprir esse chamado’.”

Sob o manto da Mãe - Família Cleverson
Sob o manto da Mãe - Família Cleverson

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em TV Aparecida

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.