Arcebispo pede de fiéis mais do que "participação numérica" 

Novena da Noite
Novena da Noite

Corpo cansado e pés machucados, mas coração repleto de fé. Assim, milhares de romeiros chegam diariamente à Casa da Mãe Aparecida depois de um longo percurso. Rostos anônimos que se encontram em Aparecida por um mesmo e único sentimento: o de louvar e agradecer a Mãe de Salvador.

Neste Segundo Dia da Novena da Padroeira, o seu Roberto, de São Paulo (SP), foi um desses rostos, não mais anônimos, que encontramos ao redor do Altar de Aparecida.

Elisangela Cavalheiro.
Elisangela Cavalheiro.

“O meu intento de vir aqui é agradecer. Porque a gente recebe tanta coisa e esquece de agradecer. Então a minha intenção é essa, agradecer por todas as coisas que a gente recebeu, as boas e as ruins, porque até as ruins fazem com que a gente aprenda alguma coisa”, contou o peregrino que saiu de sua casa há dois dias. Seu Roberto não conseguiu fazer toda a caminhada a pé porque machucou o seu pé durante o percurso. Mas mesmo não conseguindo cumprir a promessa como queria, ele mostra a força que o conduziu até esse momento. “Eu não pensei em desistir nunca, dentro do meu coração eu não desisti”, disse.

Essa é apenas uma das histórias que se pode ouvir aqui no Santuário. Entre tantos rostos, vindos de tantos lugares, uma certeza: a de que a Mãe Aparecida é porto seguro e fiel para o coração que sofre.

O tema deste Segundo Dia da Novena: “Senhora Aparecida, das águas à graça batismal”, refletiu com o povo de Deus que pelo Batismo nos tornamos Igreja e comunidade de fé. E é esse sentimento que une os milhares de romeiros: a fé.

::Reveja os principais momentos do 2º dia da Novena da Padroeira

Contudo, a graça batismal indica uma missão, que despertada pela fé, deve resultar em gestos concretos. Foi o que refletiu o arcebispo de Pouso Alegre (MG), Dom José Luiz Majella Delgado, C.Ss.R., em sua homilia.

“Hoje, neste Segundo Dia da Novena da Padroeira, peçamos a Maria que nos ajude a reanimar o nosso Batismo, como pertença à comunidade dos fiéis. Não apenas uma participação numérica, mas uma presença efetiva de discípulos missionários”, exortou o arcebispo.

A entrada da Imagem de Nossa Senhora Aparecida ocorreu de forma tocante, com a presença de diversas mães com seus bebês ao colo, e o carro andor com uma mãe gestante, recordando a presença materna de Maria que revela a ação do Espírito Santo, que no dia do Batismo recebemos.

Participaram da celebração, membros da Fazenda da Esperança e do grupo Gen Rosso. Esse último, encerrou a Novena com uma bela homenagem no momento da entrega das flores. O grupo internacional está no Santuário para apresentar o espetáculo “Streetlight”, nos dias 06 e 07 de outubro. [veja mais informações]

Veja a emocionante entrada da Imagem: 


Novena da Tarde
Novena da Tarde

Do alto do trono das simples mãos dos pescadores, a pequena imagem de Aparecida permeia o olhar circundando todo o Santuário repleto de devotos. Assim se iniciou a Novena da Tarde que, neste segundo dia (02) da Festa da Padroeira, refletiu o tema: “Senhora Aparecida, das águas à graça batismal”.

O presidente da celebração Dom José Luiz Majella Delgado, C.Ss.R, Arcebispo de Pouso Alegre-MG, recordou que o banho na água batismal é a maneira de expressar o início de uma nova identidade: “Este renascimento é o Batismo que Cristo concedeu à Igreja a fim de regenerar os homens a uma vida nova”.

Dom Majella destacou também a importância da simbologia da água na Bíblia. “Cristo nunca aparece sem a água”, afirmou lembrando os grandes milagres de Jesus, como quando transformou água em vinho e quando andou sobre as águas. Da mesma maneira, recordou o bispo, foi das águas que também apareceu a pequena imagem milagrosa.

Ivan Simas
Ivan Simas
Maria Auxiliadora, 73 anos, Guaratinguetá (SP)

E milagres até hoje são marcados pela água que se faz lágrimas nos olhos dos milhares de devotos que vem a Aparecida, como de Maria Auxiliadora, 73, da cidade de Guaratinguetá (SP), que há nove anos participa todos os dias da Novena da Padroeira.

Emocionada, conta que teve complicações no nascimento do primeiro filho. Foram 36 horas de trabalho de parto. “Eu prometi então pra Nossa Senhora Aparecida que Ela seria , além de Mãe, madrinha dele e de todos os meus filhos. E até hoje, todos eles são saudáveis, não têm um problema de saúde”.

Hoje, as preocupações são outras, mas as intenções continuam a ser pela sua família. Há anos, Maria auxiliadora foi atendida e hoje continua a dizer: "Ela me atendeu e continuo a acreditar vai me atender novamente e só peço que Ela me dê forças pra que enquanto eu viver, eu possa continuar vindo".

::Está vindo em romaria ao Santuário Nacional? Partilhe sua experiência de fé.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.