Santuário encerra Novena e vive a expectativa para o Jubileu

Novena da Noite
Novena da Noite
Thiago Leon
Thiago Leon
Devotos participam intensamente do 9º dia da Novena Solene da Padroeira.

Foi em clima de alegria e oração que o Santuário de Aparecida celebrou nesta segunda-feira (9), o último dia da Novena Solene em preparação as festividades do grande Jubileu dos 300 anos, que terá início nessa terça-feira, dia 10.

Os nove dias de celebração recordou os principais momentos dos três séculos de história da Padroeira do Brasil, homenageando as pessoas que fizeram parte da difusão da devoção à Mãe Aparecida.

“A novena esse ano foi bastante oracional e esse era o desejo nosso, que fosse um momento muito forte de oração do povo de Deus. Os pregadores vieram coroar esse momento oracional, colocando a devoção a Nossa Senhora como um grande louvor a Deus, mas também como um compromisso de fé e de vivência em sociedade, tanto a tarde com os bispos redentoristas, quanto à noite com os bispos convidados pelo dom Orlando”, avaliou o reitor do Santuário, padre João Batista de Almeida.

O reitor frisou também, a importante participação dos devotos, que segundo ele, colocou o coração em oração. “O povo contribuiu e muito com a sua presença, com a sua animação e posso dizer com toda certeza também, com o seu momento de silêncio. O povo soube calar na hora em que precisava fazer silêncio para o coração rezar, e foi muito bonita a Novena esse ano.”

Durante os nove dias, foram mais de duzentos voluntários nas coreografias, 50 pessoas na produção dos carros andor, 17 bispos celebrantes, e diversos sacerdotes concelebrantes, além de toda a equipe de liturgia e colaboradores do Santuário Nacional que direta ou indiretamente estiveram envolvidos na organização de todas as celebrações, para que tudo saísse perfeito e o povo pudesse se preparar bem para as festividades nos dias 10, 11 e 12 de outubro.

“Nós escolhemos três dias de festa para celebrar em cada um deles, um centenário da aparição de Nossa Senhora no rio Paraíba do Sul. E nós estamos com uma expectativa muito positiva, porque o povo com certeza vai estar presente nesse momento e nós vamos poder prestar a homenagem a aqueles que fizeram essa história, a começar dos pescadores e todos os devotos que ao longo da história foram construindo capelas, organizando festas, que foram fazendo com que a devoção a Nossa Senhora Aparecida se espalhasse Brasil a fora”, fala com alegria o reitor do Santuário.

9º dia Novena
A Novena Solene refletiu nesse 9º dia o tema ‘Senhora Aparecida: das águas aos 300 anos de bênçãos do céu'. A celebração foi conduzida pelo Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes.

Após a entrada solene da imagem da Mãe Aparecida o representante do papa, o Cardeal italiano Giovanni Battista Re, entregou ao Arcebispo de Aparecida a Rosa de Ouro, presente do papa Francisco pelos 300 anos da Padroeira do Brasil.

“O Papa Francisco, para além de representá-lo nesta celebração incumbiu-me também de trazer uma Rosa de Outro como símbolo de sua devoção a Rainha e Padroeira do Brasil e como expressão do seu carinho pelo povo brasileiro”, apresentou o legado pontifício durante a sua declaração.

O cardeal anunciou também, que na Missa Solene do dia 12 de outubro, às 9h30, o Papa Francisco enviará uma mensagem a todo o povo brasileiro. “Na cerimônia de encerramento deste Jubileu, o Santo Padre de Roma se juntará a nós através da televisão e teremos a alegria de ver e ouvir a sua voz”.

Festa Jubilar
Nos próximos dias, o Santuário estará em festa com uma programação repleta de celebrações, procissões e shows em homenagem aos 300 anos de bênçãos e de graças do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Destaque para o dia 11, quando a Mãe Aparecida será presenteada com a revelação da Cúpula Central.

“No dia 11 nos queremos dar um grande presente a Nossa Senhora, que é a coroa do seu Santuário, a Cúpula, e vai ser para nós um momento bastante emocionante e um presente que vai ficar para a história”, afirmou padre Joao Batista.

No dia 12, o dia oficial da Padroeira do Brasil, os devotos recordaram o caminho que Nossa Senhora Aparecida fez até se tornar símbolo nacional da fé, com uma procissão saindo do Porto Itaguaçu até o Santuário.


Novena da Tarde
Novena da Tarde

O último dia da Novena da Padroeira trouxe na celebração da tarde o tema: "Senhora Aparecida das águas aos 300 anos de bênçãos do Céu" e quem celebrou foi o bispo da Diocese de Pesqueira (PE), Dom José Ferreira Salles.

Neste 9º dia, os funcionários da Editora Santuário e da Rede Aparecida de Comunicação marcaram presença para celebrar junto aos romeiros e devotos presentes no Santuário Nacional.

Na procissão de entrada, o carro andor com a Imagem de Aparecida trouxe uma homenagem às famílias Alves, Pedroso e Garcia, com a participação de pessoas descendentes dos três pescadores. Outras famílias tradicionais e muito antigas na cidade também foram homenageadas.

Ivan Simas
Ivan Simas
Famílias Alves, Pedroso e Garcia são representadas durante entrada do carro andor

Dom Salles, reforçou pontos marcantes e muito importantes dentro do contexto dos 300 anos. “Não tem como não ficar emocionado, não tem como o coração não bater mais forte por tantas graças e bênçãos”, declarou.

O Bispo aborda de maneira muito contundente sobre a contínua realização de milagres e transformações nesses 300 anos. “Muitas famílias recuperadas, muitos corações reconciliados. Quantos irmãos tinham deixado a vida cristã e ao se encontrar com Aparecida reassumem a sua vida de fé de Igreja? Quantas vezes vi em rostos lágrimas que caem e sorrisos que brotam dos lábios?”, questiona.

Ele não deixou de frisar, neste último dia, questões relativas ao atual momento político da sociedade, seja a corrupção, a violação ou violações de direitos dos trabalhadores e dos povos indígenas. “Precisamos da benção pra transformar política em uma imensa benção de caridade, e não uma ferramenta para viver sob as custas dos mais pobres e enfraquecidos. Devemos ter a capacidade de discutir e participar da vida política, para que sejamos vigias fiscalizadores daqueles que estão no poder e não apenas expectadores e lamentadores”, acrescenta.

A Igreja em saída, samaritana e misericordiosa, também não foi esquecida. Em um mundo marcado pela violência, segundo o bispo, não é armando o povo e construindo cadeias que se constrói uma sociedade, e, sim, com educação e justiça social.

O cuidado com a Casa Comum também é dever de todos e durante a homilia, Dom Salles, citou a situação dos rios brasileiros, da seca no nordeste, além do ciclo migratório que intenta fazer os povos construírem barreiras e muros.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.