Por Pe. José Carlos Pereira Em Artigos

Anjos existem

Não tenho dúvidas de que Anjos existem. Eles estão por toda parte estendendo a mão, ajudando, protegendo. Não são seres alados, isto é, não possuem asas, mas possibilitam que muitos possam voar. Seus nomes? Podem ser Miguel, Gabriel, Rafael... Maria, João, José, Socorro, Graça, Carlos, Fabrício, Alexandre, César, Marina, Arthur, Paulo, Inês, Rosana, Mário, Eduardo... Não importa. O que importa é o que fazem e como fazem para a vida dos outros ficar melhor.

Todo mundo traz um anjo dentro de si, mas não são todos que permitem que esse anjo se manifeste. Eu posso garantir que já tive a graça de ter no meu caminho muitos anjos. De alguns nem sequer lembro o nome, mas não esqueço o que eles fizeram por mim, ou o que me fizeram sentir. Anjos que me ajudaram em momentos difíceis, que apontaram caminho, que me acolheram e me ajudaram a subir degraus; anjos que estiveram comigo nos momentos em que eu mais precisava, ou quando corria perigo; anjos que, como Miguel, revelaram sua parcela divina; que semelhantes a Gabriel, souberam mostrar a força de Deus; e que idênticos a Rafael, souberam curar e enfaixar feridas.

Eles estão no meio de nós, mas nem sempre os enxergamos. Às vezes, pela dureza do nosso coração, temos mais olhos para os "demônios" do que para os anjos, e deixamos de enxergar quantos "anjos" nos cercam. Mas eles estão aí, por toda parte, em todos os lugares, inclusive perto de nós. Às vezes dentro de casa, no trabalho, na escola, nas ruas, nos lugares de lazer, nos hospitais, nas igrejas, e até mesmo nos lugares que não fazemos a menor ideia que ali possam existir anjos... Eles estão aqui, ali e em todos os lugares, com seus corações abertos, sempre prontos a ajudar alguém, a fazer o bem.

Um anjo que encontrou a carteira perdida e a devolveu intacta; um anjo que deu um prato de comida ou um copo de água a um faminto ou sedento; um anjo que cedeu o lugar no ônibus; um anjo que ajudou uma pessoa idosa ou com dificuldade a atravessar a rua; um anjo que todos os dias faz o seu trabalho mais com amor que pelo salário, porque ama aqueles a quem serve; um anjo que lhe deu um conselho, disse uma palavra amiga, que o ouviu na hora da dor; um anjo que o atendeu bem no hospital, na repartição pública, na loja ou em qualquer outro lugar; um anjo que se tornou seu amigo ou amiga e encheu sua vida de companhia, dissipando a solidão; um anjo que o gerou e o protegeu enquanto pode; anjos que ensinaram a outros a serem anjos, através do seu amor e do seu exemplo.

Neste dia, procure olhar atentamente a sua volta e identificar os anjos que o cercam. Faça uma prece por eles. Agradeça a Deus eles existirem, e serem tão bondosos, que iluminam o mundo e o fazem ser melhor.

Seja você também um anjo na vida de seus irmãos. Proteja, cuide, ame, faça o bem sem olhar a quem. Quando assim procedemos, somos anjos para nossos irmãos e para o mundo. Não é só o céu que precisa de anjos para ser o céu. O mundo precisa muito de anjos para não se tornar num inferno. Quanto mais anjos existirem no mundo, mais o mundo se aproximará do céu.

Gosto daquela imagem clássica de um anjo com grandes asas protegendo duas inocentes crianças à beira do abismo. Essa imagem revela bem o que é ser anjo. Anjo é aquele que protege os que correm perigo, os que estão à beira dos abismos da vida. E nem sempre eles são visíveis. Aliás, os melhores anjos são os invisíveis, são aqueles que fazem as coisas sem aparecer.

Não esqueçamos nunca: somos sempre crianças à beira do abismo e precisamos de anjos que nos protejam. Precisamos de anjos que nos ajudem a enxergar o bom caminho e desviar dos perigos. Precisamos de anjos que convertam em anjos os que ainda não despertaram para o bem, para o amor ao próximo, para as coisas de Deus.

Prometo me esforçar para deixar que o anjo que habita em mim se manifeste através de meus atos, palavras, pensamentos e orações. Talvez eu não possa fazer muito, mas o pouco que eu fizer será oriundo do mais profundo do meu ser e será de coração.

Padre José Carlos Pereira, CP é sociólogo e escritor de mais de 50 livros

Escrito por
Pe, José Carlos Pereira
Pe. José Carlos Pereira

Padre José Carlos Pereira, CP é sociólogo e escritor de mais de 50 livros

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.