Por Roberto Girola Em Artigos

Casamento: Por que a separação se tornou um fenômeno comum?

27_2

A separação se tornou um fenômeno bastante comum na maioria dos países do hemisfério ocidental, chegando a representar quase 50% dos matrimônios celebrados em alguns deles. A própria Igreja Católica que tradicionalmente mantinha em relação a esse tema uma posição bastante rígida se viu obrigada a rediscutir suas práticas pastorais no último Sínodo convocado pelo Papa Francisco, causando bastante polêmica nos setores mais conservadores.

O casamento está de fato enfrentando uma crise, obrigando os que se casam a reinventá-lo, para que ele possa sobreviver aos desafios apresentados pelas mudanças da sociedade contemporânea. Algumas são bem conhecidas: mudanças das relações de gênero, inserção cada vez mais profunda da mulher no mundo do trabalho, exigências da sociedade de consumo, mudanças na compreensão dos papéis masculinos e femininos que, no entanto, não resultaram ainda na solidificação de novos modelos. Tudo isso sem contar o casamento encarado como um mero “produto” de consumo, no qual os jovens investem energias e consideráveis quantidades de dinheiro, dispostos porém a “trocá-lo” com bastante facilidade para um “produto” novo.

As dificuldades do casamento - As dificuldades que o casal enfrenta para conduzir o seu casamento, embora sejam absolutamente previsíveis, ameaçam a sua estabilidade, sobretudo quando o casamento é encarado como algo que vem pronto e que apenas deve ser “mantido”. Na realidade, o casal moderno é desafiado a “construir” e “reinventar” o seu casamento no dia a dia, sem poder recorrer a sólidos modelos pré-construídos.

Relacionamento e rotina diária - O cansaço da rotina diária, os compromissos cada vez mais exigentes da vida profissional e a facilidade com a qual as pessoas hoje podem se relacionar virtualmente e no trabalho com sempre novos parceiros, ameaçam de fato a estabilidade dos vínculos amorosos.

Vale a pena manter o casamento? - Uma pergunta surge então para a maioria dos casais diante das primeiras dificuldades: “Vale a pena manter este casamento”? A resposta não é nunca fácil e seja qual for o seu desfecho sempre envolve algum tipo de sofrimentos para o casal e para os filhos. Este é um fato frequentemente esquecido. Mesmo quando há um consenso sobre a necessidade da separação isto não significa que ela seja fácil. Da mesma forma, não é fácil a reconstrução de um lar no segundo ou terceiro casamento. As histórias anteriores do casal não podem ser “apagadas”. Elas irão pesar sobre os novos vínculos e deverão ser devidamente “processadas” sem ilusões.

Roberto Girola é psicanalista e terapeuta familiar

 Veja também:

Escrito por
Roberto Girola
Roberto Girola

Roberto Girola é psicanalista e terapeuta familiar

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.