Por Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R. - Jornal Santuário Em Artigos Atualizada em 06 FEV 2020 - 11H08

Compaixão X indiferença


Shutterstock
Shutterstock


O amor é uma prática concreta. Não basta dizer que ama, ou saber que é bom amar, ou ainda considerar o amor algo bonito. É preciso amar de forma concreta, com ações concretas. Jesus nos deixa esse ensinamento na parábola do bom samaritano (Lc 10,25-37). Esse trecho bíblico foi escolhido para iluminar a reflexão da Igreja no Brasil para a Campanha da Fraternidade 2020: “Fraternidade: dom e compromisso”.

Chama atenção na parábola o fato de o samaritano não ter sido indiferente à dor daquele irmão que, caído à beira do caminho, precisava de sua ajuda. Ele se arriscou, afinal de contas, não sabia se era uma armadilha, ou se os assaltantes estavam por perto. Preferiu correr o risco: movido por compaixão, cuidou daquela pessoa desconhecida, colocou-a em seu animal e a levou para um lugar seguro, inclusive se comprometendo a voltar depois para pagar as despesas. Ou seja: não foi indiferente. Envolveu-se e assumiu um compromisso de vida com aquele irmão, até então, um estranho.

.:: Acesse aqui a página especial da Campanha da Fraternidade 2020

Como lembra o Papa Francisco: “A globalização da indiferença nos tirou a capacidade de chorar”. Na verdade, somos capazes de chorar por causa de um emocionante filme, de uma novela ou mesmo de um programa de televisão no domingo à tarde. Mas incapazes de ter compaixão para com o irmão que encontramos sofrendo ao longo de nosso caminho.

Grandes ações de evangelização e solidariedade nascem desse sentimento. Foi o que fizeram Santa Dulce dos Pobres, em Salvador (BA), dom Helder Câmara, no Rio de Janeiro (RJ) e em Recife (PE). E faz o Padre Júlio Lancelotti, em São Paulo (SP), e outros tantos menos conhecidos. Seguem o que Jesus pede: “Vá e faça a mesma coisa”.

Que a Campanha da Fraternidade 2020 possa nos ajudar a refletir sobre ter compaixão para com as pessoas que precisam de nós. E que a penitência quaresmal nos livre da indiferença. Para isso, vamos trazer para nosso dia a dia aquilo que pedimos em oração: “Jesus, manso e humilde de coração: fazei o nosso coração semelhante ao vosso!”

Escrito por
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R.
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R. - Jornal Santuário

Missionário Redentorista da Província de Goiás

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.