Por Pe. José Carlos Pereira Em Artigos

Conquistas

Nada na vida é conquistado sem esforços. O que se obtém sem esforços não é conquista e por isso nem sempre é valorizado. Um pai ou mãe que dá tudo pronto para seus filhos, crendo que estão ajudando e educando, terão grandes chances de terem filhos que não valorizarão o que têm e nem as pessoas, e ainda poderão se voltar contra os pais, pois crescerão achando que todos têm de lhes dar tudo. Formam-se, assim, pessoas egoístas e prepotentes, acomodadas e sem iniciativas próprias, que não respeitarão o seu próximo e nem o meio em que vivem. Os próprios pais acabam se tornando vítimas daqueles que eles criaram com boas intenções. Quantos pais amargam ver seus filhos irem para o caminho das drogas e da violência e se perguntam “onde foi que eu errei?”.

É comum hoje as famílias terem apenas um filho com a boa intenção de poder dar a esse o melhor: a melhor casa, a melhor roupa, os melhores brinquedos, melhor escola, a melhor comida, enfim, os maiores confortos, e ainda dizerem: "tudo o que não tive quero dar a meu filho". Pobre mãe e pobre pai! Querem ver realizados nos filhos os seus sonhos e desejos não realizados, sem saber que esse não é o melhor procedimento. Eles não entendem que, embora sejam seus filhos e os amem muito, seus filhos são outras pessoas, diferentes do que eles foram.

Uma coisa é certa: dar tudo pronto, tudo resolvido, não é educativo. Pelo contrário, não ajuda as pessoas a crescerem com responsabilidades. A Bíblia está repleta de ensinamentos desta natureza. Moisés, para conseguir realizar seu sonho de ter terra e descendência, teve que passar por muitos sofrimentos. Ele não conseguiu tudo o que teve num passe de mágica. Foi preciso muito empenho e muita renúncia; Jesus não deu o peixe frito para os seus discípulos, mas ensinou-os a pescar, mostrando onde jogar a rede. Não dispensou a multidão quando essa sentiu fome, mas ensinou a partilhar o pouco que tinha. As pessoas que tiveram grandes conquistas na vida tiveram que "ralar" muito para consegui-las Não pensem que as pessoas que venceram na vida e galgaram os degraus do sucesso conseguiram tudo com facilidade! Cada um tem sua história de luta e dedicação. Muitos tiveram que “comer o pão que o diabo amassou” para chegar aonde chegaram.

Assim, a pedagogia divina é fundamental para a educação de filhos, de alunos e de qualquer pessoa. Ajudar o próximo não é dar tudo pronto, mas ajudar a pessoa a encontrar seu caminho e conquistar seus sonhos. Isso se faz com ensinamentos, com exemplos e não simplesmente fazendo todas as vontades. Deus não faz isso conosco e, às vezes, agimos como filhos mimados, querendo que Deus atenda todos os nossos pedidos, sem nos esforçarmos para que aquilo que sonhamos, ou pedimos, aconteça.

O bom pai ou a boa mãe não é aquele que faz todas as vontades dos filhos, mas os que sabem dizer sim e não na hora certa; que tem autoridade sem ser autoritário; que ama, e por amar quer o bem, e por querer o bem não faz todas as vontades e caprichos dos filhos, mas ensinam que as conquistas custam empenho e dedicação. O bom professor não é aquele que dá respostas, mas o que ensina a fazer perguntas, os que ensinam os alunos a pensarem e buscarem as suas próprias respostas. Professor que dá respostas não é um bom professor. O bom professor ensina os alunos a encontrarem as respostas, dando apenas as ferramentas e os procedimentos para que eles as encontrem.

Um mundo melhor se constrói com pessoas que pensam seus próprios pensamentos e constroem os seus próprios caminhos. E esse caminho nem sempre será uma estrada larga e isenta de obstáculos, mas sim, uma via estreita, íngreme e com degraus a serem galgados. Degraus que ninguém subirá por nós, por mais que nos amem. Somos nós que construímos e trilhamos nossos próprios caminhos, sejam eles quais forem. As pessoas podem e devem estender a mão uma as outras para ajudar a subir, mas se não houver esforço da parte de cada um, ficar-se-á estacionado nos primeiros degraus.

Só completa esse caminho quem se esforça, quem é perseverante e não desanima nem desiste diante dos obstáculos. Muitos dão a largada nessa corrida da vida, mas poucos conquistam o pódio da vitória. Isso nos faz lembrar a passagem bíblica, "muitos são chamados, poucos são os escolhidos". A escolha não é de quem chamou, a escolha é de quem quer de fato ser escolhido, ou seja, de quem responde com solicitude a esse chamado.

Padre José Carlos Pereira, CP é sociólogo e escritor de mais de 50 livros

Escrito por
Pe, José Carlos Pereira
Pe. José Carlos Pereira

Padre José Carlos Pereira, CP é sociólogo e escritor de mais de 50 livros

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Carolina Alves, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.