Por Deniele Simões Em Notícias

Capela Menino Jesus de Praga é reaberta em São José dos Campos (SP)

Os devotos do padre Rodolfo Komorek, em São José dos Campos (SP), voltaram a contar com o espaço que tinham para rezar e pedir a intercessão do venerável. A Capela Menino Jesus de Praga, em São José dos Campos, foi reaberta ao público no dia 12 de agosto, após passar por uma ampla reforma.

O templo abriga os restos mortais de padre Rodolfo, que é muito venerado na região do Vale do Paraíba e passa por processo de beatificação. Segundo o secretário da causa de beatificação, irmão Alberto Gobbo, a intenção é que as obras fomentem a devoção ao venerável.

Foto de: Divulgação / Diocese de São José dos Campos

Capela Pe. Rodolfo Komorek - Divulgação Diocese São José dos Campos

Fachada da capela reaberta, que deve receber devotos do venerável, padre Rodolfo Komorek

 

“A gente espera que volte o tempo que vinham peregrinações aqui, porque o número de peregrinos e de visitas pesa muito positivamente no processo”, explica.

Segundo ele, a visitação ao túmulo de padre Rodolfo sempre foi uma tradição na cidade. “Lá no cemitério do centro, nunca ficou sem flores e velas e, quando os restos mortais vieram para cá, o pessoal começou a trazer também”, conta.

Com a reabertura da capela, haverá uma programação especial dedicada ao venerável, com missas todas as terças-feiras, às 15 horas. Uma vez por mês a celebração será em latim, como acontecia na época em que padre Rodolfo exerceu o ministério sacerdotal.

As obras de reforma foram possíveis graças à realização de uma campanha para a arrecadação de fundos, promovida pela paróquia Sagrada Família, à qual a capela pertence.

De acordo com irmão Alberto, a reforma era necessária, porque o teto e o telhado estavam comprometidos e havia cupins até nas paredes. Além disso, os restas mortais do venerável estavam em um túmulo dentro da capela, que dificultava as celebrações.

Com a reforma, os restos mortais do padre Rodolfo passaram por uma segunda exumação e foram colocados na parede esquerda, ao lado do altar central. No lado direito está a imagem do Menino Jesus de Praga, que foi restaurada.

Foram instalados ainda 26 novos bancos, 16 vitrais, um mosaico na entrada e sistema de som e ar-condicionado e som. O projeto prevê a instalação de uma fonte e de uma cruz iluminada na parte externa, que estão praticamente concluídas, e a construção do museu e relicário do padre Rodolfo Komorek, ainda sem previsão de entrega.

Passos para a beatificação

Padre Rodolfo Komorek foi um missionário salesiano de origem polonesa que viveu no Brasil por 25 anos, dos quais nove em São José dos Campos. Mesmo vitimado pela tuberculose, o religioso dedicou-se aos pobres e aos doentes e daí surge a fama de santidade.

Segundo irmão Alberto, há pelo menos sete mil graças alcançadas pela intercessão do sacerdote polonês, mas até a canonização o processo ainda é longo. O processo tramita no Vaticano e é acompanhado pela Congregação Salesiana.

Quando uma causa é iniciada, o candidato recebe o título de Servo de Deus. Depois, vem a fase das virtudes ou martírio, em que a vida do postulante é investigada. Ao terminar essa fase, a pessoa é considerada venerável, que é o caso de padre Rodolfo.

A próxima fase é a comprovação de um milagre, para que o postulante seja beatificado. Após a beatificação, se for comprovado um segundo milagre, o candidato é canonizado.

A diocese de São José dos Campos tem três processos de beatificação em andamento: padre Rodolfo Komorek, madre Teresa do Jesus Eucarístico e o mártir leigo Franz de Castro.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.