Por Allan Ribeiro Em Notícias

Convivência reúne vocacionados antes da vida em comunidade

“Deixar tudo para ganhar tudo.” A exemplo de Santo Afonso Maria de Ligório, que deixou de lado a própria vida para se dedicar aos doentes e miseráveis, jovens vocacionados se mostram dispostos a isso. Entre os dias 3 e 9 de janeiro, 34 candidatos participaram da última etapa do processo de acompanhamento no Seminário Santo Afonso, em Aparecida (SP). A experiência foi uma prévia de parte da realidade que será vivida por eles no dia a dia do seminário.

A convivência reúne jovens de diversas regiões do estado de São Paulo, sul de Minas Gerais e interior do Rio de Janeiro. Durante toda a semana, eles passam por atividades como momentos de oração, reflexão, retiro, partilha de experiências, palestra, entrevista com o orientador, esporte, entre outros.

Foto de: Allan Ribeiro/JS

encontro_vocacional_3_1

Convivência é última etapa antes da vivência no seminário

 

A cada dia, um tema é apresentado e uma dimensão do chamado é trabalhada. Essa dinâmica conduz o vocacionado a conhecer com maior profundidade a maneira de evangelizar da Congregação, garantindo, ao fim do encontro, uma visão ampliada da missão. “Essa convivência define o começo de uma nova experiência no seminário. Até aqui ele é vocacionado. A partir daqui ele passa a ser seminarista. Não muda muita coisa, mas muda a experiência”, explica o promotor vocacional irmão João Batista de Viveiros.

Após percorrer um longo caminho em vista do discernimento vocacional, participando de diversos encontros ao longo do ano anterior e sendo acompanhado de perto pelo Secretariado Vocacional Redentorista, os candidatos participam dessa última convivência antes de ingressarem na Congregação. O momento é decisivo para que os candidatos definam se estão maduros o suficiente e se encaixam-se no carisma Redentorista.

Foto de: Allan Ribeiro/JS

encontro_vocacional_2_1

Orlando Augusto: “O que me chama a 
atenção no carisma Redentorista é a
vida em comunidade”

Ao final da convivência, os orientadores vocacionais anunciam aos jovens se eles têm as características necessárias para a vida no seminário. Caso não sejam escolhidos, os candidatos são convidados ou a um tempo de espera, ou a assumir a vida como leigo na comunidade em que participam. “A convivência é importante não só para quem vai entrar, mas também para quem não vai entrar. Isso vai fazer a pessoa definir e clarear a inquietação que existe dentro dela. Por isso, ela conclui essa primeira etapa”, expressa o religioso.

Por ano são realizados pelo menos dois encontros vocacionais Redentoristas. O evento acontece na comunidade mais próxima da residência do candidato para facilitar a participação. No segundo semestre, o jovem participa de um retiro para que possa rezar pela vocação e aprofundar-se no discernimento. Por último ocorre a convivência vocacional de uma semana.

A missão do Secretariado Vocacional Redentorista é ajudar os vocacionados a colocar-se nessa dinâmica, acolher e responder ao chamado de Deus. Todo o tempo de acompanhamento é significativo para que bem antes de assumir o processo de formação dentro de um seminário, o candidato tenha uma visão ampla de como será o seu dia a dia.

Expectativas 

 

Passar toda semana a falando de vocação é algo magnifico para Marcio Wesley dos Santos Gusmão, 24 anos. Morador da cidade de Lorena (SP), para o jovem a experiência de estar no meio dos outros vocacionados e religiosos partilhando expectativas é motivador e rico.

O primeiro contato dele com o carisma Redentorista se deu durante a confissão, no Santuário Nacional, quando foi convidado a conhecer um pouco mais sobre a Congregação. Depois de algumas pesquisas, o jovem sentiu-se chamado a vida em comunidade. “Quando vi já tinha mandado o e-mail”, conta o rapaz que anteriormente fazia acompanhamento vocacional com outra congregação. O que mais lhe atraiu foi a oportunidade de levar a Copiosa Redenção aos mais pobres.

Foto de: Allan Ribeiro/JS

encontro_vocacional_1_1

Márcio Wesley: “Se a vontade de Deus for
a minha entrada eu estarei feliz e, se não
for, também estarei feliz”

“Eu estou confiante. Penso que tem de ser primeiro a vontade de Deus. Se a vontade de Deus for a minha entrada eu estarei feliz e, se não for, também estarei feliz. Penso em seguir a vontade do meu Senhor que é o mais importante”, conta o candidato sobre as expectativas antes de receber a resposta se irá ingressar no seminário.

Há um ano e dois meses se comunicando com o Secretariado Vocacional, Orlando Augusto Silva Cassiano, 18 anos, desde pequeno esteve próximo ao carisma Redentorista por meio dos meios de comunicação do Santuário. Mas, foi em 2013 que o vocacionado teve uma experiência mais profunda com a Congregação durante a realização das Santas Missões na cidade onde vive, Santa Rita do Sapucaí (MG). “Pude ver como é a vida e o carisma deles. Aquilo me encantou. Foi então que falei que a Congregação era meu lugar”, relembra.

Para o jovem, o encontro é importante para tirar várias dúvidas, assim como aprender coisas novas sobre a vida em comunidade. Filho único, ele conta com o total apoio da família. Orlando anseia essa vivência coletiva de poder dividir e partilhar momentos com outras pessoas, que assim como ele, carregam a mesma missão.

“O que me chama a atenção no carisma Redentorista é a vida em comunidade, viver como irmãos e deixar tudo para anunciar o Reino de Deus para as pessoas que mais precisam, para os pobres, abandonados que estão distanciados desse caminho” coloca o vocacionado.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.