Por Jornal Santuário Em Notícias

Diocese de Mogi das Cruzes ganha Santuário

A Diocese de Mogi das Cruzes celebra a elevação de mais um Santuário Diocesano, este, dedicado a Cristo Amor Misericordioso. No dia 8 dezembro passado, o bispo diocesano, dom Pedro Luiz Stringhini, aproveitou a ocasião do Ano Santo da Misericórdia, para já fazer a abertura da Porta Santa no novo Santuário. A capela foi escolhida para se tornar Santuário Diocesano por conta do Ano Santo da Misericórdia, já que recorda a devoção ao Amor Misericordioso.

Foto de: Divulgação

santuario_misericordia

Novo Santuário está em Mogi das Cruzes (SP)

 

O bispo cita que a capela já existia na localidade e havia a intenção de torná-la uma paróquia ou um santuário. “O que muda é que haverá um atendimento maior, uma presença maior dos padres Filhos do Amor Misericordioso, e claro, para o povo, um entusiasmo ainda maior, de ter a Porta Santa aberta nesse santuário, como uma referência maior na diocese”, explica dom Pedro.

O início da propagação da devoção a Cristo Amor Misericordioso no Brasil aconteceu com a chegada do sacerdote italiano, padre Orfeu Miatto, em 1976, quando se instalou na cidade de Mogi das Cruzes (SP). O presbítero, já falecido, era religioso da Congregação Filhos do Amor Misericordioso (FAM) e foi o grande responsável por propagar a devoção naquela localidade.

Para dom Pedro a comunidade local acompanhou desde o início a história do Santuário e vê concretizado agora um grande sonho do padre Orfeu. O Amor Misericordioso é representado na imagem de Cristo crucificado. No entanto, é diferente da maioria das imagens que traz Jesus morto e desfigurado da Sexta-feira Santa, pois a beata Madre Esperança de Jesus pediu para esculpir conforme o modelo visto em uma revelação e mostra Jesus ainda vivo, com o olhar sereno para o céu, suplica: “Pai, perdoa-lhes!”. No peito é visível o coração com a palavra Charitas – é o Cristo Rei, o Mediador, o Senhor da história, que irá ressuscitar no Domingo da Páscoa. Atrás da cruz é bem visível uma grande hóstia que nos recorda que em cada Eucaristia revivemos o mistério pascal. Aos pés da cruz, lemos as Palavras do Evangelho: “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. O Cristo vivente, a Eucaristia e a Palavra são as três características deste original crucifixo e síntese da mensagem divulgada pela Bem-aventurada e pela família religiosa. O crucifixo original foi feito pelo escultor italiano Lorenzo Coullout Valera e no novo Santuário Diocesano há uma réplica, que também veio da Itália.

A Igreja Cristo Amor Misericordioso, em Mogi das Cruzes, foi consagrada pelo então bispo diocesano, dom Paulo Mascarenhas Roxo, Opraem, no dia 21 de novembro de 1999, e pertence à Paróquia Imaculado Coração de Maria, do bairro Jardim Universo, em Mogi das Cruzes. A comunidade nasceu há mais de 35 anos (a pedra fundamental foi colocada no dia 24 de dezembro de 1978).

Dom Pedro comenta que a oportunidade de elevar a condição de Santuário um lugar tão especial, no mesmo dia da abertura do Ano da Misericórdia, pois ensina que todas a Igreja tem de ficar de portas abertas, conforme os ensinamentos do Papa Francisco. “Já é um esforço que a Igreja vem fazendo desde João Paulo II, com o apelo de avançarmos para águas mais profundas, sermos mais missionários. A grande lição é recordar que todas elas têm de ficar mais abertas e que todos nós devemos ser mais pastores do povo, ou seja, nós padres, bispos, religiosos, temos de ser mais próximos e mais acolhedores ao povo que vem a nós, a partir dos santuários e da Igreja. A nossa missão é estar com o povo e evangelizar o povo Deus”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.