Por Deniele Simões Em Notícias

Dom Orani: “Coloco-me como servo que deseja servir a Igreja”

O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, é um dos novos 19 cardeais nomeados pelo Papa Francisco no início do ano.

Foto de: A12.com

Dom Orani Tempesta

"Será um importante momento para o início de uma nova
etapa, nova missão, mas também de compreender o serviço
e, unido aos irmãos no cardinalato, buscar em Deus a graça
para bem exercer este chamado da Igreja"

Aos 63 anos, o novo cardeal comanda a arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro desde abril de 2009 e começou a missão episcopal em 1997.

Com mais de 40 anos de vida religiosa, dom Orani tem uma forte atuação pastoral e já passou por várias funções dentro da Igreja, desde a ordenação como padre, no final de 1974.

O trabalho do prelado à frente do Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio 2013) é lembrado até hoje e o encontro do Santo Padre com os jovens de todos os continentes deixou um grande legado para o Rio e o mundo.

Em entrevista exclusiva ao JS, dom Orani fala da sua nomeação como cardeal e das expectativas para exercer a missão designada pelo Santo Padre. “A missão exige uma sintonia perfeita com o Papa Francisco. Coloco-me como servo que deseja servir a Igreja com docilidade e responsabilidade”, diz.

No próximo dia 20 de fevereiro, ele e os outros 18 novos cardeais anunciados pelo Papa participarão de um retiro. Para dom Orani, o encontro será um importante momento para o início de uma nova etapa na Igreja. “Mas também de compreender o serviço e, unido aos irmãos no cardinalato, buscar em Deus a graça para bem exercer este chamado da Igreja”, completa.

Ele salienta que, a designação para o colégio cardinalício faz crescer a responsabilidade da missão já recebida, quer como ordenação presbiteral, quer como ordenação episcopal. “Estou à disposição para todos os pedidos do Papa Francisco”, salienta.

Confira a seguir a íntegra da entrevista.

Jornal Santuário de Aparecida  Como o senhor recebeu a notícia da nomeação para o cardinalato?

 

Dom Orani João Tempesta – Com surpresa. Agradeço ao Santo Padre pela escolha. Reconheço a responsabilidade para bem servir. Eu soube da escolha juntamente com todo o mundo. Havia acabado de celebrar, ao vivo pela televisão em rede nacional e, dentro da programação da Trezena de São Sebastião, estava me dirigindo para a Cruzada São Sebastião, meritória obra de moradia idealizada e realizada por dom Helder Câmara, quando, ainda em deslocamento, dentro do veículo, com o aplicativo para celular para seguir os atos do Papa, vejo a CTV, como faço sempre que posso. Estava assistindo ao Ângelusdiretamente de Roma quando fui surpreendido pelo anúncio do Santo Padre Francisco anunciando o arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro para o Colégio dos Cardeais.

JS  O Papa Francisco ressalta que o cardinalato não é uma promoção, honra ou condecoração, mas um serviço que exige ampliar o olhar e alargar o coração. Como o senhor pretende cumprir mais essa missão na sua vida episcopal?

Dom Orani – Uma vez feita a designação, cresce a responsabilidade da missão já recebida quer como ordenação presbiteral, quer como ordenação episcopal. A gente vai aos poucos tomando conhecimento, sabendo o que vai acontecendo. A gente se torna padre, mas vai aos poucos se apropriando disso. Temos muito trabalho no Rio. Estou à disposição para todos os pedidos do Papa Francisco. O trabalho na arquidiocese do Rio continua o mesmo, mas agora ampliado com as demandas do Papa para a Igreja do mundo inteiro.

JS  A repercussão da sua nomeação foi muito grande entre autoridades civis, religiosas e o povo de Deus. Como o senhor recebe essas demonstrações de carinho?

Dom Orani  Isso reflete o desejo que trago no meu lema episcopal: Que todos sejam um. Receber tal manifestação de carinho me deixa feliz e grato a Deus por esta missão. Aos poucos, estou respondendo a todos.

JS  O trabalho à frente do COL na JMJ foi bastante elogiado e a Jornada deixou um grande legado. Acredita que esse trabalho tenha pesado na decisão do Papa pela sua nomeação?

Dom Orani – Não saberia dizer as motivações. Trata-se de um ato livre do Santo Padre.

JS  O senhor e os outros 18 novos cardeais anunciados pelo Papa participarão de um retiro no próximo dia 20 de fevereiro. Quais as expectativas para esse encontro?

Dom Orani  Será um importante momento para o início de uma nova etapa, nova missão, mas também de compreender o serviço e, unido aos irmãos no cardinalato, buscar em Deus a graça para bem exercer este chamado da Igreja.

JS – O Papa Francisco tem dado lições de humildade e adotado linhas de ação que estão surpreendendo muita gente dentro da Igreja. Enquanto cardeal, de que modo o senhor espera colaborar com o pontificado de Francisco?

Dom Orani – A missão exige uma sintonia perfeita com o Papa Francisco. Na semana em que convivemos aqui no Rio de Janeiro eu tive a alegria de contemplar o homem de Deus que é o Papa, com a sua generosidade, acolhida às pessoas, sua simplicidade, seu verdadeiro espírito evangélico e sua espiritualidade profunda, que sempre acolhe a todos. Coloco-me como servo que deseja servir a Igreja com docilidade e responsabilidade.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.