Por Jornal Santuário Em Notícias

Editora Santuário completa 114 anos

Faz 114 anos que uma primeira turma de Missionários Redentoristas vindos da Alemanha, em 1894, começava uma história que dura até hoje. Eles chegavam a Aparecida para evangelizar o povo, com o intuito de propagar a devoção a Nossa Senhora Aparecida para todos os cantos do Brasil, mas perceberam que as pessoas não precisavam só disso. Elas precisavam ser cidadãs, precisavam de informação, de cultura e de conhecimento para se desenvolver como seres humanos. Era preciso construir algo novo. Mas como? Quem sabe com uma ideia corajosa e ousada: fundar um jornal, iniciar uma editora, trazer máquinas da Alemanha e pôr uma gráfica para funcionar. De fato, iniciar um período de transformação.

Foto de: Arquivo Editora Santuário

Primeira Edição JS - Arquivo Editora Santuário

No dia 10 de novembro de 1900, os missionários publicam a edição número 1 do Jornal Santuário d’ Apparecida, primeiro produto produzido pela Editora Santuário, que ensinava naquela primeira edição, ao devoto de Nossa Senhora, sempre praticar o bem.

Talvez eles não fizessem ideia do tamanho da missão e da responsabilidade que assumiram, do legado que iriam deixar, das transformações que seriam capazes de incentivar. Resgatemos a história.

Editora Santuário na linha do tempo

Em 1904, a Editora Santuário deu início a confecção do Manual do Devoto de Nossa Senhora Aparecida, o primeiro livro, que por sinal é vendido até hoje, daí por diante passou a atuar também no segmento.

No fim da década de 1920, a Editora lançou mais um produto, o almanaque Ecos Marianos, que em 2014 completa 87 anos. O objetivo era oferecer, ao lado de leitura agradável, interessante e instrutiva, informações sobre o que se passava no Santuário Nacional e dar um resumo do crescimento da devoção à Virgem de Aparecida. Houve época em que sua edição chegou a superar os 60.000 exemplares.

Na década de 1950, foi preciso ampliar o espaço e as instalações da tipografia. Na Rua Oliveira Braga foi construído um novo prédio de três andares, obedecendo a um projeto que previa lugares para abrigar maquinário, depósito, espaços de produção, de administração e de vendas.

Foi acolhida no mesmo prédio uma comunidade religiosa, as Irmãs de São Pedro Canísio, especializadas no ramo gráfico e que foram até o final de 1973 excelentes colaboradoras da Gráfica Editora. As Oficinas Gráficas Santuário, como era tradicionalmente conhecida, ganhou destaque nacional no terreno das artes gráficas. Durante vários anos produziram grande quantidade e variedade de santinhos, estampas, gravuras, cartões e similares, com a finalidade de prestar serviços pastorais no campo da ilustração religiosa.

Dentro desse contexto a Editora associa-se de forma íntima à missão da Congregação do Santíssimo Redentor e, de certa forma, ao ser fundada somente seis anos após a chegada dos redentoristas alemães ao Brasil, decorre que acompanha a missão redentorista no Brasil, sobretudo da Província de São Paulo.

Foto de: Arquivo Editora Santuário

Gráfica Antiga - Arquivo Editora Santuário

São anos frutuosos no sentido de ter expandido os meios de difusão do anúncio da Palavra, trabalhado conteúdos importantes para a humanização da cultura e contribuído para esclarecer e “catequizar” as devoções da religiosidade popular. 

Na avaliação do diretor comercial da Editora Santuário, padre José Uilson Inácio Soares Júnior, primeiro há muito o que agradecer: “A Deus a oportunidade de fazer história até aqui e também as parcerias dos que continuam acreditando e ajudam para que ela seja instrumento evangelizador no meio de tantas outras formas de se levar a palavra de Deus. Agradecemos aos colaboradores que entraram para essa família, assim como os que nos deixaram por diversos motivos, mas que acrescentaram um pouco de si e levaram um pouco de nós com eles. Agradecemos as oportunidades e as dificuldades que vieram no ano de 2014 e todo o aprendizado que nos cumulou de experiências e vivências”.

Para ele os desafios são muitos, visto que o mundo não para e a inovação tecnológica avança cada dia mais e o mundo da comunicação escrita não pode ficar para trás. “O nosso desafio é continuar dialogando com a pluralidade de irmãos e irmãs na busca de ajudar na aproximação com o sagrado e na busca de uma espiritualidade sadia que leve a sermos melhores uns com os outros. Esperamos um crescimento na difusão da Editora Santuário pelo Brasil, a fim de que todo cristão possa encontrar produtos que levem a uma experiência mais abrangente com Deus, consigo e com os irmãos e irmãs”, acrescenta.

Folheto Deus Conosco

Nos anos de 1970, a Congregação Redentorista, em consequência das novas orientações provenientes do Concílio Vaticano II, mostrou-se disposta a investir ainda mais no apostolado por meio da imprensa. Foi com esse espírito que surgiu o folheto litúrgico Deus Conosco, que traz os textos da missa, incluindo orações, cânticos e comentários. Atualmente o folheto está espalhado por várias regiões do Brasil.

Nos últimos anos um processo de constante atualização tecnológica passou a ser determinante na Editora Santuário. Por meio de investimento ela vem tornando-se um dos maiores parques gráficos do Estado de São Paulo, sendo seu objetivo principal ampliar sua área de atuação editorial e oferecer mais eficiência e qualidade a seus clientes, também no campo dos serviços gráficos.

Foto de: Arquivo Editora Santuário

Colaboradores - Arquivo Editora Santuário

Responsável pelos folhetos Deus Conosco, padre Ferdinando Mancílio afirma: “Quem sonha, pensa grande, como se estivesse no alto de uma montanha, a vislumbrar até não mais alcançar com a própria visão. Recordar 114 anos nos faz reportar no coração, na mente e na atitude do padre Valentin Mooser, missionário redentorista, que em seu espírito empreendedor na pastoral, quis tornar o Santuário bem próximo do romeiro-peregrino. Sua história bela, edificante e não menos exigente continua. O que temos a comemorar? A conquista de ontem e de agora é fruto do esforço, dedicação e empenho dos que acreditaram e apostaram nesse nobre projeto, que outra missão não tem senão a catequese, a formação da consciência cristã e de cidadania do povo, a evangelização e a impregnação no coração humano de que somos e pertencemos à Igreja de Cristo. Isso é o motivo por excelência a ser lembrado, comemorado, brindado”.

De acordo com o padre, continua-se hoje a ser fortalecidos pelos que se dedicam agora nesse empreendimento evangelizador que é a Editora Santuário, desde seus colaboradores e diretores. Há empenho, há dedicação e identificação com a causa. Há beneficiados fora de seu âmbito estrutural, como é o caso do Centro de Assistência Social (CAS) – que se volta intensamente para as famílias, os jovens e crianças cerceadas no direito de cidadania, portanto, de desenvolvimento humano e cristão. “Apostamos na vida e na dignidade humana. Eis outro motivo que esses 114 anos nos levam a celebrar, comemorar. O futuro continua a ser conquistado. Há caminhos a serem desbravados. Há esperança que nos circunda, nos envolve e nos motiva. Portanto, o futuro é motivação para continuar, a partir de onde estamos. É melhor ser como a abelha que, atarefada, não tem tempo para a ociosidade. É certo que daqui a um século haverá triplicadas as bênçãos e graças. Deo gratias.”

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.