Por Allan Ribeiro Em Notícias

Em meio à crise, ano não será fácil para o Brasil

O ano de 2016 se aproxima e com ele nasce o anseio por melhorias. Sejam planos e metas individuais, ou mudanças no coletivo, de alguma forma os brasileiros tentam recomeçar e alçar novos voos. Atualmente, o país atravessa uma crise não só econômica, mas também política o que coloca em xeque as perspectivas mais otimistas. O cenário não foi favorável para esse ano. A expectativa agora é de como ficará a vida do brasileiro no próximo ano. Especialistas fazem uma análise da atual conjuntura e apresentam projeções para o futuro.

Foto de: EBC

projessoes_para_2016_1

Brasileiros sentirão no bolso os reflexos da crise

 

A expectativa é que 2016 seja um ano tão complicado quanto este ano. O brasileiro sentirá ainda mais no bolso os reflexos da crise com a diminuição do poder de compra, acentuado pela inflação elevada. Os aumentos registrados este ano como os dos combustíveis, da energia elétrica, dos alimentos, entre outros produtos, continuarão em patamares elevados.

Além disso, a taxa de desemprego deve aumentar, uma vez que a baixa produção e a redução dos investimentos pelas empresas e governo acarretarão em uma queda do nível de emprego. Os empresários estão pessimistas com relação ao próximo ano e devem reduzir substancialmente os custos e os investimentos.

A dica para quem quer chegar até o fim de 2016 tranquilo é evitar movimentos bruscos, como afirma o professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Management, Márcio Barros Souza. “Se está pensando em contrair uma dívida, reflita bem se é o caso; se tem intenção de mudar de emprego, analise bem os prós e os contras; vai abrir um negócio, avalie bem os riscos; está pensando em comprar um imóvel ou um carro novo, reflita se não é melhor manter uma reserva financeira”, recomenda o analista. 

Dólar no bolso do consumidor

Outro aspecto que vem preocupando os brasileiros é a variação cambial. Engana-se quem pensa que a alta do dólar interfere apenas na vida de quem viaja para o exterior ou tem o hábito de consumir mercadorias vindas de fora. Produtos com insumos importados, como é o caso do pão francês, que tem o trigo produzido fora do país, deve ficar com um preço mais salgado.

“Todos os produtos que o brasileiro consome que fazem uso de insumos importados tem a elevação do seu preço. O brasileiro de qualquer forma recebe o impacto da alteração do câmbio”, explica o professor de Economia Internacional da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Antônio Carlos Alves do Santos.

Segundo os economistas o dólar deve ficar próximo ao patamar dos R$ 4. A expectativa é que a moeda ainda permaneça instável no próximo ano, tanto por conta do cenário interno, alavancado pela crise política e econômica, quanto por conta do cenário externo, internacional, em reflexo a medidas tomadas pelos Estados Unidos, China e países da Europa. 

Cessar-fogo na política

Do ponto de vista político, a crise deve permanecer até o desdobramento e o desfecho da manutenção do atual governo. Ainda não se vislumbram melhoras nesse cenário, que tem sido um relevante potencializador da crise econômica.

Para o professor de Economia Política da Universidade de Taubaté (Unitau), Moacir Santos, é difícil prever o cessar da crise política, pois ela é alimentada por vários setores interessados em minar o Governo Federal e por dificuldades do próprio governo em articular com a base política e com a sociedade.

Segundo o especialista, pode existir uma possibilidade de reversão nas conquistas, tendo em vista que o desgaste dessa disputa afeta negativamente a imagem do governo e da oposição, o que implica a necessidade de ambos negociarem. Mas ele aponta que é necessário observar o fortalecimento das instituições nos últimos anos para a consolidação da democracia.

“Os discursos pró-impeachment a qualquer custo, a defesa da Ditadura Militar e de um golpe militar com analogia a 1964 e as propostas que afetam os direitos dos trabalhadores, quilombolas e indígenas, bem como os direitos humanos, representam a ameaça de retrocesso na democracia brasileira e em especial à dignidade humana”, condena o professor.

O atual momento é uma oportunidade na visão do professor. O foco necessário é a realização de reformas estruturais para reduzir a desigualdade social e econômica presente no país. 

Ida às urnas

Foto de: Fernando Frazão/Agência Brasil

projessoes_para_2016_4

No próximo ano, população vai às urnas escolher prefeitos
e vereadores

O país entra em clima de eleição. No próximo ano, novos representantes serão eleitos na esfera municipal. O primeiro turno das eleições está previsto para o dia 2 de outubro. Só as cidades com mais de 200 mil eleitores e que um dos candidatos à prefeitura não alcance a maioria absoluta dos votos – de 50 % mais um – retornarão às urnas no dia 30 de outubro para o segundo turno.

Nas urnas, a crise política deve ser sentida, principalmente nas grandes cidades. Em momentos de crise, os prefeitos no poder tornam-se mais suscetíveis a crítica da população em razão da redução dos recursos para investimentos e da expectativa negativa que afeta os dirigentes. “Nas capitais os políticos vinculados ao Governo Federal experimentarão mais dificuldades”, acredita o professor da Unitau.

Para ele, essa realidade não deve se repetir nas cidades de médio e pequeno porte. O que mais afeta a dinâmica eleitoral nesses dois casos, segundo o especialista, é o vínculo com o governo estadual e a dinâmica local.

Igreja se prepara para grandes celebrações 

Foto de: Krakow2016.com

projessoes_para_2016_1

Jornada Mundial da Juventude deve reunir jovens
procedentes de pelo menos 139 países

Se a notícia não é animadora no cenário político e econômico, para os católicos de todo o mundo o momento é de grande festa. A Igreja será palco de inúmeras celebrações, a começar pelo Ano Santo Da Misericórdia que conduzirá grande parte das ações do ano civil. Em consonância com o Jubileu, outros eventos marcarão 2016.

Para conduzir as atividades jubilares, Francisco preparou uma bula com diretrizes do ano Jubilar. Durante esse período as leituras para os domingos do tempo comum serão extraídas do Evangelho de Lucas – chamado evangelista da misericórdia. Algumas das parábolas mais conhecidas escritas por ele são as da ovelha perdida, a da moeda perdida e a do pai misericordioso.

Com a mesma essência da temática do ano jubilar, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), animará os jovens. O evento que acontece em Cracóvia, na Polônia, conduzirá os participantes a refletirem e renovarem a fé diante desse mistério divino. De 26 a 31 de julho, milhares de peregrinos procedentes de pelo menos 139 países estarão atentos às palavras do Santo Padre. Mais de 500 mil jovens, representando 22 mil grupos, já se inscreveram para a grande festa da juventude católica.

Francisco também retorna à América Latina no próximo ano. O Pontífice desembarca no México dia 12 de fevereiro. Na agenda do Santo Padre estão um encontro com 10 mil jovens e cinco celebrações eucarísticas. No cronograma também está a visita ao Santuário da Virgem de Guadalupe. Além da capital, o Papa visitará outros três estados do país. O Pontífice poderá incluir a Colômbia durante a viagem. 

Brasil

Foto de: Eduardo Gois

projessoes_para_2016_2

54ª AG abordará o papel dos leigos no serviço a Igreja

O país também se organiza para importantes eventos dirigidos às atividades da Igreja no Brasil. O Clero e os leigos se unem para apresentarem discussões e reflexões que vão muito além do aspecto ligúrico. Em uma Igreja em saída, o ano será marcado por ações que levam Cristo aos irmãos mais vulneráveis.

Prova disso é a Campanha Ecumênica da Fraternidade (CFE) 2016 que será pautada no saneamento básico. O tema permitirá trabalhar a perspectiva do cuidado com a criação e, ao mesmo tempo, tocar em uma problemática concreta do país. O objetivo será contribuir para a mobilização favorável aos Planos Municipais de Saneamento Básico e, mais do que isso, convidar e provocar as pessoas a refletirem sobre o próprio estilo de vida.

Outro momento expressivo acontece em abril, quando os bispos se reúnem em Aparecida (SP) para a 54ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (AG). A vocação e a missão dos cristãos leigos e leigas na sociedade voltam a integrar a pauta das discussões.

Já em agosto, a Igreja organiza o XVII Congresso Eucarístico Nacional, de 15 a 21, em Belém (PA). Com o tema Eucaristia e Partilha na Amazônia Missionária, o evento traz a realidade e os desafios da Igreja na Amazônia mostrando como povo local realiza sua missão sustentado na Eucaristia. 

Rumo aos 300 anos 

Foto de: Allan Ribeiro

projessoes_para_2016_3

Novena e Festa da Padroeira refletirá nove expressões
de devoção a Maria no Brasil

No próximo ano a festa continua. O Santuário Nacional de Aparecida (SP) estará mais próximo da celebração dos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas do Rio Paraíba do Sul. Para 2016 as obras de acabamento interno, sobretudo, da cúpula e do baldaquino, ganharão novas fases. Junto a isso, a Casa da Mãe dá continuidade ao trabalho pastoral do tricentenário.

A Imagem Jubilar continuará a peregrinação pelo território Nacional. Mais 11 capitais participarão dessa grande festa, entre elas, Vitória (ES), Goiânia (GO), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Olinda e Recife (PE), Brasília (DF), Campo Grande (MS), São Paulo (SP), Boa Vista (RR), Florianópolis (SC) e Salvador (BA). Ao todo, 76 dioceses já prepararam a própria programação de acolhida.

Para a Novena e Festa da Padroeira, nove expressões de devoção popular no Brasil foram selecionadas. A cada dia, o celebrante convidado fará referência a uma parte da oração da Salve Rainha, além da explanação de uma das devoções a Maria. Os títulos selecionados foram: Nossa Senhora Aparecida, das Graças, do Rosário, de Fátima, do Perpétuo Socorro, das Dores, de Nazaré e da Glória.

Com as expressões, a novena trabalhará também o Ano da Misericórdia. Segundo o reitor do Santuário Nacional, padre João Batista de Almeida, C.Ss.R, a Festa da Padroeira irá abordar os dois aspectos, assim como sugere a temática central, O rosto misericordioso de Maria.

O Ano Santo da Misericórdia também será celebrado em outras datas ao longo do ano. O reitor adianta que o Santuário pretende criar algumas situações extraordinárias em 2016. Segundo ele, isso também irá ajudar na preparação rumo aos 300 anos.

A juventude também será destaque. O Santuário programa uma ação maior para a presença dos jovens em Aparecida, em ao menos cinco eventos.

Diante das novidades, padre João Batista deixa o desejo de que durante o ano que está por vir os fiéis se aproximem da figura de Maria. “Gostaria de convidar todos os romeiros devotos de Nossa Senhora para fazermos de 2016 um ano especial de oração e catequese mariana a partir do Santuário Nacional. Queremos que esse ano seja de muita oração e de conhecimento de Maria no Mistério da Redenção”, conclui.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.