Por Deniele Simões Em Notícias

Empreendedores refletem sobre Doutrina Social da Igreja

Cerca de 60 empresários, de várias localidades do país, participaram, entre os dias 6 e 8 de março, em Aparecida (SP), do II Retiro de Empresários Católicos do Brasil.

 

Promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com a Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas (ADCE), o encontro aconteceu na Pousada Bom Jesus e refletiu sobre o tema A Vocação do Líder Empresarial.

 

Foto de: Deniele Simões / JS

D. Damasceno - Deniele Simões JS

Dom Damasceno: "A Doutrina Social da
Igreja não é para ser guardada dentro da
Igreja, mas vivenciada no mundo e também
no mundo empresarial"

O professor da faculdade Dehoniana de Taubaté (SP), João Carlos de Almeida, o padre Joãozinho, foi o responsável pelas pregações junto aos participantes. Ele destaca que o objetivo do retiro foi aprofundar as reflexões junto aos empreendedores sobre a Doutrina Social da Igreja.

“Alguns acham até que a Igreja Católica não tem lugar para o empreendedor; é claro que a Igreja tem uma opção preferencial pelos pobres e, como diz o Papa Francisco, quer que ela seja pobre e para os pobres, mas também o empreendedor que segue a Doutrina Social da Igreja vai tratar da questão da dignidade humana”, justifica.

Segundo padre Joãozinho, o retiro foi pautado pela valorização dos empreendedores enquanto pessoas responsáveis pela geração de renda e justiça social. “Estamos menos preocupados com o CNPJ do que com o CPF”, justifica.

Nas preleções, ele mostrou aos participantes que viver o risco calculado de um empreendimento faz do empreendedor uma pessoa que vive a santidade na sua tarefa. “Deus, lá no Gênesis, fez o mundo em sete dias e disse: agora é com vocês. Essa é a tarefa do empreendedor, continuar a obra da Criação. Ser um elo criativo do Criador”, resume.

O presidente da ADCE Brasil, Sérgio Cavalieri, afirma esperar que a mensagem passada nas pregações reforce a fé e os valores cristãos que orientam o dia a dia dos empresários cristãos.

“Esperamos poder, cada vez mais, estar seguindo a linha que Cristo nos pediu, na busca da dignidade do ser humano, do bem comum, completando a criação do Reino de Deus aqui na Terra”, ressalta.

Doutrina Social da Igreja e ética profissional

O cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno Assis fez a acolhida dos participantes e presidiu algumas celebrações durante o retiro.

Ele acredita que o fato de reunir empreendedores para aprofundar os conhecimentos da Doutrina Social da Igreja é algo muito positivo e que a intenção é promover novos encontros a cada ano.

Foto de: Deniele Simões / JS

Pe. Joãozinho - Foto Deniele Simões JS

Padre Joãozinho discursa na abertura do II Retiro
de Empresários, na Pousada Bom Jesus, em
Aparecida (SP)

“O fato de ser esse o segundo encontro nos mostra que eles gostaram do primeiro e por isso estão aqui para justamente continuar esse aprofundamento, porque a Doutrina Social da Igreja é muito ampla”, ressalta. 

Para dom Damasceno, a Doutrina Social é uma fonte inesgotável de saber que precisa ser aprofundada, sobretudo pelas leigas e leigos cristãos. “Não é para ser guardada dentro da Igreja, mas vivenciada no mundo e também no mundo empresarial”, justifica.

Ainda segundo o cardeal, é preciso que os empreendedores conheçam o que a Igreja sugere ao empresário cristão em termos de comportamento, numa época em que o mundo globalizado fomenta a competitividade e a busca exclusiva pelo lucro.

Apesar da globalização, há muitas alternativas viando um empreendedorismo focado no ser humano. “Hoje se fala muito numa economia de comunhão, onde os resultados da empresa são, de certo modo, partilhados também por todos os operários, por todos os funcionários e isso é fundamental”, aponta dom Damasceno.

O presidente da CNBB cita São João Paulo II, lembrando que a saúde de uma empresa não se mede pelo lucro, mas pelo bem-estar de seus colaboradores. “Isso é o que faz com que a empresa seja um lugar onde as pessoas sentem-se comprometidas com as atividades e também, claro, com os seus resultados”, acrescenta.

Dom Damasceno idealiza que, a cada retiro, seja possível abordar um aspecto do ensinamento social da Igreja, a fim de auxiliar os empreendedores a viverem a responsabilidade empresarial enquanto cristãos e não apenas enquanto empresários.

Organismo congrega empresários cristãos desde 1931

Sérgio Cavalieri ressalta que a ADCE tem registrado cada vez mais adesões, principalmente do público feminino.

Foto de: Deniele Simões / JS

Sérgio Cavalieri - Deniele Simões JS

Sérgio Cavalieri, da ADCE, ressalta apoio da CNBB
na evangelização com foco na ética cristã empresarial

O organismo existe desde 1931 e configura-se como um movimento bastante tradicional que tem, como um dos pontos-chave de sua missão, criar, desde os ensinamentos da Doutrina Social Cristã, um modelo de cultura solidária, onde a dimensão técnica esteja a serviço do homem, no respeito inegociável de sua dignidade e na sua promoção como um ser integral.

Cavalieri vê com entusiasmo o fato de a Igreja, através do clero, estar aproximando-se dos empreendedores e, assim, buscando a evangelização também nesse meio.

“É muito importante que a CNBB nos ajudem na evangelização para que possamos, realmente, seguir empreendendo de acordo com a ética cristã, com os valores humanos, humanizando as empresas, tornando-as empresas mais justas e fazendo com que não só a imagem do próprio empresário seja melhor, mas que os reflexos na sociedade também sejam melhores, refletindo numa sociedade mais justa”, explica.

Saiba mais sobre a ADCE, acesse: www.adce.org.br

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.