Por Allan Ribeiro Em Notícias

Encontro em Aparecida (SP) reúne responsáveis pela juventude

Para partilhar experiências e traçar diretrizes de atuação, adultos responsáveis pela juventude se reuniram de 20 a 22 de agosto no Santuário Nacional de Aparecida (SP). Na pauta do encontro foram trabalhados três eixos que irão direcionar as atividades de evangelização juvenil no Brasil durante o próximo ano. O evento dedicou-se ao aprofundamento das ações do projeto Rota 300 nas dioceses.

O 8º Encontro Nacional dos Responsáveis Diocesanos pela Evangelização da Juventude e dos Assessores Adultos das Expressões Juvenis reuniu cerca de 200 participantes no Auditório padre Noé Sotillo. Durante os três dias de evento foram abordados aspectos como a missão, a assessoria e as estruturas de acompanhamento. As discussões se deram em torno da execução do planejamento feito nos encontros de 2013 e 2014.

Foto de: Allan Ribeiro / JS

Encontro responsáveis juventude - Allan Ribeiro JS

Com representantes de todo o Brasil, encontro reuniu cerca de 200 adultos responsáveis pelo
trabalho com a juventude

 

Em todas as dioceses há um adulto – sacerdote, religioso ou leigo – que auxilia o bispo na condução da unidade, do diálogo e do trabalho conjunto entre todas as forças juvenis, como, por exemplo, a Pastoral da Juventude e os grupos de jovens. Segundo o presidente da Comissão Episcopal para a Juventude e bispo de Caxias do Maranhão (MA), dom Vilson Basso, o encontro é uma oportunidade para que esses responsáveis possam desempenhar ainda melhor as atividades, com alegria, coragem e profecia.

“A gente não dá aquilo que não tem. Mais do que nunca, os assessores precisam de informação e formação para estarem preparados. Nessa realidade que vivemos, as perguntas são novas e os desafios são novos. Da mesma maneira que fazemos uma formação integral com os jovens, temos de trabalhar com aqueles que trabalham com a juventude”, afirma o bispo.

O primeiro dia foi dedicado à formação e espiritualidade dos assessores. Foi explanado aos coordenadores que para que haja sucesso com as ações juvenis é necessário o estudo da antropologia e da psicologia. Durante a tarde, os participantes se dedicaram a leitura orante da saudação de Isabel a Maria.

A proposta do projeto Missão Jovem do Rota 300 foi levantada no segundo dia do evento. Os bons frutos da visita da Cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) nas dioceses, inspiraram um projeto semelhante peregrinação da Imagem de Aparecida pelos jovens. Nesse contexto, o bispo acredita que os responsáveis pela juventude serão os grandes fomentadores dessa iniciativa.

A proposta tem como objetivo favorecer experiências e ações missionárias significativas aos jovens e animá-los para o engajamento em suas comunidades. Nesse período de visita da Imagem, a Igreja busca contribuir com o aumento da sensibilidade juvenil diante das realidades desumanas da sociedade. Dom Vilson explica que o projeto traz também um viés ecológico, relacionando-se com a questão hídrica, já que a Santa foi encontrada nas águas do rio Paraíba do Sul.

No último dia do encontro foi apresentado o calendário de atividades que serão realizadas no próximo ano. O bispo reforçou o papel dos assessores em formar e incentivar os jovens para a construção da Igreja do amanhã. “A Igreja deve apostar na juventude. Uma Igreja sem jovens é uma Igreja sem futuro. Mais do que nunca, a Igreja no Brasil deve apostar nos jovens porque depende deles o nosso presente e o nosso futuro”, coloca.

Agregando conhecimento

Com participantes do país inteiro e vivências distintas no serviço a juventude, o encontro também promove um intercâmbio informal de experiências. Irmã Valéria Andrade Leal, responsável Pastoral Juvenil Cleliana na região do Sul, afirma que é enriquecedor o contato com outras realidades. Para ela é importante conhecer tanto os resultados em outras congregações, quanto nas dioceses.

A instituição que a irmã pertence tem evangelizado nas escolas por meio de grupos de jovens. As atividades visam ações solidárias, assim como, o desenvolvimento do protagonismo juvenil. Durante o evento, ela pôde firmar parcerias com o setor juventude de Curitiba (PR) para um trabalho conjunto. “O nosso trabalho com a juventude é evangelizador e se soma com a comunidade eclesial. Se essa consciência é maior, esse somar vai ser maior”, ressalta a irmã.

Padre Toninho Maria, da diocese de Dourados (MS), avaliou o processo de formação importante para o fortalecimento diante dos desafios que são apresentados no trabalho com a juventude. Responsável pelo cursilho de cristandade, ele acredita que o conteúdo que absorveu nos três dias de encontro o ajudará buscar respostas mais eficientes aos questionamentos trazidos de fora pelos jovens. “A cidade onde moro é universitária, por isso temos esse compromisso de formá-los por meio do cursilho de cristandade, para que eles sejam fermento na massa dentro da própria universidade”, conta o sacerdote sobre a missão.

Romaria da Juventude

Durante o evento, o presidente para Comissão para a Juventude anunciou que no próximo ano uma romaria irá unir jovens de todo o país no Santuário Nacional. O objetivo é aproximá-los do episcopado durante a Assembleia Geral dos Bispos do Brasil (AG), nos dias 9 e 10 de abril.

O lançamento do Projeto Rota 300 na AG deste ano reuniu dezenas de jovens em uma noite de vigília na Basílica de Aparecida o que motivou promoção anual de um encontro dedicado a eles. Segundo o bispo, o próximo passo será uma reunião da Comissão com uma equipe do Santuário para determinar a metodologia, temática e infraestrutura necessárias para o evento.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.