Por Jornal Santuário Em Notícias

Especialista fala sobre como aprender oratória

Sentir medo é algo comum – e até necessário – para o ser humano, afinal, ele pode funcionar muitas vezes como um mecanismo de defesa para o homem –, você deixa de fazer algo perigoso, pois sabe as consequências que esse ato trará para você. Porém, esse é apenas um dos medos que sentimos.

Foto de: Arquivo Pessoal

Michel Soares - Arquivo Pessoal

"Não é receita de bolo: não é porque
uma técnica serve para uma pessoa
que obrigatoriamente irá servir para outra"

Existe também o medo inibidor e paralisante, por exemplo, quando você gosta de alguém e não consegue começar uma conversa, afinal, ficar parado é a opção mais segura – porém, ao mesmo tempo, é a opção que faz com que você desperdice as oportunidades que aparecem no seu caminho.

Segundo o especialista em oratória, Michel Soares, o medo de falar em público funciona mais ou menos dessa forma inibidora. “Expor sua opinião ou ideias para o público – que pode ser desde três pessoas até uma sala com 300 alunos, por exemplo – é saber que você será analisado, interpretado e julgado por pessoas que não conhece. E é comum que isso gere insegurança,” comenta. O problema é quando esse medo impede a pessoa de seguir com a vida.

É comum encontrar pessoas que sentem vontade de expor suas opiniões, mas, ao mesmo tempo, o medo as impede disso. “E esse medo pode ser percebido até por meio do físico da pessoa: alguns suam frio, outros gaguejam, outros travam, outros tremem e sentem o coração bater acelerado, outros sentem que o raciocínio não consegue ser organizado de jeito nenhum”, aponta Soares.

Porém, o especialista sempre ressalta que não é feio e nem errado não conseguir falar em público. “Ninguém deve se culpar por isso. É preciso aceitar que o medo existe e então tratá-lo e passar por cima dele, assim como fazemos com todos os outros medos que sentimos e obstáculos que encontramos no meio do caminho”, exalta.

Soares, que é técnico de oratória há cinco anos, diz que existem várias técnicas que podem ser aplicadas para “passar por cima” desse medo –, e cada pessoa se dá melhor com uma técnica.

Algumas técnicas utilizadas são: manter a respiração estável (isso faz com que os sintomas físicos diminuam), manter o pensamento focado somente naquilo que será dito, estabelecer uma postura corporal confortável antes da exposição, levar uma “colinha” com você, caso precise etc.

Entretanto, independente do grau de medo e da técnica utilizada por cada um para superá-lo, o ponto mais importante na boa oratória é ter autoconfiança.

 

Resumidamente, superar o medo de falar em público é não se preocupar com a reação do outro diante das suas atitudes, falas e demais manifestações – e, para isso, o auxílio profissional pode ser um grande ponto de partida. Confira a entrevista

Jornal Santuário de Aparecida – Falar em público é questão de autocofiança?

Michel Soares – Em grande parte sim. Isso porque, antes de tudo a pessoa, precisa confiar naquilo que está falando –, e só assim irá transmitir confiança para aqueles que o ouvem.

JS – Mas como confiar em si mesmo?

Michel Soares – Para confiar em si a pessoa deve ressignificar todas as crenças limitantes que traz consigo ou melhorar a sua autoestima. Na maioria das vezes a falta de confiança está diretamente relacionada a uma baixa autoestima. Quando alguém está com a autoestima elevada ela tem mais confiança em si.

 JS – A autoconfiança ou a falta dela pode ser trabalhada de quais formas?

Michel Soares – A falta de autoconfiança pode ser trabalhada por meio de técnicas de gestão emocional, eliminando a causa do problema e aumentando a autoestima através de técnicas de reprogramação mental.

JS – Todos têm um potencial guardado dentro de si e basta que seja treinado?

Michel Soares – Sim. Alguns desenvolvem a autoconfiança e o dom da oratória sozinhos, outros podem precisar de ajuda de um profissional para desenvolver as suas habilidades e despertar o potencial inibido pelo medo ou desconforto de falar.

JS – É preciso ser estimulado desde a infância?

Michel Soares – Isso seria o ideal. Sempre digo que oratória deveria ser uma matéria obrigatória em todas as escolas, assim, teríamos mais profissionais qualificados e com uma boa capacidade de se expressarem melhor. Muitas pessoas deixam de conquistar seus objetivos por não conseguirem verbalizar suas ideias.

JS – Os adultos mais complexados também podem ter uma esperança?

Michel Soares – Sim, todos podem (e devem) ter esperança – Mudar paradigmas é o foco do meu trabalho.

JS – Quando ministra treinamentos, quais são as principais queixas das pessoas?

Michel Soares – O medo de falar em público, o fato de “travarem” quando são exigidos, de não conseguirem confiar em si mesmos – e, por isso, não conseguirem falar com confiança aquilo que, muitas vezes, passaram horas estudando. O medo do julgamento, da reprovação, dos olhares da plateia, de falar algo errado e o medo de não ser entendido(a). Essas são as principais queixas.

JS – Podemos dizer que a comunicação e a oratória são uma das principais vias de sucesso na vida?

Michel Soares – Sim, com certeza. Ter uma boa oratória pode melhorar em 100% a vida profissional de qualquer pessoa. Prova disso é a pesquisa feita pelo Wall Street Journal com executivos de recrutamento e seleção. Após o estudo foi indicado que tanto a oratória quanto a capacidade de se relacionar são competências fundamentais para uma carreira executiva e empresarial de sucesso –, 89 % dos executivos entrevistados concordaram com essa afirmação.

JS – O dom da oratória está necessariamente relacionado com o conhecimento de mundo, a cultura e a formação do indivíduo?

Michel Soares – Não, esses aspectos ajudam muito, porém a oratória está ligada diretamente com as habilidades de comunicação. Eu já tive vários casos onde a pessoa tinha muito conhecimento, excelente cultura, formação e péssima oratória, e também o contrário.

 JS – Quais dicas poderia dar para que as pessoas percam o medo de falar em público?

Michel Soares – Falar com propósito, ou seja, saber o que vai falar e dominar o assunto é primordial, traz segurança e conforto na hora de falar em público. Depois, falar mais em público e enfrentar o medo. Enfrentar o medo é o segredo para o sucesso. Quando um medo é enfrentado ele é dissolvido pois o cérebro dessensibiliza e diminui gradativamente a sensação de ameaça. Também use uma técnica terapêutica para acelerar o processo, pois acelera o aprendizado, ressignificam as memórias traumáticas e elimina todo e qualquer desconforto na hora de falar. As técnicas mais eficazes em minha opinião são: EFT, PNL (Programação Neurolinguistica) hipnose e terapia cognitivo comportamental. Com a ajuda profissional o medo é eliminado e a pessoa encontra uma verdadeira satisfação na hora de falar.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.