Por Allan Ribeiro Em Notícias

Igreja se prepara para discussões do Sínodo dos bispos

Às vésperas do sínodo dos bispos para a família, a Igreja no Brasil se prepara para acolher as mensagens do Papa Francisco. Como parte dos subsídios para os estudos, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) encaminhará uma análise feita a partir de um questionário enviado aos movimentos e pastorais familiares. É a primeira vez que há uma participação expressiva da base popular. O presidente Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família e bispo de Camaçari (BA), Dom João Carlos Petrini, adiantou alguns dos detalhes que devem permear o encontro.

Foto de: Allan Ribeiro / JS

D. Petrini - Allan Ribeiro JS

Dom João Carlos Petrini ressalta que a família é um lugar
no qual as pessoas devem doar-se reciprocamente

A nova apresentação da família dentro do horizonte do designo de Deus será uma das linhas de reflexões. A Igreja buscará dar maior evidência ao amor humano através da vivência cristã. “O que Deus criador pensou quando criou o homem e a mulher conforme relata a sagrada escritura? Dentro daquela visão, como é pensada essa relação hoje?”, apresenta o bispo.

Nessa linha, ele ressalta que a família é um lugar no qual as pessoas devem doar-se reciprocamente. O significado e a beleza da família dependem totalmente dessa atitude de doação sincera de si para o bem dos outros. Isso deve ocorrer não somente entre o casal, mas também na relação entre pais e filhos.

Outra vertente que será abordada é a temática de políticas públicas voltadas à família, que possam contribuir para a conciliação sadia entre trabalho e o ceio familiar. Dom Petrini salienta que os interesses das empresas não podem ser priorizados, pois isso acaba maltratando as famílias que estão interessadas em cultivar da melhor maneira possível as suas relações.

Como exemplo, ele aponta a possibilidade de proximidade das mães com os filhos de colo nas companhias e a elaboração de dinâmicas para que se diminua o tempo gasto de locomoção para o trabalho, para que seja possível uma maior atenção do trabalhador a família.

O bispo de Camaçari recorda que o Papa Francisco nos fala sobre como cuidar das feridas, quando o amor humano não é vivido com profundidade e seriedade, o que acaba se transformando em uma forma de lazer momentâneo, em que os vínculos são considerados uma amarra a se rejeitar.

“Acaba se criando feridas, como as de sensação de abandono, também nas crianças no momento em que as famílias quebram seus vínculos. Muita gente sofre. É reconhecido das ciências humanas com o empobrecimento das famílias”, pontua.

Também será debatido no sínodo temas como a Eucaristia para casais de segunda união, outras formas de viver o amor, inclusive de pessoas do mesmo sexo, reforçando que tipo de atenção pastoral poderá ser dada a esses grupos humanos que também experimentam sofrimentos.

Encontro das famílias

Movimentos familiares se reunirão em Aparecida (SP) para a 6ª Peregrinação das Famílias, em 31 de maio. Segundo o bispo no ano passado o encontro reuniu cerca de 150 mil pessoas.

A Comissão promoverá, no dia 30, um simpósio que trabalhará a mesma temática abordada no Encontro Mundial das Famílias, que acontece em setembro próximo, na cidade de Filadélfia, nos EUA.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.