Por Da redação Em Notícias

Maioria das jovens já sofreu violência, aponta pesquisa

A pesquisa Violência contra a mulher: o jovem está ligado? revela dados preocupantes de violência também contra as jovens e adolescentes.

Foto de: FreeImages

Violência Mulher - FreeImages

Pesquisa do Instituto Avon ouviu jovens
entre 16 e 24 anos, de ambos os sexos;
além de sofrer atos de agressão, garotas
também são vítimas de controle nas 
redes sociais

De acordo com o levantamento, 66% das meninas já sofreram algum tipo de violência e o ambiente virtual tem facilitado as agressões.

A pesquisa, promovida pelo Instituto Avon, aponta que a maior parte das jovens entre 16 e 24 anos já sofreu atos de violência ou controle em relacionamentos.

Além disso, o estudo comprova que o ciúmes em excesso, a submissão e a necessidade de controlar o parceiro – até mesmo sobre o que vestir ou postar nas redes sociais – são comuns nos relacionamentos entre os jovens.

A maioria das jovens entrevistadas diz ter sido vítima de algum tipo de comportamento agressivo, como xingar, empurrar, ameaçar, dar um tapa, impedir de sair de casa, proibir de sair à noite, impedir de usar determinada roupa, humilhar em público, dar um soco, obrigar a ter relação sexual sem vontade, ameaçar com arma, entre outras ações. Já 55% dos garotos admitiram ter praticado comportamentos do tipo.

Em contrapartida, os dados coletados revelam que muitas atitudes violentas praticadas nos relacionamentos não são percebidas pelos jovens, já que apenas 4% dos homens afirmam ter tomado alguma atitude violenta com a namorada, esposa ou “ficante” e 8% das mulheres admitem ter sofrido algum tipo de agressão.

A pesquisa também mostra que 76% dos jovens (de ambos os sexos) julgam incorreto que a mulher tenha vários “ficantes” ou casinhos e 38% concordam que a mulher que tem relações sexuais com vários homens “não é para namorar”.

O ambiente considerado machista também apareceu em dados relacionados a locais públicos: 68% das mulheres disseram já ter levado uma cantada ofensiva; 44% foram tocadas ou assediadas por homens em baladas ou festas e 31% foram assediadas fisicamente em transporte público.

Em relação ao tema família, 43% dos entrevistados afirmaram ter visto a mãe ser agredida pelo parceiro. Entre os homens que presenciaram a violência na família, 64% praticaram algum tipo de agressão a alguma companheira. Entre os que não vivenciaram, 47% praticaram.

Cyber violência

O diretor executivo do Instituto Avon, Lírio Cipriani, ressalta que o mundo virtual em que os jovens vivem facilita muito o controle violento, uma vez que o avanço das redes sociais, embora estimule a comunicação interpessoal, cria ferramentas de controle entre parceiros.

Em relação às redes sociais, a pesquisa aponta a invasão de privacidade entre parceiros como prática comum. Mais da metade das moças entrevistadas (51%) admite ter fornecido a senha do telefone celular para o parceiro e 46% compartilharam com o parceiro a senha do Facebook.

Por exigência do parceiro, 19% dos jovens (homens e mulheres) já tiveram que excluir um amigo de uma rede social. Outros 17% tiveram de parar de conversar com um amigo virtualmente.

Em relação a imagens compartilhadas, 32% das jovens e 41% dos jovens receberam imagens ou vídeos de mulheres nuas conhecidas. Os índices sobem para 47% (moças) e 59% (rapazes) quando a imagem é de alguém que eles não conhecem.

Metodologia

A pesquisa, promovida pelo Instituto Avon, ouviu 2.046 jovens de 16 a 24 anos, distribuídos em todo o Brasil. Os participantes responderam um questionário on-line sobre temas como relacionamentos afetivos, relacionamentos virtuais, sexualidade, violência nos relacionamentos e Lei Maria da Penha.

Em 2014, outra pesquisa do Instituto ouviu homens sobre atos de violência praticados contra mulheres. De acordo Cipriani, a intenção do levantamento divulgado recentemente foi conhecer a percepção dos jovens de ambos os sexos sobre o tema.

Foto de: Criação JS

Gráfico Violência Mulheres_1 - Criação JS

66% das jovens entre 16 e 24 anos já foram vítimas de comportamentos agressivos

55% dos jovens do sexo masculino admitiram ter sido agressivos

 

  • No levantamento, xingar, empurrar, ameaçar, dar um tapa, impedir de sair de casa, proibir de sair à noite, impedir de usar determinada roupa, humilhar em público, dar um soco, obrigar a ter relação sexual sem vontade e ameaçar com arma são considerados atos de agressão

 

Em relação às redes sociais, a pesquisa aponta a invasão de privacidade entre parceiros como prática comum. Mais da metade das moças entrevistadas (51%) admite ter fornecido a senha do telefone celular para o parceiro e 46% compartilharam com o parceiro a senha do Facebook.

Foto de: Criação JS

Gráfico Violência Mulheres_2 - Criação JS

51% das garotas forneceu senha do telefone celular ao parceiro 

46% delas compartilharam com o parceiro a senha do Facebook

 

  • Invasão de privacidade entre parceiros é comum a partir do uso das redes sociais

 

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Da redação, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.