Por Deniele Simões Em Notícias

Novos projetos mostram comprometimento das TVs católicas

A luta que as emissoras de TV católicas travam para levar a mensagem do Evangelho ao público inspira ações de muita criatividade, seja para renovar o conteúdo já existente ou contemplando a implementação de novos projetos.

 

Foto de: Deniele Simões / JS

Ksenija - Deniele Simões JS

Ksenija Abramovic, idealizadora da LaudatoTV, na Croácia

Com a intensificação do uso da internet, a partir da década de 1990, e a consolidação das mídias digitais, no início do século XXI, a convergência dos meios de comunicação tem sido uma tendência cada vez mais forte. As emissoras estão se adaptando a essa nova realidade, criando canais de comunicação com o público, via redes sociais, e abrindo espaço para a participação em tempo real, por meio das novas tecnologias.

A EWTN (Eternal World Television Network), nos Estados Unidos, já vive essa realidade. A emissora, fundada em 1981, mantém programação 24 horas, atingindo mais de 230 milhões de lares em 144 países, nas três américas, Europa e África.

O portal da rede na internet oferece uma gama enorme de conteúdo, desde o acesso da programação da TV em tempo real, até bibliotecas onde o internauta pode assistir aos vídeos da programação, no momento que quiser.

A convergência das mídias também está muito presente nas emissoras brasileiras, oferecendo a possibilidade de o público interagir com os apresentadores, seja em tempo real ou deixando o seu recado nas redes sociais.

Ricardo Yáñez, da Associação Mundial de Comunicação Católica (Signis), vê com bons olhos a disseminação de novas formas de conteúdo pelas emissoras católicas ao redor do mundo. “É uma grande alegria ver que os comunicadores estão comprometidos com a tarefa evangelizadora da Igreja, usando a linguagem audiovisual para levar a mensagem do Evangelho a todos os rincões do mundo”, explica.

 

 

Foto de: Reprodução

TVs Católicas - Reprodução

Emissoras como EWTN e Aparecida inspiram criação de novos
projetos audiovisuais no Brasil e em outros países

Yáñez ressalta que o grande desafio para os comunicadores e produtores dessas emissoras reside justamente em estar atento ao gosto do telespectador, que muda a todo momento. 

De acordo com o representante da Signis, é preciso que haja uma busca permanente por melhoria da qualidade e das produções. “Isso é o que a Igreja nos pede, por meio da voz de seus pastores. Os profissionais da área devem se empenhar nesse sentido, mas essa não é uma tarefa muito fácil”, acrescenta.

A Rede Aparecida de Comunicação, que está entre as 15 maiores do país, também aposta na satisfação das necessidades do telespectador para garantir a excelência da programação.

“Nosso público é muito exigente e nossa programação precisa ter variedade”, aponta o secretário da Signis Brasil e diretor da TV Aparecida, padre Evaldo César de Souza.

Além dos momentos religiosos por excelência, como missas, terços e bênçãos, Evaldo defende que a programação de uma TV católica tenha também música, dança, cultura, artesanato, entretenimento sadio, culinária, artistas, jornalismo. “Enfim, tudo o que nosso povo gosta de ver e precisa para educar-se melhor e ser mais crítico da realidade”, conclui.

Na Croácia, LaudatoTV faz caminho inverso

Se grande parte das TVs está consolidando a presença na internet, graças às mídias digitais, o projeto LaudatoTV, na Croácia, seguirá o caminho inverso, ou seja, vai partir da internet para chegar ao meio televisivo.

Foto de: Reprodução

Laudato - Reprodução

A ideia da idealizadora do projeto, Ksenija Abramovic, é começar a transmissão da programação no final deste ano, não pela internet, mas por canal aberto e via cabo.

Segundo Ksenija, a Laudato surge com o propósito de ser uma emissora voltada para toda a família, com programação religiosa, variedades e conteúdo voltado para os jovens.

Com 19% de católicos, o país ainda não conta com nenhuma emissora de TV de inspiração católica. Por isso mesmo, a intenção é atingir o público por meio da promoção dos valores cristãos, servindo a Igreja e o povo croata e ajudando as pessoas a desenvolver as potencialidades herdadas enquanto nação.

A croata explica que o país, localizado no Leste da Europa, teve um longo período marcado pelo regime comunista e pela falta de liberdade, inclusive religiosa. Apenas há 24 anos o sistema democrático está consolidado.

A luta de Ksenija para implantar a emissora católica na Croácia começou há alguns anos, com a criação de um canal de vídeos no YouTube (Laudato iTV) e com o site Laudato.hr, que em 2013 foi considerado pelo About.com o segundo melhor do mundo, no segmento católico.

O ambicioso projeto conta com apoio de consultores internacionais, como Sofie Jannusch, do Conselho de Mídia Católica e de Iwo Bender, gerente da americana EWTN do Leste europeu e Europa central.

Em recente vinda ao Brasil, Ksenija classificou a embrionária emissora como a realização de um grande sonho. “Não dá para comparar com o Brasil, que tem nove emissoras católicas. Espero que meu sonho seja realizado e a LaudatoTV esteja pronta para transmitir a palavra do Senhor a partir do próximo dia 25 de novembro”, anima-se.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.