Por Carolina Alves Em Notícias

Padre Queimado partilha alegria de viver vida e vocação

Coração de criança, atitudes jovens, pessoa cheia de vida. Com essas características, padre José Luís Queimado, mostra que é possível – e até mesmo necessário – administrar grandes responsabilidades. O sacerdote redentorista e diretor executivo do Portal A12.com divide a vida, a alegria de vivê-la e as experiências vocacionais com o JS.

Foto de: Arquivo Pessoal

Padre Queimado - Arquivo Pessoal

"As pessoas deixam transparecer a alegria no rosto e nas
atitudes quando fazem tudo por amor! É óbvio que existem
momentos difíceis na vida, mas o sorriso me ajuda a derrubar
as colunas de mármore que encontro pelo caminho, que são
a inveja, a intolerância, a violência e as humilhações"

Jornal Santuário de Aparecida – O que lhe inspirou a seguir a vocação sacerdotal?

Padre José Luís Queimado – Desde criança, participava da vida de Igreja na minha comunidade na zona rural, no Bairro dos Silvas, em Itaporanga (SP). Fui aprendendo na vida de pastoral as urgências da evangelização. Percebi que poderia contribuir muito com o projeto de Jesus se eu fosse como um daqueles padres que rezavam em minha cidade (monges cistercienses). Mas me apaixonei pelos Redentoristas e atravessei o Estado de São Paulo para discernir esta minha vocação interior. Por isso, o que realmente me inspirou para seguir esse caminho de sacerdócio foram os trabalhos pastorais que desenvolvi neste processo de vida familiar e comunitária.

JS – Você é um padre jovem. Como vê o comportamento da Igreja Católica ao lidar com a juventude? E como enxerga a reação da juventude à Igreja Católica?

Padre Queimado – A Igreja Católica sempre se preocupou com a juventude. Não podemos confundir Igreja com aqueles grupinhos de "anciãos" que governam as comunidades com mãos de ferro, tomando posse da chave das capelas. A Igreja é a Esposa do Cristo, por isso, é dinâmica e de espírito jovem, e sempre se atualiza para responder às exigências sociais da época. Os jovens sempre fizeram parte do processo de evangelização, pois Jesus chamou alguns bem jovenzinhos para segui-lo na missão! Por outro lado, a juventude é bem heterogênea. Existem jovens em nossa Igreja com cabeça de velhos rabugentos, que se prendem a regras e a uma vida de superficialidades, tentando ressuscitar estruturas ultrapassadas e impô-las a todos os fiéis; e existem outros, que são a grande maioria, com espírito alegre, renovador e corajoso, e que estão dispostos a enfrentar os maiores desafios em prol da evangelização.

JS – Sua maneira de ser é alegre, é divertida e é cheia de vida. Como essa personalidade lhe ajuda no modo de conduzir sua vocação?

Padre Queimado – Sempre pensei que devemos fazer com alegria aquilo que amamos! Eu amo estar com as pessoas e aprender com suas experiências de vida. Talvez eu ensine muitas realidades novas, também, pois a vida é um eterno aprender-ensinar. As pessoas deixam transparecer a alegria no rosto e nas atitudes quando fazem tudo por amor! É óbvio que existem momentos difíceis na vida, mas o sorriso me ajuda a derrubar as colunas de mármores que encontro pelo caminho, que são a inveja, a intolerância, a violência e as humilhações.

JS – O que aprendeu até então estando à frente do Portal A12? Como foi assumir essa missão e como ela interfere em seu desenvolvimento como pessoa e sacerdote?

Padre Queimado – É a primeira vez que assumo um trabalho como gestor. Nunca tive funcionários sob a minha responsabilidade, afinal, estudei para ser padre. Mas estou aprendendo muito a planejar as metas da instituição em equipe, partilhando as derrotas e os sucessos. O A12 tem me desafiado a encontrar diferentes modos de atualizar a linguagem do mundo da Internet, que muda a todo instante. Foi difícil aceitar essa missão, pois tudo o que é novo assusta. Estou valorizando o meu sacerdócio a cada dia que passa, pois a vida sacerdotal é enriquecida por desafios novos e inquietantes.

JS – Seus textos são fortes e críticos. Como escolhe os temas? De que forma esses artigos podem ajudar a transformar a realidade sobre a qual aborda?

Padre Queimado – Eu leio muitas notícias sobre o nosso país e sobre o nosso mundo. Os temas surgem da revolta ou da alegria que sentimos sobre um determinado fato. As injustiças e as agressões aos seres humanos despertam sempre a indignação no coração do escritor, e ele, tentando defender os agredidos, põe o sangue derramado do injustiçado na tinta e no papel (ao menos, esse é o escritor ideal). O sonho de todo escritor é que o seu texto possa levar outros a pensarem sobre as maldades que povoam o mundo, formando, assim, um batalhão de pessoas conscientizadas para combater as covardias e as violências em geral, a menos que o escritor esteja comprado por ideologias de empresas maiores.

JS – Como foi a experiência de participar do CD Vocacional “O Redentor te chama”? Para você, qual a força da música para transmitir um pensamento?

Padre Queimado – A música faz parte de minha história de vida, e me acompanha desde a infância, quando ouvia meu pai e minha família (de cantores) tornando a vida mais feliz por meio das canções simples e belas, próprias do mundo da roça. A música é uma língua universal, e, quando bem empregada e executada, toca o profundo dos seres que a escutam. É uma ferramenta muito útil no processo de evangelização. A experiência de participar de um CD Vocacional, fruto do trabalho de diversos talentos redentoristas, com certeza é marcante e regozijante. Um evento que levarei escrito no meu coração com letras de ouro!

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Carolina Alves, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.