Por André Somensari Em Notícias

Padroeira do Brasil é exaltada em desfile da Vila Maria em SP

Vila Maria homenageia Aparecida no Carnaval de SP - JS

Foto: Reprodução

Uma grande procissão no Anhembi em louvor a Nossa Senhora Aparecida! Assim podemos definir a linda homenagem feita pela escola de samba Unidos de Vila Maria à Padroeira do Brasil, em seu desfile no Carnaval de São Paulo (SP), realizado na madrugada do dia 25 de fevereiro.

Em um desfile histórico, apresentando o enredo "Aparecida -– A Rainha do Brasil. 300 anos de amor e fé no coração do povo brasileiro", os 3.500 integrantes da Vila Maria, em uma grande romaria, entoaram em forma de oração o samba-enredo da escola, emocionando todo o público presente no sambódromo paulistano e milhões de espectadores em todo o mundo.

A agremiação da Vila Japão, zona norte de São Paulo, desfilou com 23 alas e com 5 carros alegóricos, coordenada pelo carnavalesco Sidnei França. Todas as fantasias e alegorias passaram pelo crivo da Igreja Católica, em comissão formada por membros da Arquidiocese de São Paulo e Santuário Nacional de Aparecida. A escola também acatou outros pedidos da Igreja, como o veto à nudez, ao sincretismo religioso e à exaltação à escola de samba, de modo que o desfile ocorresse de forma digna e fosse respeitoso com a história de Aparecida, com a Igreja e com a fé e devoção de milhões de brasileiros.

:: Receba em casa o Jornal Santuário

:: Reitor fala sobre homenagem à Padroeira no Carnaval de SP

Antes do desfile, a emoção já tomou conta do sambódromo, quando, na concentração, no aquecimento para a entrada na avenida, o cantor Daniel, devoto de Nossa Senhora Aparecida, entoou o refrão da canção Nossa Senhora, de Roberto Carlos. O sertanejo desfilou no último carro alegórico, que simbolizava o Santuário Nacional de Aparecida (SP), com a dupla sertaneja Hugo e Thiago, o grupo de samba Demônios da Garoa e os apresentadores da TV Aparecida, Claudete Troiano e Adriano Prado (Caipira Tonho Prado). Além de Nossa Senhora, outras canções dedicadas à Padroeira, como Romaria, de Renato Teixeira, e Negra Mariama, de Milton Nascimento, também foram retratadas no desfile.

A Vila Maria, em sua Comissão de Frente, encarregou-se de contar a história da aparição da Imagem da Padroeira em 1717, retratando o momento em que os 3 pescadores encontraram a Imagem de Nossa Senhora da Conceição em suas redes e, logo após, elas ficaram repletas de peixes.

Durante sua apresentação, a escola contou os milagres atribuídos a Nossa Senhora Aparecida, como o do escravo Zacarias, que, ao ser recapturado por um capitão do mato, pediu para rezar para a Santa. Ao final da oração, as correntes que o prendiam se arrebentaram. Em outra alegoria, relatou-se o presente da princesa Isabel, que, em 1868, ofereceu a Nossa Senhora um manto, e, em 1884, uma coroa de ouro, cravejada de brilhantes, usada para coroá-la como a Rainha do Brasil; esta coroa permanece até hoje.

Depois da apuração, ocorrida no dia 28 de fevereiro, a Vila Maria ficou em 7º lugar, com 269 pontos, obtendo nota máxima nos quesitos: Fantasia, Bateria, Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Harmonia e Enredo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por André Somensari , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.