Por Deniele Simões Em Notícias

Presidente da CRB fala sobre Ano da Vida Consagrada no Brasil

Por iniciativa do Papa Francisco, na Igreja Católica, o ano de 2015 tem sido dedicado em grande parte à Vida Consagrada.

Foto de: Deniele Simões / JS

Irmã Maria Inês - Deniele Simões JS

Irmã Maria Inês: "Creio profundamente 
que cada Congregação só avançará
na corajosa fidelidade ao seu carisma 
fundacional, descobrindo audaciosamente
como encarná-lo e vivê-lo hoje na Igreja 
e para o mundo"

A intenção do Pontífice é trabalhar aspectos fundamentais como a formação religiosa, que deve estar baseada em quatro pilares: o espiritual, o intelectual, o comunitário e o apostólico.

Os religiosos e institutos afiliados de Vida Consagrada têm abraçado com entusiasmo o Ano da Vida Consagrada, através de inúmeras ações de promoção da missão dos consagrados e consagradas.

É o caso da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), que dia 7 de abril dá início ao Seminário da Vida Consagrada, em Aparecida (SP), com a participação de mais de 2.000 religiosos e religiosas de todo o Brasil.

O encontro é uma das várias ações programadas pelo organismo para vivenciar este ano especialmente dedicado à Vida Consagrada.

A presidente da CRB, irmã Maria Inês Ribeiro, MAD, fala sobre como a proposta de Francisco tem sido acolhida e aponta qual o caminho a ser percorrido por cada congregação na reflexão do tema.

Jornal Santuário de Aparecida – Estamos em um ano dedicado à Vida Consagrada. Como a senhora acolhe essa proposta oferecida por Francisco e qual o significado dela?

Irmã Maria Inês Ribeiro – Acredito que, com todos os consagrados e consagradas do Brasil, acolhi esse “presente” do Papa Francisco com enorme alegria e esperança. Diante de tantos desafios pelos quais passam a sociedade, a Igreja e a Vida Consagrada, é muito oportuno que debrucemos sobre nossa realidade, com essa atitude, para celebrar e rever nossa vida e compromisso com o Senhor.

Um ano dedicado à Vida Consagrada é momento de séria reflexão e revisão dos compromissos, “ad intra” e “ad extra”, no interior da cada Congregação e na sua missão profética. Acredito que o convite do Papa nos fará rever, com muita fidelidade, os carismas. Creio profundamente que cada Congregação só avançará na corajosa fidelidade ao seu carisma fundacional, descobrindo audaciosamente como encarná-lo e vivê-lo hoje na Igreja e para o mundo.

JS – No Brasil, um dos objetivos do Ano da Vida Consagrada será recordar a história com gratidão e abraçar o futuro com esperança. O que é preciso recordar e projetar, daqui para frente?

Irmã Maria Inês – A grande história a ser recordada, tanto num passado mais remoto, como até bem perto de nós, é o grande serviço que a Vida Consagrada realizou junto aos mais sofridos, pobres, marginalizados e excluídos do nosso país. Não se pode pensar num Brasil sem o seu grandíssimo contributo, desde a vinda dos colonizadores até o presente, lembrando alguns dos mais recentes testemunhos de vida junto ao povo sofrido e espoliado, que foram irmã Dorothy Stang, irmã Dulce, São Frei Galvão e muitíssimos outros.

O futuro a ser abraçado e já sendo concretizado no presente – e tenho testemunhado isso na missão que ora assumo – é a continuidade dessa presença profética onde a vida é mais quebrada e desrespeitada.

Eles e elas continuam à frente de grandes desafios. Encontrei muitos irmãos e irmãs em um grande encontro das Comunidades Inseridas do Nordeste, à frente de concretas lutas do povo por mais igualdade e dignidade. Impressiona-me também o número de consagradas na Rede Um grito pela vida, conscientizando e enfrentando a dura chaga do tráfico humano, da exploração sexual e do trabalho de crianças e mulheres. O futuro é o abraço profético de todas as causas humanas. Onde a vida está ameaçada, lá deve estar a Vida Religiosa Consagrada.

JSO Seminário da Vida Consagrada é uma das muitas ações programadas pela CRB para vivenciar o Ano da Vida Consagrada. Como a senhor avalia a grande procura pelo encontro e a escolha de Aparecida como sede?

Irmã Maria Inês – Após o anúncio do Papa para que o ano 2015 fosse dedicado à Vida Consagrada, os religiosos e religiosas têm buscando responder, aprofundando temas referentes a sua vocação e esse Seminário é uma grande oportunidade.

Sendo um evento de maior porte, abrindo aos consagrados e consagradas de todo o Brasil, pensamos na terra da Padroeira, na terra da Mãe Aparecida para realizá-lo. Por ser também um centro que congrega grandes realizações da nossa Igreja e por ter espaço para tal.

JSQuais são os objetivos desse Seminário?

Irmã Maria Inês – A realização do Seminário Nacional da Vida Consagrada faz parte do Plano de Ação da CRB para o triênio 2014-2016, concretizando a prioridade número um de aprofundar a questão da identidade e mística dos consagrados e consagradas, em princípio, aos superiores e superioras maiores. Sendo 2015 o Ano da Vida Consagrada, decidimos abrir aos religiosos de todo o Brasil.

JSComo este ano dedicado à vida consagrada deve ser vivenciado aqui no Brasil?

Irmã Maria Inês – O que mais desejo é que cada Congregação, antes de tudo, abrace o ano como um grande presente do Papa, para rever e celebrar sua vida, carisma e missão com muita esperança. Que seja um momento para “criarmos consciência de que somos poucos, mas somos muitos”, se permanecermos em comunhão, seguindo as pegadas de Jesus, que entregou sua vida a serviço dos mais pequeninos.

 

3 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.