Por Jornal Santuário Em Notícias

Projeto treina juventude engajada em transformações

Existe uma nova geração de brasileiros que não quer mais terceirizar exclusivamente para o governo a enorme responsabilidade de se construir um país. São pessoas que buscam o protagonismo na construção de uma nova sociedade e estão participando ativamente das mudanças no Brasil.

Um exemplo disso é que nos dias 7 e 8 do mês passado, a cidade de São Paulo (SP) sediou o 3º Encontro de Jovens Transformadores (EJT). O objetivo do evento foi reunir jovens com potencial transformador para buscarem soluções de mudanças no país. O encontro nasceu para unir jovens que já tenham atitude e planos em prol de um país melhor, independentemente da área de atuação.

Foto de: Divulgação

EJT - Divulgação (1)

Evento selecionou 400 de cerca de 1.000 jovens inscritos

 

O foco dos debates e palestras foi gerar inspiração e interação entre os jovens visando a encontrar respostas para transformar o país. No evento, os participantes foram convidados a iniciar o processo de mão na massa para pensar e construir um Brasil mais justo e igualitário.

De acordo com o turismólogo e fundador do encontro, Anderson Pereira, os jovens que participaram do encontro são pessoas com espírito transformador e independentemente de onde elas estão atuando, seja na iniciativa privada, setor público ou terceiro setor, são pessoas que compartilham um sonho em comum: deixar uma marca positiva na sociedade e ajudar a construir um Brasil melhor. “É incrível ver como hoje já existem jovens realizando feitos incríveis no Brasil e apesar da pouca idade, etnia, localização ou classe social já estão fazendo deste país um lugar melhor com seus projetos e ações”, partilha o fundador do encontro.

O EJT, sigla que denomina o Encontro de Jovens Transformadores, reuniu líderes de diversos segmentos para discutir com os jovens os principais desafios e oportunidades do país, além de identificar qual é o papel desta geração na construção de um novo Brasil. Nesta edição sete fóruns simultâneos de discussão aconteceram: educação, política, sustentabilidade, inovação social, empreendedorismo, carreira e propósito. Em cada um dos fóruns os jovens tiveram momentos de inspiração (palestras com líderes), interação (debates) e mão na massa (atividades práticas).

Ainda somos os mesmos?

Anderson cita uma máxima que diz que se as gerações passadas não deixaram um mundo melhor para os seus filhos, certamente deixarão filhos melhores para o mundo. “Eu pessoalmente acredito que as gerações passadas tiveram uma juventude marcante que causaram transformações fundamentais para a construção do Brasil em que vivemos hoje. A atual geração de jovens vive, em grande parte pela contribuição das gerações passadas, num país completamente diferente de décadas atrás. Hoje os desafios são outros. Os jovens também”, opina.

Segundo Pereira também existem sonhos e desejos iguais aos que tinham os jovens do passado. “O sonho, quase utópico, de poder transformar o mundo. Mas dizem que aquelas pessoas que sonham suficientemente alto para acreditar que podem mudar o mundo, são as que geralmente mudam, não?”, questiona

Foto de: Divulgação

EJT - Divulgação (2)

Para Anderson Pereira a sociedade
já percebeu que não dá mais para
esperar que as mudanças caiam
do céu, é necessário ser a mudança
no mundo

Ele explica que há uma metodologia própria para esses jovens, criada pelo EJT, em que se acredita poder empoderar jovens a causar mais e maiores transformações na sociedade. “Em todo o encontro os participantes passam por três momentos: inspiração, interação e mão na massa. Acreditamos que seja necessário inspirar jovens com casos relevantes de pessoas que já transformaram o Brasil (inspiração), conectá-los com outros jovens, redes, mentores e instituições que possam ajudá-los a avançar (interação) e provocá-los a botar suas ideias em prática, fazendo atividades que os estimulem a perceber que é possível realizar (mão na massa).

Na avaliação dele a nova geração pode construir um país melhor, primeiramente conhecendo muito bem sobre os reais desafios do Brasil. “É necessário entender por essência a situação real em que nos encontramos, seja qual for a área de atuação. Feito isso, engajar-se na construção de um país melhor, pode começar por pequenos gestos até as grandes transformações.”

Para ele não é necessário reinventar a roda, mas agir em sintonia com valores éticos e cívicos. “Eu pessoalmente acredito que esta geração vai moldar os padrões da sociedade do século 21, principalmente no que diz respeito a participação política, engajamento social e novas formas de se fazer negócio. A sociedade já percebeu que não dá mais para esperar que as mudanças caiam do céu, é necessário ser a mudança que você quer ver no mundo”, ressalta.

Em 2015 o evento consagra-se como o maior encontro do segmento e um importante meio para estimular novos projetos.

O 3º Encontro de Jovens Transformadores foi pensado baseando-se em assuntos considerados essenciais para a mudança no cenário atual. É uma iniciativa pioneira que reúne jovens com altíssimo potencial de transformar realidades, para discutir como esta geração pode construir um país melhor. Em sua terceira edição, o EJT se consagra como o principal encontro da área e uma importante plataforma para fomentar novos projetos, conectar redes e provocar transformações reais na sociedade.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.