Por Allan Ribeiro Em Notícias

Retiro floresce discernimento vocacional em jovens

Os jovens Maurício Tolomei, Alane Andrade e Felipe Santos nunca haviam se visto. Apesar de viverem em regiões distintas do estado de São Paulo e não se conhecerem, compartilhavam desde muito cedo de um mesmo ideal. Os três trouxeram consigo o desejo de se tornarem Missionários Redentoristas. Para uma imersão na essência do carisma, eles participaram no último dia 22 de agosto de uma etapa importante no processo de discernimento: o retiro vocacional.

Foto de: Allan Ribeiro / JS

Retiro vocacional - Allan Ribeiro JS

Retiro vocacional reuniu 44 jovens e dedicou-se à reflexão e oração pelo discernimento dos participantes

 

Durante três dias, 44 jovens participaram do encontro que aconteceu no seminário Santo Afonso, em Aparecida (SP). Os participantes tiveram um contato mais profundo com a realidade da missão e foram convidados a refletir os pilares que permeiam os trabalhos da Congregação do Santíssimo Redentor (C.Ss.R.). Também foi momento de compartilhar experiências, medos e anseios com outros colegas que fazem a mesma caminhada rumo ao seminário.

O encarregado de orientar os vocacionados nessa etapa foi padre Fábio Evaristo Resende Silva, C.Ss.R. Ele abordou a espiritualidade Redentorista e apresentou o caminho de discernimento por meio de um tripé estruturado pela Encarnação de Jesus, Eucaristia e Paixão. Depois de aprenderem um pouco mais sobre cada vertente do carisma, os jovens foram convidados a refletir individualmente. A formação tinha como dinâmica a oração de cada participante pela própria vocação.

Cada vocacionado trazia uma trajetória distinta. Maurício teve o primeiro contato com a C.Ss.R., acompanhando os trabalhos dos zeladores da Imagem de Aparecida pela televisão. Aos 23 anos, o jovem identifica-se com as ações de evangelização por meio dos veículos de comunicação. Estudante do último ano de Jornalismo, ele almeja ser um comunicador de Cristo.

O retiro, para ele, é a oportunidade de experimentar nos pequenos momentos de formação e de reflexão como possivelmente será o dia a dia da vocação. “Vim a esse encontro com fome de saber mais do que é o jeito Redentorista de ser. Conhecemos eles pelo jeito popular de ser religioso. Isso me encanta. É uma simplicidade cheia de riquezas”, afirma.

Essa é a primeira vez que o morador de Birigui (SP) participa de um retiro vocacional Redentorista. Mas, Maurício não veio sozinho. Com ele, trouxe a mãe que faz questão de acompanhar de perto todo o processo. Desde pequeno, o filho único de Helenice Tolomei teve inclinação para o sacerdócio e desde então conta com o apoio dos pais. Para ela, a missão da família é encaminhar os filhos para o bom caminho.

Segundo padre Fábio, a vocação é uma resposta que deve ser dada de forma consciente e ao mesmo tempo de forma serena. Ele considera que não é possível descobrir-se sem uma séria reflexão, sem valorizar e considerar os elementos que fazem parte desse processo de amadurecimento. “Esse retiro favorece esse momento de discernimento dos nossos vocacionados criando um ambiente favorável para a escuta, para oração e para responder aos apelos de Deus na vida desses jovens”, sublinha.

Ao ouvir Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro (RJ), Alane, 21 anos, sentiu vontade de servir a Deus no dom do sacerdócio. “A juventude é a janela pela qual o futuro entra no mundo”, recorda com entusiasmo as palavras ditas pelo Pontífice.

Ao mudar-se para Aparecida há quatro anos, passou a conhecer de perto os trabalhos da C.Ss.R. e direcionou seu desejo a Congregação. Desde então, o jovem recebe acompanhamento de perto do secretariado vocacional. Nessa caminhada, ele pôde conhecer a realidade Redentorista não apenas no Santuário Nacional, mas também nos outros trabalhos e ações da instituição.

No retiro, Alane afirma que se encontrou com Cristo dentro do espírito de acolhida do seminário. Diante de toda espiritualidade, ele sente-se mais fortalecido para continuar na caminhada vocacional. O que instiga a busca pelo sacerdócio no jovem é a possibilidade levar o Palavra de Deus a todos. “Quero ser o Evangelho na vida das outras pessoas. Quero levar a paz onde houver tristeza. Quero levar a bondade às pessoas”, expressa.

Já Felipe, 20 anos, passou por outras experiências vocacionais no âmbito diocesano, mas ainda não se sentia completamente preenchido. O jovem de Mogi Guaçu (SP) não se contentava em direcionar os seus dons apenas a uma comunidade. Ele tinha o desejo de ir à missão, ao encontro dos necessitados da Palavra de Deus. “Esse retiro está sendo muito espiritual, muito diferente. Deus está falando muito comigo. Estou gostando muito. Estou abrindo novos caminhos, querendo apreciar espiritualmente o caminho Redentorista”, coloca.

Padre Fábio ressalta que a vocação é um caminho muito longo que não compreende apenas um momento da vida, mas todas as fases. O retiro é um passo dentre os muitos que os vocacionados ainda precisarão dar. Depois do retiro, os candidatos ao seminário continuarão sendo acompanhados. Até o fim do ano, aqueles que forem considerados preparados para assumir a missão serão convidados a um novo encontro. Nessa última etapa passarão por experiência de uma semana no seminário.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.