Por Alexandre Santos Em Notícias

Santuário recebe 24ª Romaria das Santas Missões Redentoristas

Igreja em permanente estado de missão. Esse foi o tema central da 24ª Romaria do Coordenadores e Auxiliares das Missões Redentoristas. Realizado no último dia 22 de novembro, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, o evento reuniu grupos missionários de diversas cidades dos estados de São Paulo e Minas Gerais, que receberam as missões nos últimos anos.

Foto de: Alexandre Santos / JS

 

Santas Missões Redentoristas_2 - Alexandre Santos JS

Encontro reuniu coordenadores de diversas cidades que 
receberam as Santas Missões Redendoristas nos últimos
anos

Os grupos mais numerosos vieram das cidades de Avaré (SP), que trouxe a Aparecida três ônibus lotados de peregrinos, e Carangola (MG), cidade da dona de casa Cirlei de Sousa. Para ela, o maior fruto das missões redentoristas é a união. “A missão como legado na nossa cidade a consciência de que devemos estar sempre unidos, cada vez mais, pois é o sentido de comunidade que fortalece a nossa Igreja”, afirma.

A coordenadora Ana Lúcia da Silva, também de Carangola, concorda. Segundo ela, as missões redentoristas uniram mais as comunidades. “Eu coordenei um grupo grande e dele surgiram mais quatro grupos. Antes a gente achava que não ia conseguir ter nem mesmo um único grupo, e seis meses depois de primeira fase, já são quatro grupos missionários”, comemora.

Para o coordenador geral das Santas Missões Redentoristas, o padre Inácio Medeiros, além da união, os frutos das missões redentoristas passam pela transformação social das comunidades. “Quando a Igreja vai se fazendo presente no meio do mundo, no meio da sociedade, através da atividade missionária principalmente dos leigos, a gente vai vendo os frutos de mais união, de transformação da realidade, conquistas sociais importantes também vão acontecendo, tudo fruto desse engajamento”, acrescenta.

Responsabilidade e privilégio

O evento começou com a santa missa, celebrada no altar central da Basílica de Aparecida. A cerimônia foi presidida pelo padre Inácio Medeiros e concelebrada por vários padres que atuam nas missões redentoristas. Na abertura da missa, padre Inácio se referiu ao tema da romaria e afirmou que ser uma igreja em permanente estado de missão é uma responsabilidade e um privilégio. “É responsabilidade porque é dever de todo cristão. Assumimos esse compromisso no batismo, mas ao mesmo tempo é um privilégio porque, através da atividade missionária da Igreja, nós vamos percebendo os sinais do reino de Deus crescendo no meio de nós”, argumenta.

Foto de: Alexandre Santos / JS

Padre Inácio Medeiros - Alexandre Santos JS

Padre Inácio Medeiros: "Ser uma Igreja em permanente
estado de missão é responsabilidade porque é dever de
todo cristão. Assumimos esse compromisso no batismo.
Mas ao mesmo tempo é um privilégio porque, através da
atividade missionária da Igreja, nós vamos percebendo os
sinais do reino de Deus crescendo no meio de nós"

Na homilia, o padre redentorista Moacir Castilho, de São João da Boa Vista, ressaltou o empenho dos grupos na realização das missões. Segundo ele, através de um trabalho como o das missões redentoristas, muitos se tornaram “anjos e anjas”, exercendo a grande tarefa de construir uma Igreja em permanente estado de missão. “Século após século, a humanidade precisa se encontrar com seu Criador. Para isso, é necessário alguém que anuncie a todas as pessoas, em todos os tempos, o Reino de Deus e a salvação desejada por Nosso Senhor Jesus Cristo. Nas Santas Missões Redentoristas, grupos de pessoas se dedicaram, talvez tenham abandonado suas tarefas do dia a dia, deixado seus compromissos, em favor da evangelização, indo de casa em casa, anunciando a Palavra de Deus”, afirmou. 

No final da celebração, quatro missionários redentoristas conduziram os grupos participantes da basílica até o auditório Noé Sotillo, no subsolo do Santuário. Saindo pelos pórticos da Basílica, os grupos seguiram os missionários, que utilizavam o equipamento de som portátil característico das Santas Missões Redentoristas.

Acolhida, reflexão e cantoria

No auditório, o padre Roni do Reis fez a acolhida e animação dos grupos com orações e cânticos característicos das missões redentoristas. Na entraram foram distribuídos aos participantes um folder com a programação, um pequeno texto falando sobre o compromisso do evangelizador missionário e a canção oficial do tema, Igreja em Missão, de autoria do padre Anchieta, C.Ss.R. A publicação trazia também a Consagração a Nossa Senhora Aparecida e a data da próxima romaria: 21 de novembro de 2015.

Durante o encontro, foram apresentados todos os missionários e religiosas que fazem parte da equipe das Santas Missões. Em seguida, o padre Werner Anderer, fez uma breve reflexão para os participantes. Ele falou sobre o tripé de sustentação das missões: oração, estudo da Palavra de Deus e ação. “Se uma das três pernas for retirada, cai. A oração nos liga a Deus, o estudo da Bíblia nos mantém em sintonia com o Evangelho e com os ensinamentos de Jesus. Mas não adianta rezar muito e conhecer a Bíblia de cor se cruzo os braços. É preciso realizar a missão colocar tudo isso a serviço”, aconselha.

Foto de: Alexandre Santos / JS

 

Cirlei de Sousa - Alexandre Santos JS

Cirlei de Sousa: "A missão como legado na
nossa cidade a consciência de que devemos
estar sempre unidos, cada vez mais, pois é
o sentido de comunidade que fortalece a nossa
Igreja"

Após reflexão do Padre Werner, foi apresentado um vídeo em homenagem à Virgem Maria. Ao som da música Todas as Nossas Senhoras, de Roberto Carlos, foram apresentadas das imagens correspondentes a inúmeros títulos dados a ela. A mensagem que ficou marcada nesse momento foi o refrão da música: “Minha mãe, Nossa Senhora, somos todos filhos seus Todas as Nossa Senhoras são a mesma Mãe de Deus”.

O encontro terminou com uma apresentação de música de raiz, com a dupla Marcelo Viola e Ricardo, e a consagração a Nossa Senhora Aparecida.

Segundo o padre Inácio Medeiros, o encontro é uma iniciativa para motivar a perseverança dos grupos. “A finalidade é ser mesmo um encontro de alegria e confraternização, mas também é um momento de solidificação desse ideal, desse compromisso, por isso o tema este ano foca bem isso. A terceira fase das missões é curta, mas projeta justamente para esse tempo de continuidade que nós buscamos”, conclui.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Alexandre Santos, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.