Por Deniele Simões Em Notícias

Semana Santa é convite à conversão e à renovação de vida

“A Semana Santa é um grande retiro.” É essa expressão que o reitor do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, padre João Batista de Almeida, usa para explicar como cada cristão deve vivenciar esse período tão especial para a Igreja Católica.

 

Foto de: Anna Laura Barreto / A12.com

Adoração Cruz - Anna Laura Barreto A12.com

Celebração de adoração à Cruz é uma das mais significativas
da Sexta-feira Santa; na imagem, momento celebrativo no
Santuário Nacional

O retiro a que ele se refere envolve todas as comunidades eclesiais, convidando todos os cristãos à conversão e à renovação de vida, assim como o próprio significado da ressurreição.

 

“Antigamente, as pessoas, nesses dias, sobretudo no Tríduo Pascal – Quinta, Sexta e Sábado Santos – não trabalhavam e participavam mais das celebrações nas igrejas”, recorda.

De acordo com o sacerdote, na Igreja Católica as celebrações da Semana Santa acontecem de modo a proporcionar a todos os fiéis um momento especial de oração e de vivência do Mistério Pascal com Jesus.

Mas, em tempos de tanto individualismo como o que vivemos na sociedade pós-moderna, como cada cristão deve vivenciar a Semana Santa? “Primeiro, participando das celebrações”, aponta padre João Batista.

Mas a participação deve acontecer por obrigação, mas sobretudo com o desejo de, de fato, vivenciar aquele momento que anuncia toda a fundamentação da fé católica: a Ressurreição de Jesus Cristo.

“Na quinta-feira eu vou vivenciar a ceia com Jesus; na sexta-feira, a Paixão e a morte de Jesus; no Sábado Santo, a ressurreição de Jesus”, exemplifica o religioso.

Segundo o missionário redentorista, essa é a expectativa que esse tipo de participação vai criando no interior de cada fiel e que, depois, acaba surtindo efeitos na vida prática. “Quem ressuscita com Jesus jamais vai ter a mesma vida que teve antes”, resume.

Principais celebrações

 

O Tríduo Pascal contempla as principais celebrações da Semana Santa, tendo como ponto alto a Vigília Pascal. “Ela celebra o fundamento maior da nossa fé, que é a ressurreição de Jesus”, conta padre João Batista. 

Foto de: Matheus Andrade / Santuário Nacional

Pe. João Batista  - Matheus Andrade Santuário Nacional

Padre João Batista de Almeida destaca papel da Vigília Pascal
na celebração do fundamento maior da fé cristã: a ressurreição
de Jesus

O Tríduo tem início com a missa vespertina da Quinta-feira Santa encerrando com a Vigília Pascal, no Sábado Santo. Esses três dias acabam sendo uma só celebração, com foco no mistério pascal. De acordo com o site Catequisar, é por isso que nas celebrações da quinta-feira à noite e da sexta-feira não se dá a bênção final.  

Isso só acontece no final da Vigília Pascal que, aliás, traz toda uma simbologia – como a Bênção do Fogo Novo e a Liturgia Batismal – que conduz os fiéis a refletirem a respeito do triunfo da vida sobre a morte, ou seja a Ressurreição de Jesus.

A professora de ensino fundamental Rita de Cássia da Silva, de São José dos Campos (SP), procura vivenciar a Semana Santa participando de todas as celebrações em sua comunidade, na Paróquia Sagrada Família.

No Domingo de Ramos, ela vai à procissão e, depois à missa. Na Segunda e Terça-feira Santas, assiste à missa. Na Quarta-feira Santa, Rita participa da procissão do encontro, onde homens levam a imagem de Jesus carregando a Cruz, e as mulheres carregam a imagem de Nossa Senhora das Dores pelas ruas do bairro, com meditação sobre a dor no calvário. Ela também participa de todas as celebrações do Tríduo Pascal, que considera importantes para a vivência de sua fé. “Todas são significativas para mim, é uma sequência. Uma completa a outra e no sábado é o ápice, o dia da Ressurreição”, explica.

Na opinião da professora, todo cristão tem por “obrigação” rezar, jejuar e fazer caridade – ações que ficam mais evidentes no tempo da Quaresma. “Confesso que me esforço para ser um ser humano melhor nos pequenos gestos, a controlar meus nervos, minha língua e meus pensamentos. E essas pequenas ações, de pouquinho em pouquinho vão transformando nosso coração. É uma conversão, mudança de rumo, não uma conversão da noite para o dia, mas uma conversão dia após dia”, afirma.

Foto de: Arquivo Pessoal

Rita Silva - Arquivo Pessoal

Rita Silva, de São José
dos Campos (SP), espera
que Semana Santa e
ações praticadas durante
a Quaresma promovam
conversão dia após dia

A Páscoa é a data mais importante do calendário litúrgico e, por isso, ela espera que todos possam ser instrumentos de paz em suas famílias, comunidades no ambiente de trabalho.

“Deus nos deu seu único Filho para a nossa Salvação. Já estamos salvos pelo Sangue Precioso de Jesus lá na Cruz. Ele já ‘pagou’ nossa entrada para o Reino de Deus e pagou caro. Basta apenas não perdermos esse tíquete para o Céu”, conclui a professora.

  • Síntese celebrativa
  • O JS traz uma síntese do significado das principais celebrações da Semana Santa
  • Tríduo Pascal - É composto pela Quinta-feira, Sexta-feira e Sábado Santos que, juntos, exprimem todo o mistério Pascal.
  • Na Sexta-feira Santa a Igreja contempla o mistério do grande amor de Deus pelos homens, recolhendo-se ao silêncio, à oração e à escuta da Palavra. Não há celebrações eucarísticas em respeito à morte do Senhor.
  • 2ª a 4ª feira Santa – A Liturgia apresenta textos bíblicos com foco na missão redentora de Cristo. Nas comunidades paroquiais, é costume haver procissões, vias-sacras, celebrações penitenciais recordando o realçar o sentido da Semana.
  • Domingo de Ramos – Lembra a entrada de Jesus em Jerusalém e sua morte na cruz. Segundo os Evangelhos, naquela época muitos homenagearam Jesus estendendo mantos pelo chão e aclamando-o com ramos de árvores. É por isso que os fiéis carregam ramos nessa celebração
  • Na Quinta-feira Santa celebra-se a instituição da Eucaristia e do Sacerdócio ministerial.
  • A celebração da Paixão e Morte de Jesus acontece à tarde, com adoração da cruz e a distribuição da Sagrada Comunhão.
  • O Sábado Santo – considerado dia de “luto” – é momento de silêncio e oração. A Igreja permanece junto ao sepulcro, meditando no mistério da morte do Senhor, na expectativa de sua ressurreição. Durante o dia não há missa, batizado, casamento, nenhuma celebração e, à noite, ocorre a Vigília Pascal, revivendo a ressurreição de Cristo, ou seja, a vitória sobre o pecado e a morte. (Fonte: www.catequisar.com.br)

Reprodução

Semana Santa Santuários - Reprodução

Celebração nos santuários também é momento de catequese

Os santuários, de uma maneira geral, são espaços de peregrinação e de prática dos sacramentos.

Grande parte das pessoas que visitam esses locais fazem de um santuário a sua própria paróquia.

No caso daqueles que vêm para a Semana Santa, a vivência das celebrações acaba transformando-se também em momento de reflexão e catequese, conforme explica o reitor do Santuário Nacional, padre João Batista de Almeida.

“Com certeza, os santuários – e o Santuário de Aparecida, em particular – têm essa característica de receber pessoas, tanto aqueles que já participam ativamente na sua comunidade, como aqueles que ainda não têm uma ligação ativa com uma vida de comunidade. A nós aqui cabe incentivar essas pessoas que ainda não participam na comunidade a tomar parte nela”, salienta.

Ele explica que, nesse sentido, a Semana Santa já tem uma catequese muito apropriada para a comunidade e que a Liturgia da Palavra já conduz o celebrante a visualizar a comunidade daqueles que acreditam na vida que venceu a morte.

“Como ministro da palavra que somos, nós aqui do Santuário também reforçamos isso. E, na sua maioria, as pessoas vêm com o desejo depois de ter uma participação mais ativa na comunidade”, acrescenta.

 

 

Santuário Nacional

Santuário Nacional - Santuário Nacional

Aparecida deve receber mais de 200 mil fiéis 

O Santuário Nacional de Aparecida deverá receber mais de 200 mil fiéis, nos dias que marcam a programação da Semana Santa, quando se celebra a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo.

A projeção é baseada nos anos anteriores, quando 56 mil pessoas visitaram o Santuário no Domingo de Ramos. No Sábado-Santo, a projeção é de 50 mil visitantes e, no Domingo da Páscoa, que celebra a Ressurreição do Senhor, o público esperado é de 88 mil fiéis.

O objetivo da programação, que ocorre simultaneamente nas igrejas católicas de todo o mundo, é ajudar os devotos a celebrar a alegria de encontrar com Jesus na vida de Deus. “Ele que morreu, foi sepultado e ressuscitou pela salvação da humanidade e essa é a grande mensagem que queremos transmitir com as celebrações e tudo aquilo que realizaremos durante a semana aqui no Santuário”, explica o padre João Batista.

Celebrações

Dentre a programação, o reitor destaca como a principal a Vigília Pascal, programada para acontecer no Sábado Santo (4 de abril). “Essa é a maior celebração de toda a Igreja, não só no sentido de duração, mas porque é a maior também na significação”, explica.

É durante essa Vigília que os fiéis católicos proclamam toda a história da Salvação, desde o momento da criação até o da ressurreição de Jesus Cristo.

No Santuário, a Vigília terá início às 20 horas e deverá ter cerca de duas horas e meia de duração.

“Mas, claro, há outras celebrações, também, importantes e significativas”, ressalta.

Na ordem dos acontecimentos, após a abertura da Semana Santa, no Domingo de Ramos, a Quinta-feira Santa tem um significado muito grande, por ser a celebração da ceia.

É nesse dia que acontece a Missa do Lava-pés e que, no Santuário, será celebrada às 21 horas. “É ali a instituição da Eucaristia, do sacerdócio cristão, o mandamento do amor”, explica.

Na Sexta-feira Santa, ou Paixão do Senhor, não há celebração de missas em nenhum templo católico do mundo porque foi nessa data que Jesus morreu. A Paixão é celebrada em uma cerimônia específica onde há também a adoração ou beijo da Cruz.

Padre Domingos destaca a quinta, sexta-feira e sábado como os de maior relevância dentro da programação. “Essas três celebrações, digamos assim, são as principais, mas a Vigília Pascal é a mãe de todas, por ser a grande celebração da Igreja Católica”, conclui.

Programação no Santuário Nacional

Padre João Batista convida todos os fiéis – seja de Aparecida, da região do Vale ou de localidades mais distantes – a participar da programação.

Ele salienta que, na quinta-feira, sexta-feira e sábado haverá a oração da manhã, sempre a partir das 7 horas. “Aqui a gente tem a missa todo dia às sete da manhã, mas nesses três dias será a Liturgia das Horas, que é uma oração muito bonita, com a recitação dos Salmos”, explica.

 

Reprodução

Programação Semana Santa - Reprodução

Veja a programação completa do Santuário Nacional para a Semana Santa:

  • 29/3 – Domingo de Ramos

5h30: Missa

7h30 às 9 horas: Missa de Ramos (TV Aparecida, TV Cultura, RA e RCR)

10 horas: Missa

12 horas: Missa

14 horas: Missa

16 horas: Missa

18 horas às 19h15: Missa (TV Aparecida, RA e RCR)

 

  • 30/3 – Segunda-feira Santa

7 horas: Missa

9 horas: Missa (TV Aparecida, RA e RCR)

10h30: Missa

11h45: Consagração (TV Aparecida)

12 horas: Missa

14 horas: Hora Mariana

15 horas: Consagração (RA e RCR)

16 horas: Missa

18 horas: Missa

 

  • 31/3 – Terça-feira Santa

7 horas: Missa

9 horas: Missa (TV Aparecida, RA e RCR)

10h30: Missa

11h45: Consagração (TV Aparecida)

12 horas: Missa

14 horas: Hora Mariana

15 horas: Consagração (RA e RCR)

16 horas: Missa

18 horas: Missa

 

  • 1/4 – Quarta-feira Santa

7 horas: Missa

9 horas: Missa dos Doentes (TV Aparecida, RA e RCR)

10h30: Missa

11h45: Consagração (TV Aparecida)

12 horas: Missa

14 horas: Hora Mariana

15 horas: Consagração (RA e RCR)

15h30: Novena Perpétua

16 horas: Missa

18 horas: Missa

19h30: Novena Perpétua

 

  • 2/4 – Quinta-feira Santa

7 horas às 7h30: Oração das Laudes

9 horas às 10h30: Missa do Crisma (TV Aparecida, Rede Vida, RA e RCR)

12 às 13 horas: Sermão sobre a Redenção

14 horas: Terço Meditado

15 às 15h15: Consagração (RA e RCR)

16 horas: Vésperas (RA e RCR)

18 às 19 horas: Ângelus e Terço (TV Aparecida, RA e RCR)

21 horas às 22h30: Missa da Ceia do Senhor (TV Aparecida, RA e RCR) – depois, adoração do Santíssimo na Capela São José

 

  • 3/4 – Sexta-feira Santa

7 horas às 7h30: Oração das Laudes

9 horas às 10h30: Meditação da Via Sacra (TV Aparecida, Rede Vida, RA e RCR)

11 horas: Celebração das Bençãos

12 às 13 horas: Sermão das 7 Palavras de Jesus na Cruz

13h30 às 14h30: Plantão de Bênçãos

15 horas às 16h30h: Celebração da Paixão (TV Aparecida, RA e RCR)

17 horas: Procissão do Enterro

18 às 19 horas: "Rezando as dores de Jesus nas dores da Humanidade!" Uma Vida doada para nos Servir!

 

  • 4/4 – Sábado Santo

7 horas às 7h30: Oração das Laudes

9 às 10 horas: Celebração das Dores de Maria (TV Aparecida)

10h30: Terço Meditado e Bênçãos

12 às 13 horas: Ofício de Nossa Senhora

14 horas: Terço Meditado (Participação dos Acólitos e Coroinhas)

15 horas: Consagração (RA e RCR)

16 horas: Oração das Vésperas (RA e RCR)

20 horas às 22h30: Celebração da Vigília Pascal (TV Aparecida, RA e RCR)

 

  • 5/4 – Domingo de Páscoa

5h30: Missa

8 horas: Missa (TV Aparecida, TV Cultura, RA e RCR)

10 horas: Missa

12 horas: Missa

14 horas: Missa

16 horas: Missa

18 horas: Missa (TV Aparecida, RA e RCR)

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.