Por Deniele Simões; Allan Ribeiro; Eduardo Gois Em Notícias

Tudo pronto para a Assembleia-Geral da CNBB

Está tudo pronto para o Santuário Nacional acolher a 53ª Assembleia-Geral (AG) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O encontro anual do episcopado nacional acontecerá em Aparecida (SP), entre os dias 15 a 24 de abril, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida.

Segundo a gerente do Núcleo de Eventos do Santuário, Aline Costa, a estrutura foi montada com o objetivo de acolher entre 450 e 500 pessoas, incluindo bispos, arcebispos, padres e assessores.

Foto de: Deniele Simões / JS

53ª AG_2 - Deniele Simões JS

Revisão das DGAE, eleições na CNBB e laicato estarão
em discussão

De acordo com a gerente, as delegações de todos os regionais já estão confirmadas e a expectativa é que a AG conte com a participação de aproximadamente 350 bispos e arcebispos, entre os que estão na ativa e eméritos.

Para Aline, é uma honra receber a AG pelo quinto ano consecutivo. Durante o período em que acontece a Assembleia, todo o Santuário coloca-se à disposição da CNBB para ajudar na organização do evento e oferecer todo suporte necessário ao acolhimento.

O Santuário é responsável pela montagem de toda a infraestrutura da Assembleia e oferece a montagem de área para atendimento à imprensa, posto médico para os bispos, área de lojas para a comercialização de produtos religiosos, entre outros espaços.

“Além de toda a infraestrutura que o Santuário oferece aqui internamente, temos a Cidade do Romeiro, que engloba o Hotel Rainha do Brasil que, neste período, fica exclusivo a serviço dos bispos”, explica Aline.

Programação

A programação da 53ª AG será bem ampla e abordará questões de suma importância para a Igreja do Brasil.

Como a Assembleia é eletiva, durante o encontro serão escolhidos os membros da presidência da CNBB, formada pelo presidente, vice-presidente e secretário-geral, bem como os presidentes das 12 Comissões Episcopais Pastorais.

Os temas centrais deste ano serão a avaliação global da caminhada da CNBB e a definição das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) para o quadriênio 2015 – 2019.

O presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida (SP), cardeal Raymundo Damasceno Assis, informou, através da assessoria de imprensa, que não se trata de um novo texto para as DGAE, mas de uma revisão com vistas à atualização.

Segundo o prelado, as Diretrizes Gerais serão atualizadas com base no discurso do Papa Francisco dirigido aos bispos do Rio de Janeiro e do Conselho Episcopal da América Latina e Caribe (CELAM), na oportunidade da visita ao Brasil, durante a JMJ Rio 2013.

O documento também terá como inspiração a Exortação Apostólica do Papa Francisco, Evangelii Gaudium (Alegria do Evangelho).

O arcebispo de São Luís (MA) e vice-presidente da CNBB, dom José Belisário da Silva, ressalta que as DGAE 2011-2015, atualizadas em 2011, foram bem acolhidas pelas comunidades do Brasil e devem continuar por mais quatro anos, mas com algumas atualizações. “Aquelas cinco urgências pegaram muito bem; tanto assim que foi aprovado que essas diretrizes continuarão por mais quatro anos, porém com algumas revisões, inspiradas nos pronunciamentos do santo padre Francisco”, declarou, em nota oficial expedida pela CNBB.

As atuais DGAE possuem cinco urgências para a ação evangelizadora e que devem ser mantidas: Igreja em estado permanente de missão; Igreja: casa da iniciação à vida cristã; Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; Igreja: comunidade de comunidades; e Igreja a serviço da vida plena para todos.

No ano passado, a AG debateu de modo profundo a função das paróquias na Igreja. Agora, a questão da participação dos fiéis é retomada, a partir do momento que nesta edição, o Estudo 107 da CNBB, Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade, será tratado como tema prioritário.

Horários

A 53ª AG será aberta oficialmente no dia 15 de abril (quarta-feira), com missa no Santuário a partir das 7h30. Logo após, às 9h15, está prevista a cerimônia de instalação, no auditório do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida. Os dois momentos serão abertos à imprensa.

Segundo a Assessoria de Imprensa da CNBB, os trabalhos da AG serão desenvolvidos em quatro sessões, nos seguintes horários: 9h15, 12h45, 15h40 e 19h30.

Como acontece todos os anos, os bispos atenderão à imprensa de segunda a sexta-feira, na Sala de Imprensa do Centro de Eventos, às 15 horas. As coletivas contam com a participação do porta-voz da AG, arcebispo de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, dom Dimas Lara Barbosa, e de três bispos designados pela presidência da AG.

No dia 17 de abril (sexta-feira), está programada uma sessão solene ecumênica em Ação de Graças pelos 50 anos do Concílio Ecumênico Vaticano II.

Diariamente, das 7h30 às 8h45 serão celebradas missas com laudes no Santuário Nacional de Aparecida, com transmissão ao vivo pelas emissoras católicas de rádio e televisão, exceto no domingo, dia 19 de abril.

O retiro dos bispos terá início no dia 18, sábado, às 15 horas, e terminará no domingo, dia 19, às 11h30, com uma missa no Santuário e envio missionário da juventude.

A cerimônia de encerramento da 53ª AG será no dia 24 de abril, às 10h30. Na ocasião, será dada posse à nova Presidência e Conselho Episcopal Pastoral.

Foto de: Reprodução

Urna eletrônica - Reprodução

Novidade nas eleições deste ano, votação
será por autenticação eletrônica. Cada
bispo terá uma carteira com chip de
radiofrequência para validar a escolha

Urnas eletrônicas 

As eleições para a nova gestão da CNBB vão contar com a utilização de urnas eletrônicas. A novidade é que, neste ano, a votação será através de autenticação eletrônica, na qual cada bispo terá uma carteira com chip de radiofrequência para validar sua votação.

De acordo com dom Damasceno, cada membro da diretoria é eleito individualmente, ou seja, não há cédula com vários candidatos ou chapa inscrita.

São eleitos primeiramente os três membros da presidência – presidente, secretário-geral e vice-presidente – e depois acontece a eleição para a escolha dos membros das Comissões Episcopais Pastorais.

Outra novidade anunciada por dom Damasceno é que, durante a AG, também haverá eleições para os representantes da CNBB no próximo Sínodo dos Bispos, programadas para outubro. Ao todo, serão eleitos quatro membros e mais dois suplentes.

O presidente da CNBB avalia que a eleição será mais rápida do que as anteriores, devendo facilitar os trabalhos da AG.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões; Allan Ribeiro; Eduardo Gois, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.