Por Deniele Simões Em Notícias

VIII Congresso de Teologia Moral atrai participantes de 16 países

Promover a discussão de temas atuais, sob a ótica da teologia moral, através de palestras, debates e mesas-redondas. Esses foram os objetivos do VIII Congresso Internacional Redentorista de Teologia Moral, realizado entre os dias 27 de julho e 1º de setembro, em Aparecida (SP).

Segundo o professor da Academia Alfonsiana de Teologia e membro da comissão organizadora do Congresso, evento, padre Rogério Gomes (C.Ss.R), a ideia foi promover a reflexão de temas como a teologia moral clássica e a fenomenologia francesa contemporânea, a ética teológica no mundo digital, vigilância e segurança na sociedade tecnológica, entre outros assuntos.

Foto de: Deniele Simões

Pe. Marciano Vidal - Foto Deniele Simões JS

Marciano Vidal é um dos nove
palestrantes que refletiram sobre os
desafios da teologia moral

“Foi um momento de nos reunir e procurar quais ideias e propostas compartilhadas neste diálogo possuem relevância pastoral; proporcionar um espaço para o apoio mútuo e a oportunidade de renovar energias de confrades e outras pessoas que têm dedicado boa parte de sua vida aos estudos acadêmicos, servindo assim a sociedade, a Igreja e a Congregação”, explica.

O encontro reuniu 142 participantes, entre religiosos e leigos, vindos de mais de 16 países, que refletiram sobre o tema Desafios mais cruciais para a reflexão ética hoje.

Ao todo, foram nove palestras ministradas por teólogos renomados, como Marciano Vidal, Márcio Fabri dos Anjos, Martin McKeever, María Martha Cueno, entre outros.

As palestras foram ministradas em inglês, espanhol e italiano, de acordo com a nacionalidade do palestrante, e tiveram tradução simultânea para o português e outros idiomas.

25 anos

Na avaliação do Vigário Geral da Congregação Redentorista, padre Enrique López, o Congresso cumpriu vários objetivos. O primeiro foi a partilha e a fraternidade entre os congressistas.

Por ser um congresso acadêmico, o religioso acredita que o encontro deixa como legado o estímulo à continuidade dos estudos, assim como a troca de informações sobre os trabalhos acadêmicos dos moralistas.

“Somos conscientes que a reflexão teológico-moral é missão central da Congregação Redentorista, tanto no âmbito acadêmico, mas também no âmbito pastoral”, explica.

O missionário ressalta que o Governo Geral da Congregação quer comprometer-se ainda mais com a reflexão teológica moral, estimulando que mais redentoristas estudem. Outra ideia é fomentar nos jovens o desejo de abraçar a teologia moral.

Foto de: Deniele Simões

Marcela la Palma - Foto Deniele Simões JS

Marcela la Palma, da Argentina: "É
sempre bom saber por onde estamos
caminhando e o que está acontecendo
no mundo inteiro, quais são as nossas
dificuldades, onde temos de estar e
como temos de construir a teologia
moral"

Ainda de acordo com o religioso, outra intenção é aumentar o número de congressos sobre teologia moral em nível local, favorecendo a discussão e a compreensão desses temas em vários países e, dessa forma, possibilitar um diálogo mais fluído. 

Padre Enrique López destacou, ainda, que essa foi a primeira vez que o Congresso aconteceu no Brasil e foi aberto à participação de leigos. O encontro também foi aberto a religiosos redentoristas e não redentoristas.

De acordo com padre Enrique, esta edição marcou os 25 anos de realização dos Congressos de Teologia Moral pela Congregação Redentoristas. Os demais aconteceram em Trento / Itália (2010), Bogotá / Colômbia (2006), Mater Domini / Itália (2002), Cracóvia / Polônia (1999), Pataia / Tailândia (1995), Santo Domingo / República Dominicana (1992) e Quebec / Canadá (1989).

Repercussão positiva

O Congresso agradou aos participantes, que viram na programação uma oportunidade de atualização na área de teologia moral, assim como de compartilhar conhecimentos com outros religiosos e leigos.

Padre Roni dos Reis, que atua na equipe missionária em Araraquara (SP), classifica o congresso como um momento “muito rico e oportuno” para pensar a teologia moral e a ética diante dos desafios do mundo contemporâneo. “O Congresso nos ajuda a ter um suporte para melhor responder a esses desafios também nas missões”, conta.

Para o missionário norte-americano, padre Luís Kirshner, que atuou por 39 anos na Amazônia, o Congresso trouxe atualização. “Quero me atualizar nos assuntos mais quentes do mundo atual, porque o mundo pós-moderno está atacando vários pontos do Evangelho”, diz o religioso, que hoje mora nos Estados Unidos.

Já a estudante de teologia Geisa Maria Martins, de Brasília (DF), ressalta que, além de aprimorar seus conhecimentos, o Congresso serviu como oportunidade de intercâmbio com outros teólogos. “É muito importante estar nesses eventos, não só pelos conhecimentos maravilhosos, mas pelo contato com pessoas do mundo inteiro e situar-se, poder opinar e entender um pouco mais da nossa Igreja no mundo.”

A teóloga argentina Marcela la Palma, que ministra aulas na área de teologia moral e sexualidade em um centro de estudos Salesiano, ressalta a participação dos leigos no encontro. “Acho que o Congresso já não pode ir para trás; tem que se abrir aos leigos, sobretudo às mulheres. Isso é enriquecedor”, pontua.

Outro aspecto importante do encontro, segundo ela, é o contato com os palestrantes e participantes. “É sempre bom saber por onde estamos caminhando e o que está acontecendo no mundo inteiro, quais são as nossas dificuldades, onde temos de estar e como temos de construir a teologia moral”, completa.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Deniele Simões, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.