Por Allan Ribeiro Em Notícias

Voluntariado na JMJ envolve jovens de todo o mundo

Guilherme Henrique Moreira Miranda e Emilia Lenz, ambos com 22 anos, contam os minutos para estarem próximos ao Santo Padre na Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que acontece em julho próximo, em Cracóvia, na Polônia. Os dois serão voluntários nessa edição do evento e muitos são os desejos e anseios em comum. Mas, apesar de estarem unidos em um só coração, algo muito grande os separa: o país onde vivem.

Foto de: Reprodução

JMJ

Centenas de voluntários já trabalham na preparação do evento
e outros milhares devem ajudar durante a JMJ

Apesar dos quilômetros de distância, logo eles irão se encontrar no velho continente. Ele é morador de Belo Horizonte (MG) e participará de sua terceira JMJ, a segunda como voluntário. Ela mora na cidade anfitriã do evento e, depois da experiência no Rio de Janeiro (RJ), sentiu o desejo de integrar a equipe de organização do evento.

Já são mais de 500 mil inscritos para o evento de 182 nacionalidades. Na ponte aérea Brasil-Cracóvia, serão mais de 10 mil brasileiros a caminho da terra de Santa Faustina. O Brasil é o país fora da Europa com o maior número de inscritos e um dos maiores em voluntários.

Apesar de não saber ao certo quais atividades vai desenvolver como voluntário, Guilherme vai de coração aberto para o que o espera. Ele quer ser “pau para toda obra”, seja para orientar peregrinos, seja para fazer trabalhos pesados. Guilherme reforça a própria missão de somar, colocando que o voluntário deve ser testemunho aonde vai, mostrando que é homem de Deus e enviado para servir.

O que o motiva a participar como voluntário da JMJ mais uma vez é o amor por auxiliar ao próximo. “Eu amo ajudar as pessoas, e um voluntário é a melhor maneira de se fazer isso. Ser voluntário é ser solícito, ser disponível, ser prestativo”, expressa.

Na Cracóvia ele espera viver uma experiência rica e forte espiritualmente. Ele destaca a alegria de encontrar jovens de todas as partes do mundo que, mesmo com costumes e culturas muito diferentes, trilham um mesmo caminho e buscam a santidade.

Já Emilia vê o país onde vive se preparar. Há pouco mais de um mês da visita do Papa Francisco, as cidades e aldeias na Polônia estruturam os locais para dormitório, organizam os eventos culturais e estudam as línguas estrangeiras.

Como voluntária a jovem tem como missão visitar esses locais e motivar as comunidades a acolherem bem os peregrinos. Nos locais ela oferece oficinas sobre liderança. Essa experiência contribue para que ela aprenda novas coisas e supere limites.

Foi no retorno da última JMJ que ela decidiu retribuir aquilo que recebeu no Brasil. O carinho, os sorrisos e a boa recepção dos voluntários a motivaram a seguir o mesmo caminho. “Desde que voltei à Polônia comecei a olhar para a oportunidade de trabalhar para a JMJ só porque queria preparar este evento para as pessoas que me receberam tão bem. Receberam-nos muito amigável e calorosamente, agora queremos fazer aqui na Polônia o mesmo”, afirma a jovem.

A JMJ acontece 26 a 31 de julho, envolvendo catequeses, eventos culturais, a tradicional via-sacra, a vigília e a missa de encerramento com o Santo Padre. No último dia, os jovens irão conhecer a próxima sede do evento que acontecerá em 2019.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Allan Ribeiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.