Por Jovens de Maria Em Comportamento Atualizada em 28 MAR 2018 - 15H01

A importância da educação para a vida do jovem

Nem sempre a gente está a fim de ir pra aula, é verdade. Mas você já parou pra pensar na importância que a educação tem pra sua vida? Muito além de “passar de ano” ou “receber um diploma”, a escola e a universidade têm o papel de ajudar a nos formar para viver em sociedade.

Conversamos com a pedagoga Cintya Canani, formada pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR) e pós-graduada em Designer Instrucional, e ela comentou sobre como a educação tem essa função social na vida do jovem.

shutterstock
shutterstock

Segundo ela, a juventude é um tempo em que a pessoa tem curiosidade de aprender e deseja se engajar numa ação ou projeto e a escola vem de encontro a essa necessidade.

“Muita gente tem a impressão de que a escola está desatualizada. Mas estamos trabalhando isso, temos exemplos de grandes projetos educacionais que são feitos em locais, por exemplo, de baixa renda ou no interior. Aqui no Paraná, temos um projeto que trabalha a robótica e a internet e, nesse contexto, englobam a história, geografia, ciências. Então, é a escola que pode promover essas oportunidades para os alunos”.

Além disso, Cintya destaca que por meio da educação se aprende a viver em sociedade: “Na escola, a gente trabalha assuntos ligados à sociedade: educação ambiental, educação moral e ética. É uma forma de os alunos entenderem melhor o funcionamento social, principalmente porque o ambiente escolar se caracteriza como uma sociedade. Ali, a gente pode trocar ideias, fazer debates, expor opiniões”.

E é nesse ambiente também que nós podemos aprender a ter um senso crítico, reforça a pedagoga.

arquivo pessoal
arquivo pessoal
Cintya Canani, pedagoga UEPG

“Cada um tem em si um conhecimento, então compartilhar isso é fundamental. E é, desta maneira, que podemos trabalhar nosso senso crítico, não deixando de expor nossas opiniões”.

Cintya também sugere algumas iniciativas para os próprios alunos desenvolverem: “Eu lembro que meus professores faziam projetos de júris simulados, tínhamos também uma rádio na escola. A gente fazia entrevista com os professores em semana de prova, pedia a eles dicas de como ajudar nas provas; fazíamos bastante teatro, trabalhávamos com esporte, que também exige respeito, atitude, trabalha a moral, a ética”.

“Eu acredito que é difícil um jovem não gostar de aprender. Não digo de estudar, digo de aprender. A gente está na era da tecnologia e a educação está em tudo. É só percebermos que num jogo de vídeo game, por exemplo, estamos aprendendo. Num jogo é possível ver história, geografia, ciências, química, biologia, porque com certeza quem montou esse jogo, pesquisou tudo isso e passou por uma sala de aula também”, destaca.

Por fim, Cintya reforça que é importante que o jovem seja educado porque ele é importante para a sociedade. “Se a gente quiser mudar a realidade esse país, a gente precisa dos jovens e eles precisam saber que é só por meio da educação que vamos conquistar a mudança. Uma educação que busque superar as nossas limitações e que forme profissionais capazes e cientes da realidade”.

- Conheça o projeto Eu sou o Brasil Ético do Santuário Nacional

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jovens de Maria, em Comportamento

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.