Por Anna Laura Barreto Em Comportamento

Arrependimentos não matam, mas podem custar uma vida de felicidades

arrependimento

Se os jovens já colecionam arrependimentos, imagine os mais velhos... É que é muito comum ficarmos pensando que, em certos momentos, atitudes diferentes poderiam ter mudado o nosso rumo e feito a vida ser ainda melhor.

Lembra-se daquela prova que você foi mal só porque estava com preguiça de ler mais uma página do livro? Ou daquele compromisso importante que chegou atrasado porque dormiu tarde na noite anterior? Pois então, esses são arrependimentos muito pequenos que os jovens têm a sorte de ter (sorte sim, porque eles não vão te deixar triste pelo resto da vida).

 

E tudo o que antes era simples, passa a ser complicado. Inclusive a forma como lidamos com os nossos arrependimentos. 

Só que o tempo passa, a gente envelhece, os compromissos ganham uma responsabilidade cada vez maior e o peso dos erros, dobra. E tudo o que antes era simples, passa a ser complicado. Inclusive a forma como lidamos com os nossos arrependimentos.

Por isso, devemos ter o maior cuidado ao tomar pequenas decisões, e reforçarmos isso a cada aniversário para que envelheçamos dando muita importância à nossa felicidade.

Tudo me veio à cabeça quando um amigo compartilhou uma matéria do site Hype Science no Facebook, cujo tema era “Os 25 maiores arrependimentos na vida: quais são os seus?”. Quando li o texto, tive a certeza de que não carrego grandes arrependimentos e me senti na obrigação de evita-los a qualquer custo ao longo de minha vida, pois, certamente, eles virão com o tempo. E, para isso, eu preciso estar atenta a quais são esses arrependimentos e como eles se manifestam.

É claro que muito daquilo não faz sentido para nós que somos jovens, e embora a gente carregue certas responsabilidades, ainda não passamos por muitas experiências. Mas alguns daqueles “itens” da lista de arrependimentos estão presentes em decisões que tomamos cada vez mais cedo em nossas vidas e podem gerar verdadeiras frustrações. Como por exemplo:

- Não ter viajado mais com a família/amigos;

- Escolher o trabalho mais prático em vez do que o que você realmente queria;

- Não cuidar da saúde;

- Não ter coragem de falar em público em um momento importante;

- Não estudar outro idioma;

- Não ter confiado em sua “voz” interior;

- Ter se preocupado demais com o que os outros pensam;

- Não manter contato com amigos de infância/juventude;

- Não ter se candidatado ao “emprego dos sonhos”.

Assim, acabamos de nos deparar com uma pequena lista de arrependimentos que poderiam revertidos em uma lista de “deveres cumpridos” com facilidade. O que precisamos entender é que simples atitudes do presente podem fazer toda a diferença no futuro. Diferença que pode custar momentos de realizações, tranquilidades e sucesso.

E aí, vai ter coragem de dar um novo rumo em sua vida a partir de hoje?

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Anna Laura Barreto, em Comportamento

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.