Por Everton Lucas Em Crescendo na Fé Atualizada em 18 JAN 2018 - 13H23

Desafio do Papa: 3 passos para ser um bom conselheiro

Certamente você deve ter chegado até aqui porque assistiu a nossa nova série DESAFIO DO PAPA, mas se você chegou aqui por acaso e nem sabe o que tá acontecendo, já vou dar o primeiro conselho de hoje: assista logo nosso primeiro vídeo da série sobre os desafios que o Papa está nos lançando e depois continue a ler este texto. Ok?!

desafio_do_papa_jm

Bom, agora que eu tenho a certeza de que você já assistiu o nosso vídeo (não vai me decepcionar hein! rs), vamos passar para o nosso desafio de Obra Misericórdia Espiritual. A nossa missão desta vez é DAR UM BOM CONSELHO. Vou confessar que não é uma tarefa nada fácil, pois exige do conselheiro uma série de virtudes que tornam esta missão muito difícil.

Dar bons conselhos hoje em dia também não está nada fácil, tendo em vista que constantemente somos persuadidos com conselhos ruins. É exatamente aquela cena que todo mundo já viu em desenhos animados, o diabinho e o anjinho - cada um de um lado tentando vencer para ver quem fica com as escolhas de uma pessoa. 
Sim, devemos ser o emotion_anjo e não o emotion_diabo nessa história de dar conselhos!

Para quem tem mania de sair “vomitando” conselhos, fórmulas prontas para problemas, positivismo ou pessimismo absoluto sobre situações variadas da vida, vou compartilhar algumas dicas de como dar um bom conselho. Não que eu seja algum expert no assunto, mas acredito que possa nos ajudar. Então, lá vai:

1- CADA CASO É UM CASO

Mais acima eu falei sobre as pessoas que vivem dando conselho a torto e a direito por aí sem discernimento nenhum do que estão falando. Um bom conselheiro é aquele que fala menos e escuta mais. Só se pode conhecer o caso de uma pessoa que precisa de um conselho através da escuta. É preciso silenciar pra poder falar.

Já conheci casos até de pessoas que não precisavam de palavra alguma, só precisavam de ouvidos para desabafar e, no final, escutaram um “Jesus te ama” e ali a vida tomou um novo sentido.

Cada caso é um caso e as pessoas com seus problemas precisam ser tratadas da forma mais individual possível. Às vezes, os problemas até são parecidos, mas eles passam pelo que chamamos de filtros psicológicos, que é a subjetividade de cada pessoa e isso faz da receptividade dos problemas algo único para cada indivíduo.

2- SÓ ABRA A BOCA QUANDO TIVER CERTEZA

Já falamos da necessidade de ouvir. Após este momento de escuta, observação, discernimento e até oração, vem o momento em que você fala. Mas pelo amor de Deus, palavras bem ditas se tornam benditas e quando elas saem mal ditas, pode ter certeza que serão realmente malditas. Faça deste momento um espaço de bênção para quem está te ouvindo e que realmente você sirva de instrumento para a edificação do outro.

3- APRENDA COM SEUS CONSELHOS

Já me deparei várias vezes nesta situação de querer dar conselhos para os outros e acabei quebrando a cara, me tocando de que quem precisava mesmo ouvir aquilo era eu. Dar conselhos não é se colocar na posição de quem ensina, mas de quem está junto com o outro para aprender a caminhar e assim crescerem juntos. O bom conselheiro é aquele aprende.

Eu espero que essas dicas possam te ajudar a cumprir com a missão espiritual que nos foi proposta. Deixe aqui nos comentários as suas experiências deste desafio para que possamos crescer juntos.

Ah, um último conselho: Não deixe de acompanhar nossas postagens aqui do Jovens de Maria!


Escrito por
Everton Lucas (Fotos Everton Lucas)
Everton Lucas

Apresentador e estudante de comunicação.

11 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Everton Lucas, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.