Por Pe. Leandro Luís Em Crescendo na Fé Atualizada em 26 SET 2017 - 14H54

Retiro para a Juventude? Uma necessidade urgente!

De 21 a 24 de setembro de 2015 pude realizar, como padre e com o clero da arquidiocese de Pouso Alegre, o retiro espiritual anual na Vila Dom Bosco em Campos do Jordão, interior de São Paulo.

Foi uma experiência de recolhimento, oração, intimidade com Deus muito forte e que me ajudou a notar como carecemos da bondade e da misericórdia do Senhor. Nosso retiro foi orientado pelo bispo da diocese de Palmas (TO), Dom Pedro Brito, cuja simplicidade ajudou-me a encantar-me novamente com o ministério sacerdotal.

retiro_para_juventude

Falo isso tudo com o desejo de propor à juventude católica a vivência e a promoção de atividades religiosas e espirituais mais intensas e profundas, tais como tardes ou manhãs de espiritualidade e oração, ou retiros de 3 a 5 dias num espaço físico propício, sempre com o auxílio de um orientador padre, leigo, religiosos, seminaristas...

Nós necessitamos, constantemente, passar pelo encantamento e pelo “reencantamento” em nossa relação com Deus, conosco mesmos e com os irmãos. Para isso, um retiro, uma espécie de deserto, feito no silêncio e no recolhimento, características indispensáveis à nossa busca de fortalecimento espiritual, vivemos a nossa busca e encontro com Jesus.

Vivemos na agitação e na correria constantes. Nem sempre paramos para rezar com profundidade. Esse recolhimento, a prática do silêncio, o ato de se retirar da realidade que nos rodeia por um período de tempo, nos permitem olhar o nosso interior com mais clareza e confiança, fazendo-nos percorrer consistentemente a nossa santidade em construção.

Neste retiro que fiz pude me autocontemplar. Essa ação é fundamental àquele que deseja ser seguidor de Jesus e àquele que se põe a levar os outros em sua direção. Aprendi que somos guias espirituais à medida que nos deixamos guiar pelo Espírito do Senhor.

 

Todo retiro é oportunidade de perceber esse movimento de Deus até nós e de nós até Ele. 

Todo retiro é oportunidade de perceber esse movimento de Deus até nós e de nós até Ele. Deus fala com a gente no silêncio. Retiro é uma experiência de se deixar modelar pelo Senhor. Ele cuida de nós. Tal afeição é percebida em nossa intimidade com o Pai, pela pessoa do Filho, sob a graça do Espírito Santo.

A Trindade ilumina a nossa caminhada. Afinamos as cordas da vida, pois somos instrumentos de Deus e temos a missão de orientar o povo na paz e na vida para Deus.

Retiro é um direito de todo o cristão. Fazer e manter-se em contato com o Senhor é nosso dever e nossa ação de graças. Não pode nos faltar a disposição no caminho de evangelizadores. Retiro é chance de revigoramento da alma, do espírito, da fé, de nossa humanidade. Fazer um retiro é alimentar-se e abastecer-se da graça e da misericórdia de Deus, tão caras e fecundas à nossa existência.

Como guiar os outros se não há relação profunda de amizade e intimidade com Deus, nosso guia espiritual por excelência?

Assim, vejo que nossos grupos juvenis precisam se atentar para a formação espiritual de seus membros. Não falo de cursos e palestras, mas falo de retiro espiritual. Faça a experiência e dê fecundidade ao solo do seu coração para que Deus habite em você e faça nascer e crescer os frutos da vida feliz. Essa felicidade apenas que se deixa invadir por Deus conseguirá perceber.


Escrito por
crescendo na fé revista jovens de maria
Pe. Leandro Luís

Padre na Arquidiocese de Pouso Alegre

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Leandro Luís, em Crescendo na Fé

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.