Por Thamara Gomes Em Notícias

A vocação do diácono

Nós, da Pastoral Vocacional Redentorista, procuramos sempre esclarecer aos jovens as dúvidas sobre o processo de discernimento vocacional e também sobre os diversos tipos de chamado. Já respondemos algumas dúvidas sobre matrimônio, sobre a vida religiosa feminina e sobre a vocação leiga. Hoje, vamos falar sobre outra vocação específica: a vocação do diácono.

Afinal, o que é o diaconato? Quem é chamado a servir como diácono? 

Convidamos o presidente da Comissão Nacional dos Diáconos, Zeno Konzen, para nos ajudar a explicar a missão dos diáconos da Igreja. Ele é casado, tem três filhos e sempre foi atuante em sua comunidade, na cidade de São Leopoldo (RS).

Foto de: Comissão Nacional dos Diáconos

Diáconos de Ribeirão Preto (Foto: Comissão Nacional dos Diáconos)

A arquidiocese de Ribeirão Preto recebeu, no mês
de julho, doze novos diáconos permanentes.

Para começar, é preciso entender que a vocação ao diaconato abrange três dimensões muito importantes: familiar, profissional e eclesial. Isso porque o diácono permanente é, ao mesmo tempo, pai e esposo, exerce normalmente uma profissão e se consagra à comunidade eclesial pelo sacramento da Ordem.

Sabemos que vocação é chamado, e é Deus quem chama. O convite de Deus acontece, então, em vista de uma missão específica, por isso, exige adesão consciente da fé e da vida do vacacionado. Embora a vocação surja de um chamado de Deus, ele o faz normalmente através de caminhos ligados à realidade em que se vive. O chamado é colhido por pessoas concretas, cada qual com sua história, suas limitações e suas qualidades.

Zenon explica como se dá esse chamado, por parte da Igreja, ao diaconato. 

Vocação é serviço, e com o diaconato não é diferente. Aquele quem é chamado ao diaconato deve ser sinal sacramental de um Cristo-Servo, é portanto alguém que se dispõe, que está atento às necessidades da comunidade. 

A vocação é igualmente um dom para a Igreja e para o próprio vocacionado. Hoje, as normas da Igreja fazem algumas exigências para o diaconato permanente, como formação mínima, idade mínima de 35 anos, o candidato deve estar casado, entre outras. No entanto, há poucos dias, o Papa Francisco decidiu instituir a Comissão de Estudo sobre o Diaconato das mulheres. No mês de maio, o Santo Padre já havia demonstrado a intenção de dialogar sobre este assunto perante às participantes da Assembleia Plenária das Superioras Gerais.

O Presidente da Comissão Nacional dos Diáconos comentou o assunto. 

Clique aqui e tire suas dúvidas sobre o diaconato.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
Maicon José Ribeiro comentou:

Creci dentro da igreja ajudo a igreja desde 8 anos de idade sempre tive vontade de ser padre fiz acompanhamento vocacional pra engressar no seminário. Mais por um descuido me tornei pai. Vivo isso na pele todos os dias da minha vida. Amo minha filha. Mais á inquietação no meu coração é muito grande.

respondeu:

Maicon, hoje você tem uma grande responsabilidade que cuidar de sua família e ser um exemplo de cristão para ela, para que ela também possa seguir no caminho de Cristo. Como leigo, você pode fazer muito por sua comunidade e paróquia. Procure ser atuante em alguma pastoral, isso vai te ajudar em relação a sua inquietação no coração.

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Thamara Gomes, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.