Por Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R. - Jornal Santuário Em Artigos Atualizada em 04 DEZ 2019 - 13H26

A mídia erra? A mídia tem lado?


Shutterstock
Shutterstock


Sim, a mídia erra. E, quando comete um erro, deve se desculpar e se corrigir. Sim, a mídia tem lado.
Não há isenção e não há imprensa livre. O ideal seria que cada veículo de comunicação tivesse a coragem de assumir seu lado, seu posicionamento editorial, de forma mais ética. Assim, seu público e seu anunciante não teriam dúvidas do ponto de vista do veículo de comunicação sobre os fatos do cotidiano. Não fica bem, por ser uma grande mentira, apresentar-se ao público com a postura de “independência e liberdade”, quando há compromissos estabelecidos em suas estruturas internas.

É o que vivemos no Brasil hoje: há grandes veículos de mídia proibidos por seus proprietários de produzir matérias com conteúdo desfavorável ao governo federal. E, da mesma forma, há outros grandes veículos pautados por seus proprietários a só mostrarem o que há de pior no governo e evidenciarem suas fragilidades todos os dias.

Leia MaisInimigos da IgrejaPrefiro não entrar no mérito do que motiva os interesses da grande mídia. Podem ser interesses ideológicos, ou meramente comerciais, mas o que parece é que são sempre conjunturais (ou seja, interesses momentâneos ou de um determinado contexto social).

O que se espera da mídia católica, nesse contexto, é um compromisso explícito com os valores do Evangelho e a Doutrina Social da Igreja. Não é lícito para a Igreja o alinhamento ideológico com partidos políticos ou projetos de poder, mas sim o respeito ao regime democrático e às instituições da República. E isso deve influenciar a pauta nas redações das emissoras de rádio, televisão, jornais e sites de inspiração católicas.

Essa postura, um tanto confusa, do posicionamento editorial da grande mídia só faz crescer a responsabilidade do público leitor, ouvinte ou telespectador. Não ter uma única fonte de informação, mas escutar diferentes pontos de vista. Ter capacidade de discernimento e de perceber os interesses que podem estar contaminando a reportagem dos fatos. Temos de aceitar que todos erram, mesmo aqueles de que gostamos, que admiramos, por quem torcemos. E entender que também podem acertar aqueles que estão “do outro lado”.

A verdade, sim, liberta. E a busca da verdade exige esforço, discernimento, bondade no coração e respeito pelo próximo. O Brasil está ficando cada vez mais dividido e triste por nossa incapacidade de discernimento ou por nossa preguiça de pensar um pouco mais e analisar o que se passa a nossa volta.

Escrito por
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R.
Irmão Diego Joaquim, C.Ss.R. - Jornal Santuário

Missionário Redentorista da Província de Goiás

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.