Por Pe. Evaldo César de Souza, C.Ss.R. - Jornal Santuário Em Artigos Atualizada em 09 MAR 2020 - 10H57

Quantas Nossas Senhoras existem?

Shutterstock
Shutterstock


Já perdi a conta de quantas vezes tive de explicar para pessoas de boa vontade sobre os títulos de Maria. Parece que nossa gente tem dificuldade de entender que Maria, mãe de Jesus, é representada, pelo mundo afora, com os mais diversos títulos e distintivos espirituais. Aliás,
já encontrei pessoas que confundem a mãe de Jesus com outras entidades representativas de outras crenças, como, por exemplo, a orixá Iemanjá. 

A primeira e mais fundamental informação que você deve ter em mente é que só existe uma Nossa Senhora, pois quaisquer que sejam as representações que temos da mãe de Jesus, elas nos remetem a uma jovem judia chamada Maria, que, pela graça e pelo amor de Deus, foi escolhida para conceber seu filho Jesus Cristo.

Não importa se você chame Maria com o título de Aparecida ou Fátima, não importa que você pense em Nossa Senhora de Lourdes ou reze seu terço em honra a Nossa Senhora Rainha da Paz. Em qualquer uma dessas situações, suas orações estão tendo como foco Maria, a mãe de Jesus. As aparências externas, os coloridos e formas das “imagens” que confeccionamos da mãe de Jesus, são atributos externos, modos de imaginá-la em nosso coração. Por isso, as imagens podem ter formas e cores diferentes, mas todas elas nos levam a uma única pessoa: Maria de Nazaré, esposa de José, mãe de Jesus.

Mas então, por que representar essa grande mulher de tantos modos diferentes? De onde nasceu essa ideia de ter tantas imagens de Maria e, por vezes, tão distintas umas das outras? Por que uma imagem mostra Nossa Senhora com roupas claras e outra com roupas escuras? Por que uma imagem a apresenta com a pele branca e a outra, com tez negra? Ora, não é difícil entender tudo isso! Cada uma dessas imagens representa o jeito humano de se aproximar do Sagrado. Maria, com seu jeito materno, não mede esforços para se mostrar a nós do jeito de que nós necessitamos. Assim, para cada necessidade ou local onde Maria é devotada, o povo a “reveste” com algumas características que a tornam uma mãe universalmente amada e aceita.

.:: Acesse página e conheça diferentes títulos de Nossa Senhora

Repito, para que fique claro: o modo de representar a mãe de Jesus está “encarnado” na cultura de cada povo, mas os atributos espirituais de Maria estão muito além das imagens que dela fazemos. Podemos representá-la branca ou negra, mas ela sempre será a mãe de Jesus, a medianeira das graças, nossa companheira na hora das dores, a virgem concebida sem pecado original, a senhora dos Céus e da Terra.

Assim, não deve haver mais confusão em sua cabeça: seja qual for o título dado a Maria, diante dela você pode colocar todas as suas necessidades, pois, sem demora, Ela as levará até seu filho, Jesus!

Maria se compraz quando o cristão faz tudo o que pede seu Filho Jesus, nosso Único Salvador.

Escrito por
Padre Evaldo César Souza, C.Ss.R, diretoria da Fundação Nossa Senhora Aparecida (FNSA) (TV Aparecida)
Pe. Evaldo César de Souza, C.Ss.R. - Jornal Santuário

Jornalista e missionário redentorista

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.