Por André Somensari Em Notícias Atualizada em 19 NOV 2019 - 16H30

Livro apresenta caminhos para harmonização do relacionamento conjugal

Shutterstock
Shutterstock


“Casamento”
, segundo o Direito Civil, é a união voluntária entre duas pessoas que desejam constituir uma família, formando um vínculo conjugal.

No Brasil, quando o assunto é casamento, os dados são assustadores. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entre 2016 e 2017, caiu 2,3% o número de casamentos, enquanto o número de divórcios aumentou 8,3%. Nunca os casais tiveram tantos problemas de relacionamento no matrimônio como nos dias atuais!

Nesse contexto, como evitar que o casamento se desgaste ou que um casal se divorcie? Quais são os caminhos para se ter um casamento duradouro?

Pensando nessas questões, os autores Silvia Corrêa Petroucic e André Ivan Petroucic Filho lançam pela Editora Santuário o livro “Casamento hoje: caminhos para entender, fortalecer e harmonizar o relacionamento conjugal”. André e Sílvia são marido e mulher, casados há 50 anos.

A equipe do JS conversou com os autores, que deram mais detalhes sobre a obra em questão.


Reprodução/ Editora Santuário
Reprodução/ Editora Santuário

Qual foi a motivação de vocês para escreverem o livro “Casamento hoje”?

Silvia Corrêa – A motivação surgiu quando eu e o André, meu marido, fomos convidados por nosso amigo, padre Eli Lobato dos Santos, da cidade de Barretos (SP), para auxiliá-lo junto aos casais que ele atendia na paróquia dele, buscando ajuda para melhorarem o casamento, pois estavam com problemas de relacionamento. Por eu ser psicóloga e o André psiquiatra, o padre achou que nossa formação acadêmica, além da nossa experiência de 45 anos de casamento, na época, pudesse ajudar os casais da paróquia.

Acompanhamos esses casais em reuniões semanais durante três anos, e nesses encontros, além da terapia, preparávamos um material didático para entregar aos casais, com alguns textos para leitura. Ao final desses três anos, vimos que tínhamos produzido um vasto material, e que, se aquele conteúdo todo fosse organizado e adaptado, poderia render um livro que poderia ajudar diversos casais.

No livro, vocês afirmam que o casamento possui cinco fases: Encantamento, Desencanto, Elaboração, Reintegração e Arremate. Expliquem-nos, em linhas gerais, o que significa cada uma dessas fases.

André Ivan 1ª fase, o Encantamento. É a fase da paixão, na qual só se enxergam as qualidade do(a) parceiro(a). Essa fase dura de 7 meses a 2 anos.

Aí vem a 2ª fase, o Desencantamento. Quando a 1ª fase acaba, a pessoa começa a ver os defeitos do(a) parceiro(a). É uma das fases mais difíceis do casamento, em que muitas das vezes o casamento se desfaz. Nessas duas fases um olha muito para o outro. E vem a 3ª fase, a Elaboração.

Aqui o casal começa a ver o mundo externo e elaborar a convivência. Começa a olhar em conjunto o trabalho, as crianças, o futuro, o lazer e os outros membros de cada família. É uma fase bem mais longa que as duas primeiras. A 4ª fase é a Reintegração. Nela, os filhos já estão criados, o trabalho realizado, o casal já mostrou ao mundo a que veio. Aí os cônjuges podem voltar a olhar um para o outro. Depois vem a 5ª fase, que é o Arremate. É quando, por morte de um deles, o sobrevivente, tem que elaborar o que restou do casamento. Essa fase pode acontecer precocemente, também, por conta de um divórcio. Aí ambos terão que elaborar a ruptura, o que quase nunca é fácil. É muito importante o conhecimento dessas fases, porque quando acaba uma fase, a pessoa pode achar, acreditar, que acabou o amor e o casamento, e não que será o início de uma nova fase, e uma vez que a pessoa sabe da existência das fase, pode “casar” com o(a) mesmo(a) parceiro(a) quatro vezes.

Na opinião de vocês, por que nos últimos tempos tantos casais estão se separando, muitos deles sem possibilidade alguma de reconciliação? Qual a causa de tantos pedidos de divórcio? O que pode ser feito para restaurar o casamento?

Leia MaisRestaure e cuide de seu casamento com nossa dica de leituraSilvia Corrêa – No final do século passado, no mundo contemporâneo, surgiu a era digital, tudo se tornou muito imediato: a comunicação, a transmissão de conhecimento. E não temos muita noção do quanto isso foi um dos grandes gatilhos para uma mudança de mentalidade no mundo.

Com isso, o treino de resiliência está prejudicado. Resiliência é a capacidade de resistir às frustações para atingir metas e objetivos. Podemos constatar isso na educação das crianças. Hoje, não se conserta mais brinquedos. Quebrou? Joga fora! Um eletrodoméstico quebrou? Joga fora! É a cultura do descartável. Acrescido a isso, até o jeito de cozinhar e servir uma comida está muito rápido, não há mais o tempo de espera para uma comida ficar pronta. Tudo está muito acelerado. Os pais hoje têm um lema: “Vou dar tudo aos meus filhos que não tive”, não dando valor ao que tiveram, que foram o carinho, a atenção dos pais, a transmissão de valores etc. Entre os casais, por qualquer motivo, tudo está sendo descartável.


Eles próprios estão se descartando, e, quando, às vezes, um dos cônjuges se arrepende dessa atitude, já é tarde. Há também outros conflitos, que é o do instinto de conservação da vida, uma das coisas que nos mantém vivos e fortes, e o da espécie. Com um mundo superpovoado, o instinto de conservação da vida individual está ganhando cada vez mais força. Nós estamos nos tornando mais egocêntricos. Os casais estão tendo um filho só e, em muitos casos, nenhum; estão se formando casais entre pessoas do mesmo sexo, tudo isso em função desse conflito.

E o que pode ser feito? A missão nossa, com este livro, é despertar uma maior conscientização sobre essa questão. No livro, apresentamos diversos conceitos, pontuando o que as pessoas não podem deixar de saber, como as ordens do amor, a linguagem do amor, as diferenças entre homem e mulher, em uma visão antropológica, dos cônjuges terem papéis de cooperação (ambos fazem tudo), em vez de terem papéis complementares (cada um faz uma coisa), as fases do casamento, entre outros assuntos importantes, pois não devemos andar às escuras sobre esse assunto (casamento). Tudo estar deve ser clareado!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por André Somensari , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.