Por André Somensari Em Notícias Atualizada em 05 JUL 2019 - 12H30

Livro “Mãos de Maria” apresenta testemunhos de fé de nosso povo

Reprodução/Editora Santuário
Reprodução/Editora Santuário
Adquira o livro “Mãos de Maria: a chave da Graça” pela loja virtual (e-commerce) da Editora Santuário, acessando www.editorasantuario.com.br, pelo telefone 0800 16 0004 ou nas unidades físicas da Livraria Santuário


“As palavras convencem, mas os testemunhos arrastam!” Certamente você já deve ter ouvido alguém dizer essa expressão popular, tão carregada de sabedoria. E, quando falamos de testemunhos de pessoas que tiveram a graça da ação e intercessão da Mãe de Deus em suas vidas, arrastam mais ainda, não é?

Leia Mais10 toques de SabedoriaPor que a Igreja celebra a devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus?Criança “birrenta” pode virar adolescente antissocialPapa Francisco, um outro sonho de IgrejaIndo ao encontro dessa sabedoria popular, que testemunha a fé e devoção de nosso povo, a Editora Santuário lança o livro “Mãos de Maria: a chave da Graça”, de Clênia Leão.

O livro é dividido em capítulos, intitulados “Dia de encontro com Maria”, que vão do 1º ao 31º dia, de modo que, a cada dia, o leitor possa ter seu momento, seu encontro com Nossa Senhora.

A equipe do JS conversou com a autora, Clênia Leão, que deu mais detalhes sobre a obra.

Qual a temática abordada em seu livro, “Mãos de Maria: a chave da Graça”, e qual sua inspiração para escrevê-lo? Quando começou sua relação de fé com Maria?

Clênia Leão – O livro fala da presença de Maria em nossa vida, em nosso cotidiano. Eu sempre tive uma experiência mariana muito forte em minha vida e pude experimentar essas mãos intercessoras, mãos piedosas, em um testemunho muito forte, que foi um divisor de águas! Quando precisamos de um milagre, que nós sabemos que não podemos alcançar sozinhos, nós nos lançamos nas mãos de Maria, que nos ajuda a rogar a Deus, para que Ele possa nos conceder o milagre.

Imaginei que ainda não era a hora de meu milagre; pensei que estivesse longe. Ainda assim, lancei-me nas mãos de Maria, que, como nas Bodas de Caná, pediu para Jesus antecipar a hora. Eu consegui alcançar uma grande graça, com a qual vivo cada dia e pela qual sou eternamente grata. Por isso escrevi esse livro, para perpetuar essa gratidão a Nossa Senhora.

O livro apresenta 31 capítulos, e é sugerido que se leia um a cada dia do mês. Como seus conteúdos estão divididos?

Clênia Leão – Ele apresenta 31 oportunidades de nós nos encontrarmos com Maria, por meio das histórias de outras pessoas, que partilharam sua vida nesse livro. Sugiro que seja lido um capítulo por dia, porque é uma oportunidade de nós nos encontrarmos com Maria, refletirmos sobre sua presença na vida dessas pessoas e pensarmos como isso pode ser levado para nossa própria vida. Então é interessante fazer essa caminhada de 31 dias, porque é a oportunidade de nós estarmos sozinhos com Nossa Senhora. E estar com ela é estar com Deus Pai, com o Espírito Santo e com Jesus!

Como foi para você coletar esses testemunhos? Como eles chegaram até você?

Clênia Leão – Partilhar e coletar esses testemunhos foi viver a experiência de cada uma dessas pessoas. Em todos esses encontros, quando eu ia à casa de alguém e ouvia seu testemunho, em inúmeras vezes, eu chorei junto! São testemunhos fortes! Ao ler o livro, cada relato, o leitor verá que só pode ter sido Maria presente na vida daquela pessoa. Maria age para que Deus faça! São testemunhos verdadeiros, de fé dos filhos de Nossa Senhora, que se sentem amados e protegidos por ela!

No fim de seu livro, há um capítulo, cujo nome é “Precisamos ser gerados no ventre de Maria”. Fale-nos sobre ele.

Clênia Leão – Muitas vezes, quando leio o título desse capítulo, eu me emociono! É exatamente isso que quero e desejo para todas as pessoas que se derem essa oportunidade: serem gerados no ventre de Maria! Em seu ventre, o sagrado e o humano se uniram; foi gerado o silêncio da obediência, a confiança em Deus, o testemunho de uma mulher, que se doou inteiramente para fazer a vontade de Deus, por amor a Ele! Ela se esvaziou e se colocou a serviço, sem se importar! Se Deus amou o mundo, a tal ponto de dar seu filho único, Maria também amou o mundo, porque ela também, a sua maneira, deu seu filho para que o mundo fosse salvo! Ela não objetou a apoiar o plano de Deus, a apoiar Jesus; não o impediu de cumprir a vontade do Pai. Ela não pediu para Jesus não fazer a vontade de Deus! Ela sofreu junto com ele! Ela chorou, mas em pé, confiante. E Maria nos ensina a nos desprendermos, para fazermos o melhor para todos. E é isso que eu desejo para todo mundo que chegar a ter a oportunidade de ser gerado nesse ventre.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por André Somensari , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.